novembro 25, 2005

Arrogância cultural

Já tinha falado no assunto relativamente à mesma personagem. Já abordei algumas vezes o tema. Mas vale a pena ler o Paulo Gorjão.

Publicado por cparis em 07:10 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 23, 2005

Aumento da idade da reforma

Obviamente que não posso ficar agradado com a perspectiva do aumento da idade da reforma. Significa que vou ter de trabalhar mais 5 anos. Isso não agrada a ninguém. No entanto olho lá para fora e vejo a Alemanha passar de 65 para 67 anos a idade da reforma e tomo consciência da inevitabilidade da medida.

Agora, o que não posso concordar é que não se faça mais nada. Que não se crie maior flexibilidade nos horários, permitindo que se trabalhe ameio tempo, de forma simples e eficaz. Tenho para mim que temos uma legislação laboral muito rígida, fruto de um medo terrível de perder direitos o que fez com que a precaridade aumentasse de forma brutal.

Vejo de forma muito negra o futuro no capítulo do emprego e das regalias por ele admitidas. O Estado Social europeu está em falência e duvido que não venha a falir. Cada vez mais a solução passará por um estilo americanizado, onde cada um tem de se preocupar com todos os aspectos da sua vida: a saúde e a reforma. A ver vamos.

Publicado por cparis em 10:09 AM | Comentários (7) | TrackBack

novembro 19, 2005

Declaração de Interesses

Que bom que seria que todos os que dão opinião seguissem o exemplo de Francisco José Viegas e dissessem em quem vão votar... Seria tudo mais claro e transparente.... Mas transparência é algo a que alguma esquerda não está habituada.

Publicado por cparis em 06:36 PM | Comentários (2) | TrackBack

novembro 18, 2005

O porquê das coisas

Era uma vez uma galinha que achou grãos de trigo no chão e perguntou aos vizinhos:
- Alguém me quer ajudar a plantá - los?
- Eu não! - Respondeu a vaca
- Nem eu! - Respondeu o pato
- Eu também não - Disse o porco
- Eu muito menos - Disse o bode
- Então eu planto. - Retorquiu a galinha.
O trigo cresceu, amadureceu e a galinha perguntou:
- Quem me vai ajudar a colher as espigas?
- Eu não. - Disse o pato
- Não faz parte das minhas funções. - Disse o porco
- Depois de tantos anos de serviço, eu não. - Respondeu a vaca.
- Arrisco-me a perder o subsídio de desemprego. - Respondeu o bode.
- Então eu colho. - Disse a galinha!

Claro que chegou a hora de amassar o pão e pergunta a galinha:
- Quem me ajuda a cozer o pão?
- Só se me pagarem horas extras. - Disse a vaca.
- Não posso por em risco o subsídio de doença. - Disse o pato.
- Eu nem acabei o liceu, nunca aprendi, não sei fazer. - Respondeu o porco.
- Se for só eu a ajudar, isso é discriminação. - Respondeu o bode.
- Então eu amasso e cozo. - Afirmou a galinha.Cozeu 5 pães e orgulhosamente pô-los numa cesta para os vizinhos verem. De repente toda a gente passou a querer pão e a pedir um bocado.
A galinha disse NÃO!!!
- Lucros excessivos. - Gritou a vaca.
- Sanguessuga capitalista. - Berrou o pato.
- Exigimos direitos iguais. - Protestou o bode.
O porco, esse grunhiu………Pintaram faixas e cartazes clamando INJUSTIÇA e marcharam em protesto contra a galinha e gritando obscenidades.
Veio um fiscal do governo, veio um sindicalista, chegou ainda um político da oposição e em coro disseram à galinha que não podia ser tão
egoísta…
- Mas eu ganhei esse pão com o meu próprio suor, afirmou a galinha.
- Exacto, essa é a vantagem da livre iniciativa em que qualquer pessoa numa empresa pode ganhar o que quiser mas de acordo com a legislação os trabalhadores mais produtivos têm que dividir o produto do trabalho com os menos produtivos.

Hoje vivem felizes e contentes mas todos passam o tempo a perguntar porque é que a galinha nunca mais fez pão!


retirado de http://www.pedromfonseca.net/wordpress/?p=2308

Talvez se perceba o que tem acontecido em Portugal nos últimos 30 anos. O povo português com iniciativa foi paulatinamente saindo, abrindo negócios em França, Argentina, África do Sul e nós continuamos a penalizar quem trabalha e produz, para dar a quem não faz ou nunca fez nada...

Publicado por cparis em 03:03 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 12, 2005

Deixa-me rir

Tinha prometido a mim mesmo dar a menor importância vísivel as estas eleições. Por vários motivos, que vão desde a imbecilidade da função (única a nível Mundial), passando pelo degredo que é esta campanha, onde o principal objectivo parece ser o de "putos" a medir as pilinhas.

Com isto em mente, dificilmente lerão algo de mim, positivo sobre o tema. E se escrevo este post foi porque não pude deixar de dar uma sonora gargalhada ao ver o outdoor que tenho à saída de casa:

Para UNIR Portugal - Mário Soares

Como é que alguém que não consegue unir os filiados no PS, se pode arrogar à presunção que ele é capaz de unir Portugal...

Mais giro do que isso, foi ver a sondagem do Expresso que dá 1,1 % mais a Soares que a Alegre... Diga-se em abono da verdade, que é muito pouco, para quem se apelida de ser assim tão bom.

Publicado por cparis em 06:38 PM | Comentários (1) | TrackBack

novembro 06, 2005

Alegre novidade

Se dúvidas houvera sobre a importância da candidatura de Alegre, bastava ouvi-lo na sua apresentação de campanha. Está lá tudo o que é preciso - a força das palavras, das convicções e das ideias. A campanha que existe pela positiva e não contra ninguém. Alegre é candidato porque tem ideias, não porque tem medo que outro presidente embargue a construção do aeroporto na OTA e com isso perca dinheiro. Alegre é candidato porque acha importante o cargo de Presidente da República e acha que reune o perfil para o cargo, não porque não queira que outros o assumem.

Alegre será sem dúvida o candidato mais estimulante de toda a campanha. Um discurso de ideias, muitas delas que estiveram aprisionadas na disciplina partidária.

Boa sorte.

Publicado por cparis em 06:40 PM | Comentários (1) | TrackBack