julho 26, 2005

Tantos escribas, mas poucos escritores.

Tive a ler e (apesar de amar a escrita),diziam que em portugal há muita gente a escrever, tanto poesia como romances. Mas que na verdade poucos são publicados. Eu, especialmente, acho que todos aqueles que querem um dia ver editado o seu trabalho devem continuar a escrever. Mas também acho, muito humildemente, que há pouco apoio, no que diz respeito a concursos, formações, etc.
O outro ponto é o do auto finaciamento. Muita gente, como os novos escritores, não têm dinheiro para puderem autofinancear-se. A outra ideia seria imprimir o seu trabalho e correr ao metro e lá deixar. pelo menos seria lido, acarinhado e percebido.

Publicado por wilson morais às 12:44 PM | Comentários (0)

Vamos todos ler de uma só vez.

Todos os dias lemos, ouvimos coisas, mas no entanto nada fazemos. Acho uma tremenda falta de criatividade destas mentes, que aliás, tudo fazem para nos poderem enganar. É caso disto, os enormes esforços para demonstrar aos portugueses(diria mesmos no sentido macambúzio) que é um povo que lê pouco. São como os políticos, nunca vão ao problema de raíz. Porque será que os portugueses lêem pouco? Como disse o nosso caro Aguiar,« os portugueses têm é outras prioridades. Ir ao café, restaurantes...». Penso que esta e outras razões servem para revelar que realmente há almas penadas, que ao in[vez]de mostrarem políticas giratórias( no verdadeiro sentido da palavra), como soluções para este e outros problemas, passam a vida a criar escorregadelas. Sinceramente somos um país pequeno, mais com cultura( sem tentar ser etnocentrista), mesmo porque todas as culturas nos favorecem e fortalecem; acho portugal e os portugueses bons demais para poderem ler!

Publicado por wilson morais às 12:23 PM | Comentários (0)