« Também somos gregos | Entrada | Uma questão de futuro »

maio 30, 2012

Onde vou?

Sei onde quero ir
Sei-o, vagamente
Para além de todas as minhas incertezas
Para além de todas as incoerências da vida
Essa certeza existe, profunda, dentro de mim
Com a consistência própria dos sonhos
Qual matéria fluida
Que se forma e transforma
Com a crua realidade da vida

Quero ir, por onde ir?
A vida empurra-me e eu vou
Ao sabor de ventos e marés deixo-me ir
Vou por aqui e por ali, desoriento-me
Por vezes retorno aos caminhos que trilhei
Apesar de todos os vislumbres
Apesar de todas as certezas
Por vezes já não sei por onde vou
Nem para onde vou

Conceição Pereira,
Lisboa, Junho de 2007

Publicado por Conceição Pereira às maio 30, 2012 06:32 PM

Comentários

Comente




Recordar-me?