« Tempo de incerteza | Entrada | Um olhar sobre a cidade »

fevereiro 08, 2012

Comer e calar?

Ainda bem que Graça Moura tem tribuna para se fazer ouvir sobre esse acordo ortográfico que alguém se lembrou de nos impor sem sequer nos explicar porquê e quanto nos vai custar, em termos culturais e financeiros (já que estamos em maré de aperto financeiro, por acaso alguém saberá quanto vai custar a substituição dos livros das nossas bibliotecas?). Ainda bem que ele teve coragem para agir de acordo com as suas convicções e mandou suspender a sua utilização no CCB. Quem nos dera a nós - a mim e a tantos outros cidadãos anónimos deste país - podermos ser ouvidos em questões como esta, em vez de sermos sistematicamente colocados perante factos consumados e que nos são vendidos como uma inevitabilidade. E era bom que alguém nos explicasse o porquê de tantas e tantas inevitabilidades em que caiu este País. E, já agora, que os seus responsáveis se assumissem.

Como seria de esperar, houve quem de imediato condenasse Graça Moura pela sua tomada de posição: que ele devia era respeitar o Estado de Direito que tantas vezes o nomeava para gerir a coisa pública (o que significa amochar e nao agir de acordo com as próprias convicções, as quais aliás eram bem do domínio público), que não devia ter imposto a sua convicção pessoal aos funcionários da instituição sem primeiro os consultar (até parece que nós, portugueses, fomos todos consultados sobre o malfadado acordo), que pôs em causa a autoridade da tutela que o indicou para o cargo (coitado do Secretário de Estado que foi ultrapassado na questão da nomeação e ainda por cima é um defensor acérrimo do Acordo), etc, etc, etc...

Eu ouço isto tudo e fico baralhada. É que, para mim, uma coisa é o Estado de Direito, outra muito diferente são os sucessivos governos que se vão formando, na sequência de campanhas eleitorais demagógicas e pobres em conteúdo, e que vão progressivamente delapidando o património e o potencial do país, sem sequer se dignarem a explicar-nos os porquês e a responsabilizar-se pelos seus actos. A estes, confesso, eu tenho muita dificuldade em respeitar. Por outro lado, a mim parece-me que votar não significa mandatar um governo para tudo e mais alguma coisa. Há dossiers, como o do acordo ortográfico, que infelizmente parecem sempre feitos como fatos à medida de certos interesses (este parece mesmo feito por encomenda para servir certos interesses editoriais) e que não deviam ser decididos sem consultar os portugueses. Não sendo assim, temos o nosso direito à indignação e à revolta.

Publicado por Conceição Pereira às fevereiro 8, 2012 11:25 AM

Comentários

Camila,Comentando:“Havere1 sempre fore7as que emiilpre3o as pessoas a aderir e0s mesmas crene7as, quero dizer, havere1 sempre a autoridade reconhecida pela comunidade cientedfica internacional, na qual depositamos confiane7a porque vemos que ela e9 capaz de rever e corrigir de maneira pfablica suas conclusf5es, e isso diariamente. (…) Sim, concordo com ele O problema:Precisa-se validar coisas.Solue7e3o 1.0: valida-se de uma forma 1.0, atrave9s de crite9rios de pares, lento e demorado, crite9rios nem sempre transparentes, pouca gente;Solue7e3o 2.0: valida-se de uma forma 2.0, pares, ne3o-pares, sociedade, outras pessoas, crite9rios mais transparentes, mais gente, mais re1pido. Poderedamos dizer que as verdades cientedficas permanecere3o mais ou menos ve1lidas para todos porque, se ne3o partilhe1ssemos as mesmas noe7f5es mateme1ticas, seria impossedvel construir uma casa”.Ningue9m vai chutar o pau da barraca da casa desse autor, e9 bom mandar um email para ele.;) E continua: “Mas basta circular um pouco pela Internet para descobrir grupos que questionam noe7f5es que julgamos partilhadas por todos, sustentando, por exemplo, que a Terra e9 oca e vivemos sobre a sua superfedcie interna, ou ainda que o mundo foi realmente criado em seis dias .Pergunta-se:Quantos seguidores esse maluco que diz que a Terra e9 oca tem no Twitter? Quem se3o as pessoas de peso que seguem essa pessoa? Que rede ela pertence? Isso tudo e9 credibilidade em rede, que e9 outra forma, mais dine2mica, nem melhor, nem pior, mais adaptada a um mundo mais re1pido e dine2mico.Acho que esse autor tem que ler o blog aqui do pessoal do Brasil Por conseguinte, existe o risco de encontrarmos ve1rios saberes diferentes. Este1vamos convencidos de que, com a globalizae7e3o, todo mundo pensaria da mesma forma. Temos um resultado contre1rio sob todos os aspectos: ela contribui para o esfacelamento da experieancia comum”.Ai, ai ai, meu pai ;)Agora, a humanidade enlouqueceu?Ou este1 mais esperta e se1bia?Com mais teorias sobre o mundo competindo, de forma mais transparente e meritocre1tica???Je1 se acreditava em Duendes, Destino, Bfazios e ate9 em Jesus, que e9 filho de uma me3e virgem, antes da Internet, tem maluco para tudo, tanto para falar quanto para acreditar a rede amplifica os geanios e estes tambe9m Sf3 que os seguidores no Twitter e outras validae7f5es separam o joio do trigo.E ne3o o modelo anterior dos pares, fechado, viciado e lento.Vou gostar desse livro?Pelo que vc este1 me passando, je1 li ele.;)d3timo para bater..Vamos chame1-lo de livro de academia de boxe para treinar os mfasculos Beijos,valeu a visita e o compartilhamento..Nepf4.

Publicado por: Sadna às abril 17, 2012 01:28 PM

Comente




Recordar-me?