outubro 31, 2004

PEDIR OS SANTOS...

Vá... levanta-te... se não te”despachas” só apanhas dos podres.
O adjectivo referia-se aos marmelos, uma das dádivas que faziam parte do cabaz das frutas que compunham as ofertas dadas em nome de todos os Santos. Era o primeiro de Novembro, e logo pela manhã a rapaziada percorria os Montes e as Hortas, “pedindo os santos”. Munidos de grandes “bolsas” iam à cata de nozes, marmelos, tangerinas, passas, romãs e outros géneros que pudessem nesse dia proporcionar à família uma sobremesa mais “substantiva”. Então tu és quem? De quem és filho? O teu pai tem trabalho? Quantos irmãos têm? Em que classe andas? Vais à catequese?As respostas ao inquérito, eram o barómetro para a extensão da esmola, pois consoante o grau de dificuldades assim a “talega” podia ser mais ou menos cheia.
Havia também quem achasse graça a esta tradição, e se era pedir os Santos, era mesmo um santinho que levava. Era este o caso da minha Tia Bia que para meu desespero, me dava todos os anos um Santinho de papel que ela lá ia descobrir não sei onde, chegando a ir levá-lo a casa acompanhado de um raspanete porque “este ano não foste lá a casa pedir os santos”.
O certo é de que de tudo isto, uma justiça era feita. Nesse dia a “bolsa” dos mais necessitados chegava ao fim mais cheia do que daqueles mais abastados. Seria este o “MILAGRE DE TODOS OS SANTOS?”

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 06:05 PM | Comentários (0)

Futebol Local

Estremoz 0 Alandroalense 0

Publicado por tata em 06:02 PM | Comentários (1)

outubro 29, 2004

Tradições

No próximo dia 1 de Novembro celebra-se o dia de todos os santos, dia que
normalmente é dedicado (por aqueles que o entendem fazer), a prestar
homenagem aos entes queridos que faleceram, quer deslocando-se às sua
campas para limpar e arranjar, pôr flores, enfim, para honrar a sua memória.
Nesta data, em tempos idos, ainda me lembro de uma outra tradição associada ao
dia de todos os santos que era a de pedir os santos de porta em porta, em busca
de algumas guloseimas que quase sempre ou eram peças de fruta, ou frutos secos.
De quando em vez lá vinha uma moedinha para alegrar a festa. Em grupos
não muito grandes percorríamos a vizinhança batendo às portas e pedindo os
santos. Era assim ainda não há muito tempo, mas hoje e por razões que têm
a ver com uma tentativa de estupidificação das novas gerações
americanizou-se a coisa e ficou um "carnaval" chamado allowyn (Nem sei se
é assim que se escreve) muito americanizado em que se põem abóboras
iluminadas às portas e em que os miúdos, mascarados, pedem guloseimas em troca
do perdão ou não de alguma traquinice. Pode até ter alguma semelhança com a
nossa tradição do pedir os santos mas não é a mesma coisa e o sentido não
é o mesmo. Como estas coisas todas na América têm que render dólares para
poderem existir, e como por cá nós gostamos muito de imitar o que de bom e de
mau nos chega vai daí e as discotecas e bares que fazem festas do Alowyn
parecem cogumelos no montado. Alguém que explique aos nossos miúdos que
devemos ter um pouco mais de respeito por certas tradições que ainda que lhes
pareçam um tanto ou quanto cota, são nossas e não as devemos trocar pelo
que vem de fora e que nada tem a ver connosco.

Claré

Publicado por tata em 09:18 PM | Comentários (2)

outubro 28, 2004

LOCAIS QUE DEIXARAM MARCAS NA MINHA JUVENTUDE - A BARBEARIA DO BARRADAS

Proponho-me deixar aqui a descrição de locais de outrora, que de qualquer forma contribuíram para a vivência do dia a dia na Vila do Alandroal noutros tempos.
Antes do mais assumo que sou saudosista, e como tal sinto saudades não só dos tempos vividos, como da maneira como os vivi e que não tenho qualquer vergonha em o dizer. Ainda estou esperando que uma iluminada inteligência me explique porque as palavras saudade, saudosismo, outros tempos, são conectadas com fascismo, Salazar, e outras de igual teor.. mas enfim...
Situava-se a Barbearia do Barrada em plena Praça, no local onde está agora um pronto-a-vestir para crianças, propriedade da D. Maria Otília. Localização perfeita, no local mais concorrido. E porque se diferenciava a Barbearia o Barradas das outras? O Barradas, além de ser o Barbeiro mais jovem do Alandroal, era pessoa conhecedora de outros locais e de outras vivências graças às deslocações frequentes que fazia a outras localidades às vezes bem longínquas como elemento da Orquestra Bass, onde colhia ensinamentos que frequentemente estavam inacessíveis aos jovens dessa época. Tinha um rádio sempre ligado, revistas e jornais para folhear, e até, vejam bem, dependurado nas paredes “gajas boas” recortadas dos calendários Pirelli, o que constituía já por si um velado desafio à moral e bons costumes da época. Nos Domingos à tarde era o local ideal para ouvir o relato da bola, e com a barbearia sempre à cunha era logo ali que se festejavam os golos do Benfica. Foi a primeira a aderir à máquina eléctrica e a habituar os clientes a verificar o corte por intermédio de um espelho estrategicamente colocado por detrás da nuca do cliente. Não admira portanto que a malta jovem que na altura frequentava o “Colégio” fizesse da Barbearia do Barradas o seu ponto de encontro, e entre conversas em que se “malhava” na vida alheia, do futebol, da política (com um olho no burro e outro na ferradura), se trocavam pontos de vista e se discutiam os casos badalados da altura.
Se o “colégio” nos ministrava os ensinamentos necessários para um futuro melhor, não há duvida que a Barbearia do Barradas era um pólo da Universidade da vida.

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 07:58 PM | Comentários (2)

outubro 27, 2004

Confraria do Pão

confraria_do_pao_logo_medio.gif

O Pão no Alentejo é sagrado e o do Alandroal é o melhor do Mundo.
Talvez por isso a Confraria do Pão está sedeada no concelho do Alandroal.

Publicado por tata em 07:07 PM | Comentários (3)

Portugal Travel & Hotels Guide

mapa3234.gif


Founded by the Knights of Avis in 1298, the little town of Alandroal spreads around the ruins of its castle, dominated by the tall keep.

Continue a ler.

Publicado por tata em 06:24 PM | Comentários (0)

Bento de Sousa Farinha

in logotipocvc2pp.gif

Filósofo e pedagogo (n. Alandroal, 1740-m. Lisboa, 1820), efectuou os primeiros estudos em Évora, nos domínios do Latim, Filosofia e Teologia. Nos primeiros quatro anos da década de 60 cursará Direito Canónico na Universidade de Coimbra. A partir de 1764 inicia a sua aula pública de Filosofia em Évora, estreando-se então como professor oficial do reino, situação em que permanecerá por 15 anos consecutivos. A sua actividade intelectual denota um espírito com maior tendência para a divulgação, compilação e tradução do que para a criação propriamente original. Tal se ficou a dever, sem dúvida, à acentuada vocação pedagógica que sempre o norteou, num século em que o pedagogismo era nota comum aos intelectuais coevos. O cerne da sua preocupação assentará, assim, na divulgação dos textos fundamentais que, em seu parecer, deveriam sustentar, com seriedade, o ensino da Filosofia em Portugal. Neste âmbito, guiado por um critério de selecção e escolha, voltou-se com afinco para o séc. XVI, onde julgava resplandecerem os principais modelos do apogeu das Letras em Portugal. Neles se apoiou para anatemizar, muitas vezes injustamente, aquilo que considerava ser a «crassa ignorância» e a decadência cultural que a partir de 1620 se teria apoderado da inteligência nacional.

Seguindo a ordenação proposta por M. A. Machado Santos, poderemos dividir a globalidade das suas obras em quatro grupos: 1) Escritos pedagógicos; 2) Escritos filosóficos; 3) O orador e o panegirista; 4) O tradutor e o editor de obras alheias. No primeiro caso, enquanto o pedagogo ecoa permanentemente o ideal de uma correspondência activa com o Século de Quinhentos, idade de ouro, onde foi buscar as «peças filosóficas escolhidas dos escritores portugueses para se analisarem nas nossas aulas», de entre as quais se deve nomear a ed. de uma Filosofia de Príncipes apanhada das obras de nossos portugueses (Lx., 1786), composta por obras ou extractos de Lourenço de Cáceres, Amador Arrais e Jerónimo Osório, entre outros. Os seus escritos filosóficos acompanham de perto os nomes mais sonantes da época em que viveu, tendo oscilado entre uns e outros um pouco ao sabor das contrariedades e vicissitudes da história cultural portuguesa de então. Assim, entre os nomes que elegeu privilegiadamente para o magistério da Filos. destacam-se Vernei, Genovesi e Heinécio. Do primeiro adoptou o novo estatuto atribuído à História como propedêutica ao ensino das outras faculdades, a pretensão de uma lógica reformada, na tradição de Port-Royal, e a redução do âmbito da metafísica, entendida como mera parte da Lógica e da Física. A Heinécio seguirá sobretudo no domínio da filos. moral, cuja obra viria inclusive a traduzir para vernáculo, o mesmo sucedendo em relação a Genovesi, no caso da lógica e da metafísica e em relação ao qual Bento de Sousa Farinha viria a ser o maior tradutor e editor em Portugal.

Após o afastamento da docência em Évora, devido a vicissitudes várias, segue-se a sua vinda para Lisboa, onde redige uma série de dissertações de interesse filosófico, publicados no Jornal Encyclopedico, nos anos de 1789 e 1790. Aí reflecte sobre a essência da Filos., num pendor vincadamente augustiniano preocupando-se em, através da Dissertação sobre a insuficiência da Lei Natural (1789), erguer uma barreira ao avanço do deísmo e do ateísmo. Nestes seus escritos mais tardios elege o ideal socrático do «conhece-te a ti mesmo» como o âmago de toda a Filosofia. À Filosofia compete tudo quanto, através do uso da liberdade concedida por Deus ao entendimento e à vontade, possa contribuir para a dignificação da natureza humana, criada «à imagem e semelhança de Deus». Esta via de anterioridade que cabe à Filosofia acaba por traduzir-se, como em Santo Agostinho, num «socratismo cristão»: «É a Filosofia que nos faz ver e nos mostra miúda e claramente em nós esta imagem. Ela desentranha e apura desta grosseira e sombria terra e lodo este retrato preciosíssimo.» A Filosofia torna o Homem capaz de Deus, pois nele desvenda um caminho de virtude, sublinhando a importância da conduta humana: «A inocência da vida, a defensam da verdade, a prática da justiça [...], eis aqui um sumário da verdadeira filos.» Mas também aqui reside a dignidade da natureza humana, nessa faculdade que o Homem possui de «fazer ou deixar de fazer as suas acções» a que chama liberdade.

Obras
Para uma lista completa das suas obras, v. Mariana Amélia M. Santos, Bento José de Sousa Farinha e O Ensino, Coimbra, 1948.

Bibliografia
Rodrigo V. de Almeida, «Subsídios para a história do professorado em Portugal: Bento José de Sousa Farinha e seus escritos», in Rev. de Educ. e Ensino, vol. XV, 1900, pp. 314 a 327; Manuel Lopes de Almeida, «A propósito de Bento José, professor de Filosofia em Évora», in Bol. da Biblioteca Geral da Univ. de Coimbra, vol. XVII, 1947, pp. 609 a 623; Mariana Amélia M. Santos, «Bento José, professor de Filosofia em Évora», in Bol. da Biblioteca Geral da Univ. de Coimbra, vol. XVII, 1947, pp. 295 a 300; A. A. Banha de Andrade, «A filosofia das escolas menores oficiais», in Brotéria, vol. XLV, 1947; João Pereira Gomes, «últimas Actividades Filosóficas na Universidade de Évora», in Brotéria, 69 (1959), pp. 393 a 404; Joaquim de Carvalho, «Evolução da historiografia filosófica em Portugal até fins do século XIX», in Obra Completa, vol. II, Lisboa, 1981, pp. 121 a 154.

Pedro Calafate

Publicado por tata em 05:46 PM | Comentários (0)

outubro 26, 2004

Encontro de Blogs em Beja

encontro_beja_blogger_top.jpg

Publicado por tata em 07:45 PM | Comentários (0)

A FAMÍLIA TIRA–PICOS Cap I (PRÓLOGO)

Se chegarem ao Alandroal e perguntarem pelo Sr. Barnabé da Silva Carrilho Soares certamente ninguém saberá dizer de quem se trata, mas se conhecem o TIRA-PICOS, dizem-lhe logo: ah... o que está casado com a PARDALEIRA.
O TIRA-PICOS é uma daquelas figuras típicas, tão vulgares em cada terra que não deixam de ser conhecidas, quer pelos seus feitos, quer pela maneira como sabem integrar-se no dia a dia da terra onde habitam.
Não quis o Criador dotá-lo de grande inteligência, mas em contrapartida, talvez devido às dificuldades que passou durante a infância, criou uma espécie de carapaça que sempre o foi protegendo das “armadilhas“ que a vida tece.
O seu nascimento foi logo um acontecimento muito comentado na Vila. Nasceu no mês de Dezembro, e de cabeça aberta. Vejam lá que oito dias antes do parto a mãe foi ao quintal carregar um madeiro para o lume mas com tamanha falta de jeito, que encostou o madeiro à proeminente barriga, e dizem as más-línguas que abriu a cabeça ao feto. De tal maneira que segundo a Parteira, o “menino” deixaria este mundo antes do pôr-do-sol.
Logo ali, o TIRA-PICOS mostrou que não ia nas conversas dos outros, e embora ficasse com a cabeça parecida com uma rampa de skait, o certo é que sobreviveu, e goza ainda de excelente saúde.
Teve uma infância como todos os outros da sua idade, pese embora que quando as “brincas” eram touradas, ele fosse sempre o boi, assim como no “jogo da bola” fosse sempre o guarda-redes. No entanto se fosse a “ir aos ninhos”, “apanhar pássaros” ou “ir roubar uvas” não havia quem lhe levasse a melhor.
Demorou seis anos para tirar a quarta classe... mas o certo é que a tirou.
Pouco lhe valeu... pois todos os empregos tentados nenhum deu certo. Experimentou ser empregado de balcão na loja do Custódio, mas não deu certo, pois quando lhe pediram “uma quarta de sabão” foi buscar um cântaro que encheu de sabão, e o pior é que quando um dia viu a filha do patrão no confessionário do Padre Estêvão, foi avisar o dito que a filha andava a espreitar o Padre quando ia mijar. Foi despedido...
Tentou a Guarda... Mas quando do exame escrito, a pergunta indagava três cidades do Alentejo, e qual a capital, o amigo TIRA –PICOS responde: Estremoz, Borba e Vila Viçosa, e a capital Alandroal.
Ainda experimentou ser Carteiro, e até se ia safando, com a ajuda dos conterrâneos enquanto se limitou ao Alandroal, o pior foi que um dia foi fazer serviço a Estremoz, e no Bairro da Cruz Vermelha perguntou a uma Cigana se conhecia Fulana, e a Cigana se prontificou a levar todo o correio para o bairro... que ela entregava. Ainda hoje as pessoas estão à espera das cartas. Constitui mistério para muita gente como é que o TIRA-PICOS conseguiu “puxar” namoro à Maria Amélia, moçoila bem apessoada, que vivia com seus pais no Monte da Bujarda lá para as bandas de Pardais.
Certo é que após várias peripécias, que futuramente irei contar, o TIRA-PICOS namorou, casou e teve filhos, e lá se vai safando...

Saudações Marroquinas
Xico Manel

As peripécias do TIRA-PICOS vão ser publicadas semanalmente no Blog (às terças-feiras).
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

Publicado por tata em 07:30 PM | Comentários (1)

outubro 25, 2004

Fanáticos do JSA

assistencia_jsa_redondense.jpg
foto enviada por Carlos Gomes

Pormenor dos fãs no jogo JSA-Redondense.

Publicado por tata em 08:44 PM | Comentários (0)

outubro 24, 2004

Futebol Local

Alandroalense 1 Redondense 1

Publicado por tata em 07:24 PM | Comentários (1)

FORUM LANDROAL - Kerry vs Bush e o Endovélico

Os temas propostos para discussão no nosso Forum desta semana são:

- Kerry vs Bush (clique para visitar os respectivos blogs oficiais). As eleições nos Estados Unidos estão à porta. Os resultados vão afectar de forma directa ou indirecta todo o Mundo. Os leitores do Alandro al também têm uma palavra a dizer.

- O Endovélico. Património arqueológico do concelho do Alandroal subaproveitado. Qual a sua opinião?

Publicado por tata em 02:55 PM | Comentários (2)

outubro 23, 2004

Nova Legislação para a Rádio na Internet

As rádios pessoais na Internet foram silenciadas.

Pode ler mais na informação disponibilizada pelo COTONETE.

Depois da Rádio Cá-Tá, a Voz do Alandroal, a rádio pirata do Alandroal nos anos 80 ter terminado devido à impossibilidade de gerar os recursos suficientes para a sua legalização, a NOVARA - Nova Rádio do Alandroal espera agora por melhores dias.

Publicado por tata em 11:39 PM | Comentários (1)

Sala de Chat

Castelo_palmeiras.jpg

A partir de hoje o Alandro al disponibiliza uma nova Sala de Chat.

Para entrar nela basta clicar no botão que se encontra mais abaixo e que ficará sempre disponível na coluna dos links, perto do botão da Webcam.

Agora falar com os seus amigos do Alandroal e da internet é muito mais fácil, basta utilizar a nossa Sala de Chat!




Free Java Chat from Bravenet.com
 Free Java Chat from Bravenet.com

Experimente JÁ!

Publicado por tata em 12:24 PM | Comentários (2)

Câmara Municipal "ACABA" com Blog Local

Passou-se no Pombal e conta-se na edição local do Público de 21 de Outubro que pode ler on-line (É obrigatório ler).

"Reconhecendo que o "blog" era incómodo para o poder (leia-se, câmara municipal), o senhor presidente entendeu que a melhor forma de usar o "contraditório" era acabar com o mesmo."

Escreve Orlando Manuel Cardoso que afirma ter sido despedido da sua empresa por pressões directamente exercidas pelo Presidente da Câmara de Pombal.

O Alandro al congratula-se pela excelente atitude que o poder local no nosso concelho demonstra perante o blog, que, recordamos, levou mesmo à realização de um encontro de blogs patrocinado pela Câmara Municipal, apesar de tantas vezes ser criticada neste espaço.

Neste aspecto, justiça seja feita, a CMA merece o nosso reconhecimento.

luis tata

Publicado por tata em 11:49 AM | Comentários (4)

Alandro al inicia parceria com a Amazon

multi_banner1.gif

São já vários os blogues que inserem nas suas páginas anúncios do google. O Alandro al foi um dos primeiros blogues a fazê-lo.

A partir de hoje o Alandro al é também parceiro da maior loja on-line da Internet: A Amazon.

A Amazon é sinónimo de comercio na Internet, disponibilizando uma miríade de artigos, muitos ainda antes de serem lançados em Portugal, sem pagamentos de impostos aduaneiros, uma vez que se trata da Amazon.UK que opera a partir do Reino Unido, e logo dentro do espaço Comunitário.

Pode na Amazon efectuar as suas encomendas de forma eficaz, rápida e segura.

Basta clicar no banner que a partir de hoje vai encontrar no blog e o melhor é que também o Alandro al receberá uma comissão pelas suas compras.

O Alandroal pode não ter um hipermercado, mas a partir de hoje os Alandroalenses podem ter com a maior das comodidades todo o tipo de material, desde livros, DVD, CD, material electrónico e muito mais.

Atreva-se a descobrir.

Renda-se ao comércio electrónico.

Publicado por tata em 04:14 AM | Comentários (0)

outubro 22, 2004

Rua dos Arcos

rua_dos_arcos_net.jpg
foto luis tata

O Alandro al está em condições de informar que a Rua dos Arcos não vai ser encerrada.

Publicado por tata em 08:15 PM | Comentários (1)

SEMPRE FOI ASSIM...

Há tempos, em conversa com um habitante jovem do Alandroal, daqueles que teem pretensões a desdenhar, com o intuito de se evidenciarem, comentava o mesmo: no Alandroal só vingam os cafés e casas onde se vende bebida... se nos descuidamos é porta sim, porta sim.
Pois meu amigo, permita-me que lhe dedique estas linhas. Não é só no Alandroal. Também nas outras terras assim é, e tudo isso é devido à necessidade do homem encontrar um espaço onde possa exteriorizar o sentimento de partilha, amizade, e muitas das vezes a procura de um ombro amigo onde possa desabafar as mágoas que lhe vão na alma e o atormentam. Repare: nasce um bairro. Mesmo antes de no mesmo ser instalado o local que nos vai fornecer a alimentação, os cuidados médicos os bens de primeira necessidade, a “tasca” é a primeira a sediar-se. Porquê? Porque o homem tem necessidade de conviver, de espairecer... por algum motivo vivemos em sociedade, e não cada um para si.
Se me vierem dizer que a finalidade destes locais já não são os mesmos de outrora, perfeitamente de acordo, e que os mesmos já não estão vocacionados para os fins a que se destinavam antigamente, concordo. Por isso mesmo está a velhinha “taberna” a ser substituída por casas de pasto e cafés onde até o típico “balde de três” é substituído pela “sete e meio” e o “petisquinho da tarde” pelo prato do dia. Mas a isto tudo eu chamo a ganância do lucro.

A talho de foice, e para que seja feito um balanço do passado e do futuro deixo-lhe aqui uma súmula dos locais típicos do Alandroal doutros tempos.

CAFÉS:
Existiam dois, ambos na Rua João de Deus e contíguos: O ILIDIO, com máquina de café de saco, moderna, tipo cilindro, sempre fumegando ao preço de 4 tostões e mais tarde a dez tostões. Digno de reparo as pinturas nas paredes laterais: a Fonte das Bicas e a Capela de S. Sebastião.
O RATO, com bilhar, sala de jogos e reservado para clientes especiais.

TABERNAS:
Ao fundo da Vila, frente à Fonte do Botão, o ANTÓNIO MANUEL TORCATO. Desciam-se dois degraus, o balcão estava ao fundo e nos lados laterais dois bancos corridos onde a assistência se acomodava para seguir renhidas partidas de “xito”. Durante anos um cão perdigueiro transportou nos dentes um cesto, desde o alto da Praça até à taberna levando as refeições ao proprietário da taberna. Não consta que alguma vez se tenha desviado do seu caminho ou entornado a sopa. Mais tarde essa taberna fechou e o proprietário abriu outra na Praça.
O LICA, foi talvez uma das mais típicas tabernas do Alandroal, que conseguiu manter a traça inicial até 1995, resistindo a tudo o que a pudesse desvirtuar. Chão de alcatrão, com bancos corridos junto às paredes, e com reservado por detrás do balcão onde pontificavam várias talhas. Da taberna do Lica fazia parte a laje onde se armava a cápsula de bala que os vinténs haviam ou não de derrubar, consoante as palavras de ordem “ervido”, “revido” “retentino”. Ficaram célebres na gastronomia do Alandroal as “pataniscas de mogango do lica”. Ninguém as fazia como ele.
O DOMINGOS, sito na Rua do Pinheiro, onde não havia jogos. O próprio se encarregava da animação, ora tocando, ora inventando “estórias”. Frequentemente o petisco era “passarinhos” que adquiria à miudagem por troca de rebuçados com cromos dos jogadores de futebol, de uma pretensa “rifa” cujo prémio era uma bola de futebol que por artes mágicas saia sempre à casa. Outra especialidade do Domingos era o toucinho cozido que propositadamente deixava criar bolor para, dizia ele, ter sabor a presunto.
O PIÇARRA, O MANUEL CANHOTO e o SOFRINO tinham os seus estabelecimentos no Largo das Camionetas, local muito propício para o negócio.
O PIÇARRA, especialista em peixe do rio frito (ninguém o sabia cortar como ele).
O MANUEL CANHOTO... quem consumisse um penalti (copo de vinho grande) tinha direito a uma económica (sopa de legumes) de borla.
O SOFRINO, especialista em passarinhos fritos (foi talvez o melhor atirador de pressão de ar do Alandroal) e cação frito.
Cabe ainda aqui uma referência muito especial AO PIMENTA, talvez a taberna mais pequena do Alandroal, cujo principal cliente era o proprietário.
Ao fundo da Praça existia o que podemos chamar o único quiosque da terra... A BARRACA DO TORCATINHO, vocacionada para os madrugadores, que no mercado que ali se efectuava diariamente matavam “o bicho” com um cacau, um café um bagacinho, um eduardinho uma ginja.
O EDUARDO, na Rua Mestre de Avis, com uma mesa atrás da porta, onde se disputavam renhidas partidas de cartas e onde a assistência vibrava com a bisca ou a manilha.
O ZÉ CANHOTO, alem de taberna era também a única “pensão” da terra. Tinha fabrico de vinho próprio, e os petiscos eram à base de carne de porco das “matanças” que semanalmente fazia. Eram famosas as suas linguiças assadas assim como os lombinhos assados.
O ZECA, ao alto da rua de Santo António, mesmo junto à Escola, dirigia a sua actividade mais para a venda de rifas da bola e rebuçados que a miudagem da escola consumiam.

Para os mais noctívagos haviam ainda as Sociedades: A ARTÍSTICA, mais elitista, a MÚSICA, mais popular.

Como vê, meu caro, pouco mudou....

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 08:07 PM | Comentários (0)

MARROQUINOS

Designação atribuída às pessoas do Alandroal, pelo facto do concelho ser considerado pobre, desértico, seco e a vila ter palmeiras.

Publicado por tata em 04:59 PM | Comentários (0)

Luz ao fundo do túnel?

O nosso Blog está em condições de assegurar que não vai ser encerrado qualquer túnel rodo/ferroviário no Alandroal.

Publicado por tata em 03:14 PM | Comentários (0)

Agradecimento

Sabemos que no Alandro al somos um pouco umbiguistas e raramente fazemos referência a outros blogues, e muitos são os que nos ligam e nos enviam internautas.

Aqui fica um agradecimento aos cinco blogues que até hoje mais nos "linkaram" (pode ver a lista completa aqui)

Planície Heróica
Azenhas do Mar
Praça da Republica em Beja
O Sexo dos Anjos
Almocreve das Petas

Mas também um grande abraço para todos os outros que formam esta assombrosa rede de informação e partilha na qual tanto nos orgulhamos de participar.

Publicado por tata em 01:17 AM | Comentários (1)

outubro 21, 2004

Endovélico

endovelico.jpg
foto IPA


Novas investigações no santuário de Endovélico (S.Miguel da Mota, Alandroal): a campanha de 2002
Amílcar Guerra, Thomas Schattner, Carlos Fabião e Rui Almeida

Publicado em 2002 na Revista Portuguesa de Arqueologia.
Pode fazer o download aqui (PDF - 1368K).

Publicado por tata em 04:16 PM | Comentários (4)

outubro 20, 2004

Putas Tristes

memoria_de_mis_putas_tristes.jpg

“El año de mis noventa años quise regalarme una noche de amor con una adolescente virgen.”

Ainda não se encontra à venda em nenhuma livraria no Alandroal, mas pode comprar o mais recente livro de Gabriel Garcia Marques através da Internet (clique na imagem do livro).

Publicado por tata em 09:48 PM | Comentários (7)

FUTEBOL... NO PIOR E NO MELHOR

Numa altura em que o futebol, mais uma vez está prestes a ”bater no fundo”, mas sobre o qual me parece todos tecem opinião, convém recordar que desde sempre o mesmo foi aproveitado para outros fins daquele para que foi pensado, e que desde há muito as forças políticas se aproveitaram do mesmo para sua auto promoção, e foram sempre os Governos ditatoriais que tentaram colher benefícios para exercer o seu domínio.
Se é certo que as forças políticas devem apoiar o desporto (neste caso o Futebol) não é menos certo que o devem fazer com conta, peso e medida, para que mais tarde não venham ser reféns de episódios menos dignos protagonizados por aqueles que têem a seu cargo a gestão do Clube.
Tudo isto vem a propósito das recentes declarações do Presidente do meu Clube, Sport Lisboa e Benfica, contra o Ministro da Administração Interna, e o Secretário do Desporto, que atempadamente puseram o dedo na ferida sobre as condições que se estavam a criar em torno do jogo.
Até à data não vi qualquer reacção por parte de quem de direito, e como quem cala consente: ou por falta de argumentos (o que não me parece), ou por comprometimento (o que me parece), o certo é que já aí vem outra medida, também de carácter ditatorial, que ouvi ontem em primeira-mão “no dia seguinte” da Sic Noticias (outro a precisar de vassoura), e confirmei hoje no site do Benfica, a “iluminada” Direcção se prepara para “correr” com ilustres benfiquistas (nem todos os da lista o são).
No europeu de 1934 Mussolini, corrompeu árbitros para que a Itália saísse vencedora; durante a ocupação nazi da Áustria, Hitler despeitado com a derrota da Alemanha perante a Áustria, moveu diligências para o envenenamento de Sindelar, autor dos golos;
Franco obrigou compulsivamente o Barcelona a preterir as contratações de Di Stefano e Puskas a favor do Real Madrid o seu clube de eleição. Todos Governantes de má memória...
São exemplos que eu deixo a um nível universal, e que podem servir de exemplo a nível nacional.
E local?
É certo que a par da promiscuidade que se vem a sentir em determinadas autarquias e Clubes para futuro aproveitamento eleitoralista, não nos consta que a nossa autarquia esteja conectada com tais práticas, no entanto seria de toda a oportunidade que a mesma, aqui mesmo prestasse os esclarecimentos devidos, para evitar o levantamento de suspeitas, sempre desagradáveis a quem de alma e coração apoia o nosso Alandroalense.
A terminar, uma nota que a todos os títulos considero digna de ser realçada e que mais dia, menos dia deveria ser tomada por aqueles clubes que à semelhança do que se passou na altura se consideram não presos mas espoliados por esta “gentalha” que manda no Futebol: Foi a atitude tomada pela secção de futebol da Associação Académica de Coimbra que se recusou participar no então Campeonato de Futebol da I Divisão, enquanto estivessem estudantes presos e não houvesse Liberdade no Associativismo Estudantil, o que fez tremer Salazar.

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 09:44 PM | Comentários (0)

BENFICA-PORTO

benfica_porto_net.JPG

Alucinações?

Publicado por tata em 07:45 PM | Comentários (2)

CAMPEONATO DA EUROPA DE MATRAQUILHOS PODERÁ SER REALIZADO NO ALANDROAL

Está desde meados deste mês a decorrer no interdito bar o 1º campeonato de
matraquilhos, disputado em duas voltas (por não ser possível dar mais, dado o
exíguo do espaço), com a participação de numerosas equipas que diariamente
se degladiam, na mesa de jogo.
A organização do campeonato ao que parece foi recentemente contactada por membros da federação Nacional do Matreco, para se inteirarem da forma como foi exemplarmente organizado o referido, (que nós por cá não deixamos os nossos créditos por mãos alheias) fonte próxima informou-nos que existe a intenção de se avançar para a organização do Campeonato da Europa da referida modalidade em franca expansão.
Uma vez que o calendário para o ano que vem em matéria de grandes eventos a realizar no país estava um pouco aligeirado, decidiu o Ministro dos desportos (Ainda é o mesmo?) que este seria o grande desígnio Nacional para o ano de 2005, refere a
mesma fonte que em termos de infra-estruturas, foram já contactados todos os
carpinteiros no desemprego e demais trolhas para a construção de mais de 150
mesas de matraquilhos, por falta de estádios não vai ser.
Preocupados com a segurança quisemos saber o que pensa a federação fazer para conter a hordas de hooligans que poderão visitar as nossas pacatas ruas. Em conversa com a autoridade local foi-nos dito que existe já um plano delineado para qualquer contingência. As forças de ordem ficarão ocultas para não acicatar os ânimos, provavelmente no conforto dos seus quartéis, nos bares e cafés da
localidade só serão servidas cervejas a quem estiver acompanhado dos
respectivos avós. Todas as bebidas serão pagas pelo sistema de pré-pagamento.
Não serão servidos shots. No final do jogo os adeptos mais irrequietos serão
escoltados à saída da vila.
Já está a decorrer o processo de inscrição para stuart (Porque é que chamam isso aos miúdos?). Ao que parece a Autarquia local, não querendo ficar de fora de tão importante projecto, ofereceu já os préstimos dos jovens recepcionistas das várias Expos que após um breve curso de reconversão poderão estar à altura do evento.

Vamos elevar bem alto o nome do Alandroal. Vamos mostrar que sabemos receber, nem que seja à “chaporrada”, os ingleses que nos vêm partir os bares e cafés e
vamos demonstrar a esses pelintras da Europa que quando queremos somos capazes
de organizar e de galvanizar esforços para a realização destes e outros
grandes eventos que só podem elevar o nome do País.

O Alandroal lança aqui um desafio aos jovens criadores (Com mais de 33 anos)
para a criação do logotipo e mascotes do campeonato Europeu de matraquilhos,
e pede ás gentes do Alandroal, que sejam simpáticas com que nos visita, que
isto das tristezas não pagam dividas, e nisto da bola ainda que seja a brincar
o que interessa é enganar o parceiro. Ops… queria dizer o adversário.

Fiquem bem.

Claré

Publicado por tata em 07:43 PM | Comentários (0)

A PROPÓSITO DE ALCUNHAS

Conhecem o livro de FRANCISCO MARTINS RAMOS e CARLOS ALBERTO DA SILVA “TRATADO DAS ALCUNHAS ALENTEJANAS”?

Se não conhecem sugiro que o adquiram, pois trata-se de uma verdadeira obra de pesquisa sobre os motivos que deram lugar a alcunhar certas personagens do nosso Alentejo e que nós a maior parte das vezes usamos e nem sequer nos passa pela cabeça os motivos porque tomaram tais alcunhas.
O nosso Alandroal é contemplado em grande parte por alcunhados que nós conhecemos, que respondem pela alcunha, e que muitas das vezes nem os próprios sabem porque são assim designados.
Pareceu-me a propósito escolher de entre todas as letras do alfabeto, dois nomes que constam do referido livro, e transcrever os motivos invocados pelos autores para a aposição de tais alcunhas. Mas também da minha parte acrescento dois nomes que podendo ou não constar do referido livro, não são pelos autores mencionados como provenientes do Alandroal.

A
Abelha – Designação dada a um homem que trabalhava nas pedreiras, onde por vezes saltavam pequenos fragmentos de pedra que lhes batiam na pele, e, então dizia “até parecem abelhas”.
Água – Mel – O pai do alcunhado vendia água mel.
Eu acrescento: AUGUSTO TOUCINHO e ABIBE

B
Bácoro – O alcunhado quando era criança cortava o rabo aos porcos.
Badalinho – O alcunhado tem o pénis muito pequeno. (está escrito no livro).
Eu acrescento: BAGUINHO DE MILHO e BAJANCAS

C
Cadela Parida designação atribuída a um individuo que é trombudo.
Caga na Faia o visado recebeu esta alcunha porque tinha um olival num local chamado “faia” e tinha o hábito de ir “estrumar” a terra.
Acrescento: CU ÀS COSTAS e CABO SETE

D
Deus Nosso Senhor Sujeito muito religioso.
Descalço O visado quando era criança andava descalço.
DOUTOR BAYARD e DEUS ME LIVRE

E
Elton jonh- O nomeado é parecido com o cantor do mesmo nome.
Empata Fodas – Alcunha aplicada a um indivíduo que anda sempre a meter-se onde não é chamado.
ÈGUA e ESTURRICA

F
Feijão-frade O visado é aldrabão, ou seja tem duas caras como o feijão-frade.
Feiticeiro A pessoa adquiriu esta alcunha, porque é considerada uma pessoa conflituosa.
Eu acrescento: FANECA e FONFON.

G
Garganeiro dos Faleiros O nomeado recebeu esta alcunha porque para além de ser vaidoso e ambicioso, morou nos Faleiros.
Gata de Pardais A visada é natural de Pardais e tem os olhos azuis.
Que eu me lembre: GATILHO e GRAZINA

H
Não consta nenhum nome.
A mim ocorre-me HONRADO.

I
Injecção O alcunhado adquiriu esta designação porque tinha um café, onde praticava preços muito altos.
Ideias Individuo que tem ideias consideradas malucas.
ICA e INVERNO

J
Jaleco O alcunhado anda sempre com um casaco, e, então colocaram-lhe esta designação.
Juiz da Fome Nome outorgado a um individuo que está sempre sem dinheiro.
JAN JAN e JOSÉ DAS MENTIRAS

K
No livro não consta nenhum alcunhado começado pela letra K proveniente do Alandroal, no entanto eu conheço: KAGANO e KATA (ZÈ). È uma questão de ortografia.

L
Lafinfa sem elementos.
Lourenço do Branco Alcunha aplicada a um sujeito que morou num monte com este nome.
LILI e LAMBANÇAS

M
Má Cara O alcunhado adquiriu esta alcunha porque é carrancudo.
Mata Pintos Sobre nome de um indivíduo que matou pintos com tiros.
MANITAS e MARRANZANA
Agora vejam o que consta no referido tratado para designar a palavra “MARROQUINOS”- Designação atribuída às pessoas do Alandroal, pelo facto do concelho ser considerado pobre, desértico, seco e a vila ter palmeiras. ATÉ QUANDO? Pergunto eu... quem foi e porque cargas de água somos perseguidos por tais estigmas? Adiante..

N
Nené O receptor é considerado um bom jogador de futebol.
Nilhas linguística.
NABO e NAVALHAS

O
Olé Epíteto aplicado a um sujeito que andava sempre a cantar “olé...olé”
Orelhas de Burro Designação aplicada a um individuo que tem orelhas muito grandes.
ORELHUDO e OVELHA NEGRA

P
Pádoca O visado herdou a alcunha de seu pai, mas desconhece-se o motivo da sua atribuição.
Pinguinhas O visado trabalhavam uma estação de serviço e tinha o hábito de perguntar aos clientes se queriam uma pinguinha de gasolina.
PINTELHINHA e PIOLHA PRENHA

Q
Quadrado O receptor tem esta alcunha por ser baixo e muito gordo.
QUESQUERES – Sem elementos.
QUINQUIM (Salgado) e QUITOLAS (Mariano José)

R
Rã Coelha A alcunhada tem este nome porque é de baixa estatura.
Ramalhão Denominação que identifica um homem com os braços muito compridos.
RABINHO DE LEQUE e RABITO

S
Sacainho O alcunhado é da freguesia de Santiago Maior.
Sete o alcunhado ficou com este nome porque de 14 irmãos ele era o sétimo.
SARGENTO e SERRINHA

T
Taliscas O receptor era muito magro, então na noite de núpcias, quando se deitou, a mulher perguntou-lhe: “ estás na cama ou estás na talisca”
Tabuinhas Designação dada a um homem que é Carpinteiro.
TÓI DAS MULETAS e TACÃO

U
Unta comportamental
Unhas-de-fome Designação aplicada a um homem que é muito avarento.
Agora é a minha vez de não achar apelidos que eu conheça no Alandroal começados por U

V
Velhinho Sujeito que tem o rosto muito envelhecido
Vira Casacas Alcunha atribuída que é muito aldrabão.
VAI-TE À ROUPA e VALETAS

X
X.F. O visado tem por hábito andar depressa com uma motorizada
Só me lembro de XAREPE.

E pronto, meus amigos, se souberem de alcunhas, mais recentes façam o favor de a escarrapacharem nos comentários, eu por mim fico-me com mais duas PINCELEIROS E ESCARAVELHOS.

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 07:41 PM | Comentários (3)

outubro 19, 2004

Rua Infante D. Henrique

rua_infante_D_henrique_net.jpg
foto luis tata

Publicado por tata em 07:13 PM | Comentários (0)

Noite do Réptil

DIA 23 NOITE DO RÉPTIL NO ALDRABAR ATREVA-SE E APAREÇA!

Publicado por tata em 07:05 PM | Comentários (4)

Já passou um ano, ou quase.

Muita água correu por debaixo das pontes, fizemo-nos mais velhos, alguns perderam com a passagem de mais estes trezentos e poucos dias (pessoalmente perdi de mais) alguns amigos foram-se outros ficaram em banho-maria, até um dia... Cá pelo Sul, como o relógio raramente para, e porque depois do Outono quase sempre se segue o Inverno, mas como estas coisas do tempo não há quem as entenda, desata numa aguaçeirada que só visto! Ora vem isto a propósito de quê, perguntarão vocês. Pois é que há certas coisas que ainda que passem muitos anos parece que não se hão-de alterar nunca, é o caso de uma famosa empresa que dá pelo nome de EDP, que quase todos os anos nos brinda com os seus relatórios com lucros astronómicos (Pudera) mas que se está literalmente para as tintas para quem lhe fornece todos os anos os milhões sem bufar, e até hoje ainda não se preocupou em gastar alguns desses milhões a arranjar a rede de distribuição eléctrica para que sempre que chova não nos deixe de candeias nas mãos. Já repararam nas iniciais da dita empresa (EDP= È de Portugal) será por isso??? Depois vêem com aquela história da outra vez que a culpa é da cegonha. Primeiro: as cegonhas não voam de noite. Segundo: era preciso a cegonha ser do tamanho de um avião!!! Não contentes com a pouca qualidade do serviço que nos prestam brindam-nos ainda com (pasme-se) uma taxa de radiodifusão na factura mensal. Ainda alguém houve a RDP neste país???
Já agora se houvesse por aí alguém que conhecesse algum Sr. Bem colocado na dita podiam, fazendo o favor claro está, meter uma cunhazita para ver se podiam arranjar tambem a iluminação pública cá do sitio?? É que há dois anos, mais coisa menos coisa, que os postes ali da praça não acendem e mais uns quantos aí pelos arrabaldes, se não fosse muito incómodo para esses PAPA MILHÕES, dos nossos...

Claré

Publicado por tata em 07:01 PM | Comentários (1)

outubro 18, 2004

Quanto vale o Alandro al?

Sabe que existe um mercado virtual de blogues?

Pode ver em quanto está avaliado o nosso blog carregando na seguinte imagem:

Listed on BlogShares

Publicado por tata em 11:29 PM | Comentários (3)

Alandroal nos cinco continentes

Já visitaram o Alandroal internautas dos cinco continentes:

Europe 8194 86.48%

Unknown 1112 11.73%

South America 103 1.08%

North America 39 0.41%

Asia 17 0.17%

Africa 6 0.06%

Central America 2 0.02%

Oceania 1 0.01%

Conheça em pormenor os países que nos visitaram carregando nesta ligação.

Estes números são apenas referentes ao alojamento no Weblog.com.pt. nos últimos 3 meses.

Publicado por tata em 11:02 PM | Comentários (2)

Como é que ainda estamos vivos?

TEXTO DEDICADO AO MEU AMIGO LUÍS, BALANÇAS, TÓI, COELHINHO, ZÉ VICENTE E OUTROS DA MINHA IDADE.

Como é possível que a gente, nascidos em 45, alguns de nós ainda por cima deslocados para outros climas, a termos que suportar uma guerra, possamos ainda estar dotados de todas as faculdades mentais?
Como é que a gente ainda sabemos que 2+5 são 7, se não tínhamos máquinas de somar e conseguimos saber tantas histórias e contos se não tínhamos televisão?
Como é que a gente conseguiu viajar por tantos lugares, sem cinto de segurança?
Como é que a gente não apanhou “bichos” se bebíamos água da fonte, quando não do chafariz, e tantas vezes da Fonte da Neca?
Como é que os nossos pais nos deixavam andar um dia inteiro na “moinice” sem pensarem que podíamos ser raptados ou violados?
E nos davam aquelas comidas sem cuidarem de saber a validade das mesmas?
E valha-nos Deus nem sequer um telemóvel tínhamos, nem um carro movido a pilhas, e se queríamos um triciclo tínhamos que improvisar num caixote de sardinhas, e baloiços só os das árvores (lembras-te Tói do teu bracinho?).
Como é que a gente dividia um cigarrinho por todos e não temíamos que algum de nós podia contagiar outro?
E como os nossos pais nos castigavam quando metìamos o pé na argola e não iam pedir satisfações aos encarregados de educação, ensinando-nos os caminhos da verdade e da honradez?
Como era possível só termos um brinquedo pelos anos ou pelo Natal e não sempre que os acompanhávamos às compras?
Como é que a gente conseguiu viver sem Playstation, sem TV, sem computadores, sem vídeos... mas éramos amigos... e isso foi sempre o mais importante....
Somos uns heróis... não haja dúvida!!!

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 10:46 PM | Comentários (1)

outubro 17, 2004

Futebol Local

Reguengos 2 Alandroal 0

Publicado por tata em 05:39 PM | Comentários (10)

Sentido Proibido

sentido_proibido_net.jpg
foto luis tata

Publicado por tata em 02:01 PM | Comentários (1)

E PORQUE NÃO UMA ECOPISTA?

Vejam lá do que eu hoje me lembrei:
Das dezenas de vezes que, sem toalha, sem calções, sem champôs, nem sequer sabonete, ia por um caminho estreitinho com paredes de ambos os lados, tomar banho às “FONTES DAS FREIRAS”. Aquilo era uma autêntica piscina, com duas bicas a correr abundante água sempre fresquinha, e o sussurrar monótono de um moinho de vento, que consoante o vento, debitava nas bicas mais ou menos água. E no percurso apanhar umas amoras nas silvas, roubar uns peros ou uns melões nas hortas do “Poejinho” ou para os mais afoitos uma surtida à quinta do “Anacleto”. No regresso e com a satisfação, e a fresquidão de uma banhoca bem tomada, era a vez de fazer um assalto às vinhas, que proliferavam na estrada de Bencatel. Nem os temíveis tiros de sal nos metiam medo.
Agora, e por altura da Expo-Guadiana, realizou-se um passeio pedestre, que segundo os participantes foi muito concorrido e apreciado.
Tudo isto me leva a sugerir a quem, para tal tem poderes, porque não uma ecopista que nos leve a tal local?
Numa altura em que os amantes da natureza se multiplicam, em que cada vez mais se procura o bem-estar proporcionado pelo ambiente rural, e em que os meios motorizados estão a perder espaço, um caminho rural devidamente equipado, construído por saibre e betuminoso, a poder vir a ser utilizado para passeios a pé, de bicicleta ou a cavalo, com pontos de descanso e lazer, parece-me que seria do agrado de todos.
Depois ninguém nos diz se não seria possível a construção de uma unidade de turismo rural na Fonte da Freiras, ou até um parque de merendas em local tão aprazível.
Porque não?

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 01:57 PM | Comentários (2)

outubro 16, 2004

ALENTEJANOS!.....

Que Portugal é este que teima em nos oferecer dia a dia Ministros vomitando asneiras e ofensas, de cada vez que abrem a boca?
Sabemos que o tacho é para ser mantido, independentemente de se ter ou não vocação ou de se ser ou não competente, o que interessa é animar a malta (deles) não interessando a quem se dirigirem.
Isto a propósito duma intervenção de S. Ex.ª. o Sr. Ministro Morais Sarmento, o tal que foi boxeur, com aquela cara de meter medo às crianças que não querem dormir, se dá ao desplante de em pleno comício eleitoral do seu partido numa das nossas belas ilhas Açoreanas desatar a ofender os Alentejanos, como se estivesse a enaltecer a sua família ou a ver-se ao espelho.
Foi mais ao menos isto, inflamando a assistência com falta de armas e engenho que declara, usando a sua voz encaramelada e truculenta, vomitando:
O GOVERNO DOS AÇORES CONSEGUE SER MAIS LENTO QUE OS ALENTEJANOS!
Porra, Sr. Ministro, donde é que conhece os Alentejanos?
Duvido que haja algum que lhe passe cartão?
Quem é o Sr., donde veio, o que fez, para se permitir ofender uma região dum País que também (infelizmente) é o seu?
Apetece-me lembrar-lhe que foi apenas e só por ter contado uma anedota sobre Alentejanos, que o seu companheiro e ministro do Ambiente (?) Carlos Borrego se demitiu ou demitiram, ao tempo em que o Sr. Primeiro-ministro se chamava Cavaco Silva.
Se isto fosse num País a sério, com um governo à altura, pode ter a certeza que já lhe tinham posto as malas à porta do seu Ministério.
Não me quero comparar consigo, sou alentejano, lento e calmo, mas aconselho-o de novo a frequentar a catequese onde irá aprender o Acto de Contrição e a receber aulas de moral, bons costumes e educação, esperando que quando se confessar o obriguem a rezar eternamente numa destas ermidas que temos aqui pelo Alentejo, jurando nunca mais nos ofender!
Espero que quando houver campanha eleitoral não tenha a pouca vergonha de aparecer pelo Alentejo, pois poderá deparar com algum alentejano que quando o sr. o tentar cumprimentar estendendo-lhe a mão, lhe dê o pé, aqui diz-se pata e fique com aquele cheirinho a suor que só os trabalhadores como os Alentejanos são capazes de destilar.
Voltarei ao Senhores que deste País vão fazendo uma coutada de gente capaz de fazer parte da segunda escolha para a 2ª. Edição da já famosa Quinta das Celebridades ou Quinta das Aberrações.
Meu pobre Portugal que tão mal estás! …

Luís Balsante

Publicado por tata em 07:35 PM | Comentários (10)

Forum Landroal

Para esta semana propomos os seguintes temas para debate:

- Apresentação do orçamento de estado. O governo propõe a criação de uma polícia fiscal. Qual a sua opinião?

- Benfica-Porto. Mais um clássico.

Já sabe como funciona. Abra os comentários, deixe o seu e volte ao Alandro al para saber as reacções.

Publicado por tata em 12:14 PM | Comentários (6)

outubro 15, 2004

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Durante a realização da Expo-Guadiana, com pompa e circunstância, foi anunciado o “CARTÃO SOCIAL DO MUNICIPE IDOSO”, e distribuído folheto informativo no qual se dava conta a quem se destinava, quais os benefícios, e quais os limites para estes benefícios, a maneira como obtê-lo e qual a documentação necessária, assim como os contactos a estabelecer para obtenção do mesmo.
Tive a oportunidade na altura de salientar o quanto me agradou tal iniciativa, não deixando de tecer os devidos elogios a quem teve a ideia de lançar tal medida, (lá vou, mais uma vez ser apelidado de graxista).
Não sei se tal medida foi concretizada, pois nos contactos que tenho tido com os presumíveis interessados, estes pouco me podem esclarecer, sendo bastantes os que me dizem não saber do que se trata.
Como resido fora da localidade, os contactos com os que me podem dar esclarecimentos não são tão frequentes como desejava. No “site“ da Câmara nada consta e infelizmente um Boletim Municipal, se existe, e embora pedido, não me chega às mãos. Eu venho perguntar a quem de direito se a medida foi concretizada, qual o número de aderentes e se a medida está a ser cumprida como foi prometida, e se todos sem descriminação de credo ou partido estão a ser contemplados.
Já agora como estamos em matéria de GAM Alentejo?
Vamos inclinar-mos para GAM ou COMURB?

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 05:12 PM | Comentários (2)

outubro 13, 2004

ENCONTRO DE BLOGS EM BEJA

logoENCBLOGS.jpg

Organizado pela Praça da República em Beja.

É favor copiar a foto e postá-la em todos os blogs.

Publicado por tata em 10:41 PM | Comentários (3)

Licões da Escola Primária

Há muitos, muitos anos atrás houve um dia um Professor da escola primária,
que fez o favor de nos ensinar algumas coisas que eu teimosamente ainda ia
guardando como ensinamentos muito preciosos, entre outras coisas, por exemplo:
Os bombeiros são os soldados da Paz, os Soldadinhos vão para a tropa para
defender a Pátria (ou lá o que isso queira dizer), a GNR serve para garantir
a segurança e a ordem pública, dizia-me esse Professor nos tempos da
instrução primária que estava-mos a dar os primeiros passos para um dia quem
sabe vir-mos a poder ser Primeiro-ministro deste país. Dizia ele, com muito
trabalho claro está, que éramos o futuro do País e tal, e tal.
Hoje passados muitos anos, para meu desgosto e talvez para o dele também o tempo
encarregou-se de desmistificar, e de alguma forma retirar toda a magia ao que o
nosso Prof. Da Primária nos ensinou diria até com algum orgulho e porque não
algum carinho.
Os Bombeiros Voluntários estão hoje relegados a ser peões de interesses pouco
claros se não veja-se a época de incêndios, os negócios que giram em torno
dos mesmos e o quanto as corporações infelizmente ganham com isso (nada), lá
muito pacíficos são eles, lá isso são. Quanto aos soldadinhos defenderem a
Pátria... Serão os mesmos que investem com fragatas contra o barco do
aborto??? Não sei de que abominável mal defenderam eles a Pátria. Defenderam
isso sim alguns párias e seus interesses. Quanto aos garantes da nossa ordem
pública serão ainda os mesmos que quando à dias foram chamados por este
humilde servidor vosso para pôr cobro a uma rixa à porta de um bar desta
localidade, em que foram incendiadas algumas viaturas de particulares, me
responderam que só daí por uma hora poderiam tomar conta da ocorrência por
não terem pessoal (palavras do plantão)? Ou são os que agora diligentemente
fazem autenticas caçadas à multa mesmo no centro da vila? Instrumentos de
controlo do défice??! É no que se transformaram agora as nossas forças de
segurança, vou gostar de ver quando no próximo ano forem actualizadas as
coimas, devem esperar pelo já habitual contribuinte à porta de casa para lhe
aplicarem a simpática coima, OLHEM PARA O ESTACIONAMENTO À PORTA DO VOSSO QUARTEL SFF, apetece parafrasear o poeta Armindo Rodrigues:

"Orgulhosas, por toda a parte,
a carvão, a zarcão, a ocre,
se lêem palavras de esperança,
sóbrias, serenas, sem ódio.
O ódio é com os agrários
E os Guardas-republicanos,
Uns e outros bem alimentados,
Uns e outros cruéis e inúteis."

Quanto a algum dos seus alunos chegar alguma vez a fazer parte de algum
ministério ou mesmo vir a ser ministro, lamento Sr. Prof. Mas enganou-se de
novo é que hoje para se chegar a um qualquer desses lugares ou se é da
família de algum ministro ou secretário de estado ou tem que se ser
muiiiiiiiiiiito amigo de alguém nesses lugares. Eu sei Sr. Prof. que a culpa
dos males deste país não é sua mas tinha de fazer este desabafo. Saiba no
entanto que longe de toda essa pouca vergonha que vai pelo país estão quase
todos os seu antigos instruendos, que foram educados para trabalhar
honestamente e é isso que fazem no dia a dia . O óleo de fígado de Bacalhau
que tomava-mos nessa altura sabe-nos é hoje um pouco mais mal, só isso....
Tenho dito.

Claré

PS. O Sr. Prof. Era o Sr. José Jacinto Ilhéu

Publicado por tata em 05:40 PM | Comentários (4)

SONHAR ACORDADO II

Há relativamente pouco tempo, postei um desabafo, a que dei o título em epígrafe, e no qual dava conta do meu sonho de ver o espaço “Arrequizes”, devidamente utilizado como espaço verde, onde se pudesse desfrutar de bons momentos de convívio e lazer.
É com grande prazer e alegria que vejo, quando das deslocações à minha terra, que o “sonho” se está a transformar em realidade. Já se torna imprescindível uma visita às obras, e constata-se com orgulho que ali se projecta algo de grande, e que aquele espaço não se vai apenas confinar a um jardim. Basta observar a planta e respectiva maqueta.
Muito bem... o meu aplauso.
Mas os meus sonhos no que se refere aos espaços até há pouco tempo, devotado ao abandono, não se limitam aos “Arrequizes”. Outro local existe no Alandroal, que desde sempre me cativou, e no qual despendi muitas energias, e que não bastas vezes me acarretou grandes preocupações e aborrecimentos: A ESPLANADA.
Talvez muitos de vós ignorem tudo o que representou outrora a “Esplanada”, convém portanto fazer uma breve resenha daquilo que representou para o Alandroal tal espaço.
A “Esplanada” foi projectada na era de 40 por três Alandroalenses, que procuravam assim um espaço de convívio e lazer, não só para actividades lúdicas, mas tão bem para práticas desportivas. Assim ali se realizavam nas noites quentes de Verão, não só bailes, como patinagem artística, jogos de hóquei, cinema e outras actividades. Deveu-se a sua construção aos Senhores: Joaquim Martins, (abastado lavrador), Doutor Barrento (veterinário municipal), e Doutor Xavier (insigne médico local, cuja memória se encontra perpetuada em busto destacado na Praça).
São recordações que ficam para sempre gravadas na nossa memória, as noites de bailes, as noites de patinagem, os concursos, as peças de teatro que me foi dado na minha meninice assistir. Recordo com saudade os bailes abrilhantados por essa magnifica orquestra que dava pelo nome de BASS, considerada a melhor no Sul do País, oriunda do Alandroal, na qual pontificavam a família Salomé (Vitorino e Janita inclusive), mais o Manuel Roma, O Barradas o Berbens...bem longe levaram o nome do Alandroal!
Depois por razões que nunca descortinei entrou a “Esplanada” em decadência, tornando-se um dos locais mais degradados do Alandroal.
Em 1974 da “Esplanada” apenas restava o ringue de patinagem e os muros em decadência. Até o bar e a cabine de projecção tinham sido deitados abaixo.
Foi então que um grupo de “saudosistas” e Alandroalenses de gema, no qual me incluo, mais o Alberto, os Balsantes (Luís e Manuel), o Zé Fontes, o Zé Belo, resolveram recuperar a “Esplanada”. Não foi fácil, pois se houve anuência por parte dos outros dois proprietários o Senhor Joaquim Martins, só cedeu após verificar que se não fosse a bem seria a mal. Isto passou-se na altura em que ”o Povo é quem mais ordena”.
Mereceu a pena, não só por se ter verificado na altura que quando é para o bem de todos o Povo se une, e de uma assentada, com a colaboração de toda uma população a “Esplanada” voltou a funcionar.
Embora se voltassem a realizar bailes, concertos, actividades culturais, cinema, ainda que dotado de um Parque Infantil, o brilhantismo de outrora não voltou.
Estávamos em pleno PREC, e embora abertos a todas as facções, quando era uma não da cor a “coisa” tinha boicote pela certa.

PERGUNTO: MUDOU ALGO NOS TEMPOS QUE CORREM, NO MEU ALANDROAL?

Talvez a sua melhor utilidade tenham sido os torneios de futebol de salão, em prol do Juventude Sport Alandroalense, que na altura da fundação do Clube traziam àquele espaço um sem número de assistentes. Mas isso acabou...
Na altura, mostrou-se o Juventude Sport Alandroalense interessado na compra do local para uma futura sede.
O que posso garantir é que fiquei sozinho, com o “menino” nos braços, pois todos foram desistindo, e que quando procedi à entrega das chaves na Câmara Municipal, o fiz com a promessa de que o local seria a nova Sede do Alandroalense.

JÁ FOI HÁ TANTOS ANOS!!!

Conclusão: o meu sonho II é que do local se faça uma Sede digna do Clube que já vem sendo digno de possuir tal Sede, se possível com campo de futsal, e porque não com Campo de Futebol nas traseiras, com bancadas e relva.
SONHAR É FÁCIL...

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 05:39 PM | Comentários (2)

Pintar o céu de azul

ceu_azul.jpg

100% céu alentejano, com algumas nuvens.

Publicado por tata em 05:34 PM | Comentários (4)

Comentários em Destaque

Finalmente! Subscrevo integralmente o teu artigo, Claré!
Apenas sinto um pouco de pena que este blog não seja conhecido senão de todas, pelo menos da maioria das pessoas do concelho, o que ao mesmo tempo é admissível, se verificarmos que 70% da nossa população são idosos com idade superior a 60 anos (e que nem por sombras poderão entender destas tecnologias).
No entanto, penso que o blog poderia ser mais divulgado, de forma a permitir não só a integração de artigos com várias ideias e opiniões dos vários quadrantes políticos do concelho, mas também tornar-se um espaço em que existisse a possibilidade de aplicar o "princípio do contraditório".
Digo isto porque é a primeira vez que escrevo neste espaço, e fi-lo hoje, porque é também a primeira vez que leio um artigo que não é mais do que uma "engraxadela" ao executivo municipal, em que se esquece a verdadeira realidade e se vive num mundo de faz-de-conta.
Era bom que se elogiassem as decisões e atitudes de mérito, mas que se apontassem de forma crítica também os pontos fracos, as debilidades, no sentido de contribuir para o desenvolvimento do nosso concelho, porque ninguém é infalível, porque com os erros também se aprende e principalmente porque "ninguém é dono do mundo".
Saudações de principiante.

Bruxinha

Publicado por tata em 12:35 PM | Comentários (5)

outubro 12, 2004

A via mais fácil

Numa altura em que se fala que o País vive para os directos dos telejornais, e
demais Shows de duvidosa qualidade, também parece que por cá enveredamos pela via mais fácil, trabalhar para o espectáculo.
Senão vejamos. Mais e melhor ambiente, se aquilo a que por cá se chama melhor e mais ambiente é o triste e deplorante espectáculo dos pequenos contentores aonde os munícipes se vêm obrigados a depositar os seus lixos domésticos, a transbordarem diariamente por manifesta insuficiência dos mesmos para o volume de lixo produzido. É que em pleno século XXI deve ser das poucas localidades aonde a recolha de resíduos domésticos ainda é feita como era no tempo em que o Ti Isidro e o Sousa andavam de dumper a recolher os ditos de porta a porta. Sem contar com o mau cheiro que no verão se faz sentir perto dos (chamados) contentores, se a isso juntar-mos o pouco civismo de certas pessoas que depositam nos mesmos todo o tipo de porcarias que imaginar se possa (Restos de peixe, de comida, óleos alimentares, etc.etc.) facilmente se depreende o perfume que estes exalam em dias de verão. Bem sei que até nos deram alguns (poucos) ecopontos
estrategicamente colocados em alguns aglomerados desta vila, mas... serão os
mesmos suficientes? A juntar a todo este triste cenário temos ainda os
veículos de recolha velhos e desactualizados. Quem não acredita basta ver o
regueiro de líquidos que os mesmos deixam pelo caminho quando atestados, e que condições de trabalho que são garantidas às pessoas que operam com os
mesmos (Primeiro as pessoas) ainda se lembram?? Para quando as actualizações mais que necessárias para inverter este estado de coisas?? Talvez para o ano aquando da campanha eleitoral ?!!! A ver vamos. E talvez também para o ano que vem talvez possamos ter inauguração do centro de saúde, quem sabe com algum rapazola do governo acompanhado da devida pompa e circunstância. È que para as coisa não serem feitas apenas para as estatísticas é necessário que as mesmas funcionem que é o mesmo que dizer que estejam em tempo útil ao serviço das populações e não das campanhas eleitorais de políticos, que trabalham mais para os números que para as pessoas. É verdade que alguma coisa tem sido feita devagar, e não me venha dizer que agora sim é que estamos na senda do progresso, que a trinta anos que não se fazia nada por cá, só não vê ou não viu quem não quis, ou quem por qualquer motivo lhe agradou na altura algumas coisas que foram feitas e agora se esqueceu delas, ainda falta muita coisa para que possamos apelidar de inaptos quem antes se dispôs a comandar os rumos da nossa terra. Tenho esperança que sejam feitas não todas mas algumas. E aí sim poderemos todos dizer que se vive um pouco melhor no Alandroal.

Claré

Publicado por tata em 05:42 PM | Comentários (10)

JORNAL DA BOA-NOVAEDIÇÃO DE OUTUBRO 2004

Temas em destaque

Após um interregno por motivo de férias voltou a ser publicado o jornal Boa-Nova da responsabilidade da Paróquia do Alandroal.
Como habitualmente vamos fazer referência aos temas que compõem o mesmo:

Na primeira página em Editorial é-nos dado a saber que de Outubro de 2004 a Outubro e 2005 foi proclamado por Sua Santidade o Papa João Paulo II O ANO DA EUCARISTIA.

ASSIM NÃO SENHORES FESTEIROS
Artigo da responsabilidade do Conselho Paroquial a fazer contra capa e pelo qual nos é dado a conhecer os motivos do “mau estar” das gentes de Ferreira de Capelins, por quando das suas tradicionais Festas o percurso ter sido alterado na Procissão, assim como a redução dos Andores.
Justifica o articulista que tal medida se deve há falta de meios humanos, e que o problema se tende a agravar de ano para ano, e não só em Capelins, mas em quase todas as Festas do Concelho.

FESTAS TRADICIONAIS

Duas excelentes fotografias ilustram o que foram as Procissões realizadas por altura das Festas do Rosário e Capelins, e pelas mesmas podemos constatar que tem toda a justificação o que atrás foi dito.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª Sra. DA CONCEIÇÃO

O Presidente da Junta como habitualmente dá a saber os apoios financeiros, doados pela Junta, a saber:
1000 Euros à Comissão de Festas de Nossa Senhora do Rosário
1500 Euros à Comissão de Festas de Nossa Senhora da Conceição
300 Euros ao Grupo de Forcados do Aposento do Alandroal

O HOMEM CRIATURA DE DEUS

Excelente artigo de Jerónimo Major, que com subtileza consegue, conjugar a CRIAÇÃO DO MUNDO, A CRIAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA, OS DOTES com que o ser Humano foi bafejado, e os fins que presentemente lhes está a dar, não deixando de apelar aos sagrados valores da paz, harmonia e acima de tudo à união da família.

IGREJA DE MONTEJUNTOS EM OBRAS

Registo fotográfico ilustra as obras que estão sendo levadas a cabo para restauro daquela Igreja, e construção de uma Capela Mortuária.

O RESCALDO DOS INCENDIOS
Jerónimo Major ilustra com uma dezena de fotografias o que foram os incêndios que assolaram durante o mês de Agosto o nosso Concelho.

PELA DIGNIDADE DA PESSOA IDOSA

Última página da responsabilidade de Elias Mira, que além de apontar as causas de um Portugal envelhecido, tece oportunas considerações, sobre o carinho que deve ser votado à terceira idade, e nos dá sábios conselhos sobre tarefas que podem ser executadas por esta franja da nossa sociedade.

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 05:33 PM | TrackBack

outubro 11, 2004

ESTÁ FEIA A NOSSA SALA DE VISITAS

Mas ainda bem. Se pensam que vou “dizer mal”, tirem daí o “cavalinho da chuva”. Que está feia para quem nos visita, lá isso está. Não é um regalo para os olhos para quem entra na nossa zona histórica deparar com taipais por tudo quanto é sítio. São os Arquizes, é o edifício da Câmara, é a rua da Mata, é a Rua João de Deus...enfim há “entulhos” e vedações por tudo quanto é sítio. Mas, para mim isto é sinal de progresso, pois sem obras não há melhoramentos e estes são indispensável para o embelezamento de qualquer localidade. Deponho grandes esperanças no novo visual dos Arquizes (aliás já aqui o salientei), estou certo que o edifício Camarário ficará mais apresentável, e que na rua da Mata irá nascer um edifício com visual que a todos vai agradar.
No entanto tudo tem o seu tempo de execução, e se não posso de maneira alguma deixar de elogiar tudo o que concerne a obras que estão a ser realizadas, não posso deixar de condenar o tempo que as mesmas demoram a concretizar. Não sei de quem é a culpa, nem isso vem para o caso... mas casos como o Centro de Saúde, que “faz...desmancha...desmancha faz”, (e aqui sabemos os porquês, e os culpados) e para os quais a Autarquia não pode interferir, já o mesmo não direi quanto às obras que se estão a realizar para o novo visual do ex- Café Central. Já lá vão pelo menos seis meses que o local se encontra “escondido”, agora com a agravante de os “materiais” entupirem o passeio, o estacionamento e prejudicarem seriamente o espaço que presentemente se tornou o ex-libris do Alandroal: o Restaurante a Maria. Já pensaram os responsáveis pela urbanização do Alandroal o que os frequentadores de tal espaço possam vir a comentar sobre as condições que se lhes depararam?
Bem...vamos lá apressar as “obras”, pois todos nós estamos ansiosos, para “mariscar” no novo local, principalmente eu, que tenho gratas recordações dos dois últimos proprietários, o meu amigo (sempre o recordarei) Luís Carraço e Zé do Alto.

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 07:36 PM | Comentários (2)

outubro 10, 2004

Futebol Local

JSA_Vitoria_Setubal_net.JPG

JSA 1 V. Setúbal 2

Foto enviada por António Jeremias

Publicado por tata em 08:10 PM | Comentários (4)

Alandroal Memória

alandroal_memoria_1.JPG

Sabe quem são?
E em que ano foi tirada a foto?

Publicado por tata em 07:36 PM | Comentários (2)

FAZ FALTA...

Desde há muito que fervilhava na minha cabeça escrever algo sobre a falta que faz uma grande superfície comercial no Alandroal. Evitei fazê-lo, porque temia ser mal interpretado pelos detentores do pequeno comércio que, e muito bem, se mantém sedeados na terra fornecendo os bens de primeira necessidade de que todos precisamos, e ainda porque laços de amizade me ligam a esses mesmos comerciantes.
Recentemente, numa troca de impressões com um conterrâneo, que reside fora, mas que frequentemente passa grandes períodos no Alandroal, o mesmo confidenciou-me que não passa maiores temporadas na sua terra porque ao fazer o balanço mensal dos gastos em produtos que adquire no Supermercado quando procede às compras, e o que gasta no Alandroal, verifica que viver no Alandroal durante um mês representa um acréscimo de 250 euros.
Eu mesmo quando me desloco à minha terra sou frequentemente solicitado pelos familiares para me deslocar às terras limítrofes, no intuito dos mesmos pouparem uns euros em produtos de primeira necessidade, não falando já de bens que não é possível adquirir no Alandroal.
Não sei que critérios presidem para a instalação de grandes superfícies, sequer se alguns ”poderes” podem interferir em tal assunto, mas não vejo que por exemplo o vizinho Redondo ou mesmo Vila Viçosa tenham mais poder de compra que o Alandroal.
Depois há que contar ainda com os postos de trabalho que a instalação de um Supermercado iria criar e a deslocação dos habitantes das freguesias do concelho que se deslocariam ao Alandroal para procederem às compras. O exemplo é bem visível quando em dias de mercado.
Vamos lá....Senhores Empresários... estudem bem o mercado do Alandroal...e MARCHÊ ... MARCHÊ-- – (OU OUTRO)... para esta terra, que de certeza vos compensará..

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 06:15 PM | Comentários (2)

Futebol Local

Lichenstein 2 Portugal 2

Os jogadores do JSA continuam a ser excluídos da Selecção Nacional.

Assim não vamos lá!

Publicado por tata em 12:38 PM | Comentários (3)

outubro 09, 2004

Forum Landroal

Os temas propostos para debater no blog durante esta semana são os seguintes:

- Saída do Prof Marcelo Rebelo de Sousa da TVI.

- Saída da liderança do PCP de Carlos Carvalhas.

Já sabe como funciona. Deixe a sua opinião nos comentários.

Opinar não é delito... ou é?

Publicado por tata em 06:09 PM | Comentários (4)

outubro 08, 2004

Actualizações

Como alguns dos nossos leitores já repararam as actualizações do Alandro al não têm sido, nos últimos tempos, tão frequentes como era hábito.

Este facto é devido, em parte, à mudança de computador pessoal (um Sony Vaio é agora a menina dos meus olhos, não será um Apple mas é fantástico).

Esperemos que em breve possamos voltar a actualizar o blog com a mesma regularidade que o fizemos durante um ano.

Um pedido de desculpas a quem nos segue.

luis tata

Publicado por tata em 07:19 PM | Comentários (2)

OS JOGOS DE OUTRORA

Na altura em que a RTP inaugura, via cabo, o tão prometido canal Memória, no qual nos é dado relembrar certos programa que nos trazem um misto de boas recordações a par de outros que nos permitem lembrar vultos de grande envergadura como VITORINO NEMÉSIO, GIACOMETI, PEDRO HOMEM DE MELO, ANTÒNIO PEDRO, AMÀLIA, VILARETT e tantos outros, ocorreu-me deixar aqui, para avivar a memória de uns tantos, e dar a conhecer a outros, os JOGOS que marcaram a minha infância.
Relembro o jogo do pião, do arco, do botão, jogos que fizeram parte da infância de todos nós. No entanto havia “brincadeiras”, que se praticavam na minha região, e que pelas muitas localidades que calcorreei não vi nada semelhante.
A “ABELHARDA”:
A abelharda, propriamente dita consistia num pau com cerca de 20 centímetros, com dois bicos na ponta. Era desenhado um círculo no chão, no qual se colocava um “jogador”, munido de um outro pau de dimensões superiores, a que se dava o nome de “pateira”. Com a pateira batia-se na abelharda no intuito de a afastar o mais longe possível. Se o adversário conseguisse introduzir a abelharda no círculo defendido pelo outro jogador, tomava o lugar deste, e este por sua vez teria de ir busca-lo às costas ( “cavalitas”) desde o local onde tivesse sido arremessada a abelharda. Caso contrário teria direito a três pancadas na mesma (daí os bicos) e seria o outro a carregar o fardo.
Uma outra modalidade de jogar à abelharda era colocar esta em cima de duas pedras, levantá-la com a pateira e bater-lhe para a afastar o mais longe possível. Ganhava o que o fizesse melhor, sendo o castigo para o mais fraco servir de burro ao mais forte.
“CHICA LAFAVA”
Constituíam-se dois grupos, normalmente de seis unidades cada. Tirava-se “à sorte” quem ficava por baixo, e quais os que tinham direito a saltar. Encostado a uma parede, com a cara voltada para a mesma ficava o “base” (normalmente o mais forte), depois os outros agarravam o primeiro pela cintura e postavam-se de espinha dobrada, de modo a fazer “sela”. A finalidade do jogo era saltarem para as costas dos que faziam de “burro”, e aí se manterem de mãos no ar. Duas hipóteses podiam suceder: se caíam os que estavam por cima, passavam a ficar por baixo, se os que estavam a “carregar” não aguentavam o peso, gritavam “mosca” e continuavam na mesma posição.
ENTERA
É frequente ver-se nos treinos dos atletas. Um dobra o dorso e o outro formula o salto. A tal prática dava o nome de “entera”, e obedecia a certas regras.
Eis alguns exemplos:
1º) À caganeira- o salto e executado pelo menos a um metro de distancia.
2º) À cata tumba – saltar só apoiado numa mão.
3º) Ao cruzeiro – Após executar o salto ficar de pernas cruzadas
4º) Ao raio que te parta – deixar uma pedra no dorso e bater nas costas com força.
5º) Ao pisco – bater com o calcanhar nas nádegas sobre quem se salta.
6º) Manel da rola tira o cavalo da chuva – tentar desviar o que está por baixo, na altura do salto, obrigando-o pelo menos a dar um passo.
8º) No rabo um carolo e na cabeça um biscoito – A posição do “burro” mudava, ficando na longitudinal e quando era formulado o salto era obrigatório dar no ar um pontapé no rabo e um carolo na cabeça.
Havia mais itens, só que não me ocorrem. Ficava grato se os lembrassem nos comentários.
TAROULO
Tinha sido próprio para ser jogado: o Touril. Faziam-se tantos buracos quantos os jogadores. Arredondava-se um talo de couve (quanto mais duro melhor). A finalidade era enfiar o talo da couve num dos buracos, e a quem pertencesse teria que atingir um adversária com o referido talo, Se o conseguisse o castigo era uma pedra no buraco do atingido que quando perfizesse cinco pedras era castigado transportando todos os outros “as cavalitas”.

Será que as crianças ainda brincam?

Saudações Marroquinas
Xico Manel

Publicado por tata em 07:13 PM | Comentários (3)

12ª FESTA DA MALHA

Como é hábito a autarquia do Alandroal, esteve presente na 12ª edição da Festa da Malha, este ano realizada em Évora, no passado dia 26 de Setembro.
Com a participação nesta que é a maior iniciativa deste jogo a nível nacional, dá-se oportunidade aos jogadores deste concelho de competirem com jogadores oriundos de todo o Alentejo.
Embora não seja o mais importante numa competição com este espirito, há a destacar o 2º Lugar alcançado pela dupla Celestino Bexiga/Joaquim Mira no escalão de Veteranos.

António Jeremias

Publicado por tata em 07:11 PM | Comentários (2)

outubro 03, 2004

Futebol local

Alandroalense 1 Portel 1

Publicado por tata em 06:55 PM | Comentários (9)

outubro 02, 2004

À mão

A propósito da última descoberta ministerial, de proceder à colocação dos professores via manual, depois de informatizados quase a 100% todos os serviços públicos, sabe-se de fonte geralmente bem informada, que o nosso des(Governo) se prepara para a aplicação de novas medidas com carácter de urgência e cuja entrada em vigor se prevê para 01 de Janeiro de 2005.
Assim tem-se conhecimento que:
Para os funcionários públicos a produtividade passará a ser medida e avaliada em função do que fizerem à mão e bem feito;
Serão proibidos todos os relógios automáticos ou a pilhas, passando a ser obrigatório o uso de relógio de corda manual;
Os pedreiros deixam de poder utilizar betoneiras, passando obrigatoriamente a fazer o cimento, cal ou estuque, com o uso de enxada e pá;
Os padeiros passarão a amassar a farinha dos bolos e pão, apenas e só como uso das mãos e a força dos braços;
Os carpinteiros apenas usarão equipamento desprovido de motores;
Os cabeleireiros e barbeiros não podem servir-se de máquinas eléctricas no uso da sua profissão;
Nas repartições públicas os funcionários deixarão de poder usar o equipamento informático, devendo servir-se das máquinas de escrever e calcular, que tão apressadamente guardaram nos arquivos;
A ordenha de vacas, ovelhas, cabras e outras, que até aqui se fazia mecanicamente, deverá ser feita manualmente e com muito cuidado, para não ferir as tetas e assim continuar a haver mama para os mesmos de sempre;
Aos agricultores é vedado terminantemente o uso de tractores, alfaias agrícolas e outros equipamentos providos de motor, passando as terras a ser tratadas única e exclusivamente com o auxílio de animais (burros, equídeos, muares e outros) dirigidos pelos humanos, como acontecia há 100 anos;
Os telefones passarão de novo ao antigo modelo de disco rotativo, devendo todas as chamadas ser feitas digitando os números no dito disco;
Os cigarros passam a ter de ser feitos à mão, sendo para isso obrigatória a venda de onças de tabaco (tipo Duque ou Superior) e livros de 50 mortalhas (tipo Touro ou Payá);
O vinho deixará de ser produzido pelos métodos mecânicos, voltando de novo ao pisar das uvas, podendo também quem quiser usar as mãos;
Para o rejuvenescimento da população, proíbe-se a TV a partir das 22 horas, voltando de novo a emitir a Emissora Nacional e o Rádio Clube Português, que se comprometem a repor programas como “Serão para trabalhadores”, “Teatro Tide”, “os Parodiantes de Lisboa”, etc., estimulando assim os casais a ir para a cama mais cedo, de maneira a preocuparem-se com o aumento da família, para o que o Estado contribui, oferecendo um rádio a pilhas por cada filho nascido já em 2005.
Finalmente:
Passa a ser obrigatório para todos os cidadãos que ocupem cargos políticos ter a antiga 4ª classe, sendo necessário para a sua admissão no exercício de funções governamentais prestarem-se a uma prova de Português, que inclui uma redacção sobre um dos nossos Reis e uma prova de matemática com 2 operações, subtracção e divisão.
Estas são apenas algumas das medidas que já aí vêm, estando outras na calha.

Luís Balsante

Publicado por tata em 07:40 PM | Comentários (9)