outubro 29, 2005

Rendimento Mínimo Garantido

Alguém se lembra desta ideia peregrina do Rendimento Mínimo Garantido? Onde os socialistas que hoje dizem que a Segurança Social está falida defendiam há meia dúzia de anos atrás que a mesma era um poço sem fundo e que toda a gente devia receber dinheiro quer trabalhasse, quer fosse parasita.

Ver agora o actual ministro dizer que o subsídio de desemprego não é um direito de todos, e lembrar-me que o vi há uns anos atrás a defender que todos tinham direito a receber do Estado mesmo que nunca tivessem produzido nada para a riqueza do mesmo Estado, fez-me ver as voltas que o Mundo dá. E que o meu estômago não as suporta.

Publicado por cparis em 07:03 PM | Comentários (5) | TrackBack

outubro 28, 2005

Justiça

Tenho tido umas semanas de intenso trabalho, e pouco tempo para sequer ouvir as notícias quanto mais ler ou escrever em blogues.

No entanto, ontem enquanto comia fugazmente ouvi uma notícia que de tão aberrante que é, revela o terceiro mundismo em que este país está. Um rapaz de 22 anos, está sujeito a passar 15 anos na cadeia por ter mais de 60 processos de condução sem carta. 60 processos?

Enquanto a notícia falava no quão grave podia ser a pena que ele tinha eu pensava como tinha sido possível haver 60 processos e nenhum deles ter colocado o jovem (os crimes foram cometidos por volta dos 15, 16 anos de idade), uns dias preso.

A pena de prisão a que ele está sujeito prende-se com o facto de ter faltado por diversas vezes a tribunal. 60 processos? Num país desenvolvido, à segunda ou terceira vez a ser apanhado a conduzir sem carta, o rapazinho passaria uma temporada na cadeia. E ficaria com cadastro, o que o faria ver que não podia continuar assim. Aqui protelou-se a acção, dando azo a que o crime se repetisse.

Um pouco o que se passa com a maioria de nós. Os que tentam cumprir a lei, vêm o vizinho a fugir aos impostos, e a sairem sempre impunes e todos nós acabamos a aprender como se foge. Com a casa, com o carro, etc. etc. O estado é de tal forma grave que os cumpridores até têm dificuldade em cumprir a lei. Que se identifique o primeiro caso de alguém que nunca burlou o Estado em nenhuma situação. Somos peritos... Mas com esta (in)JUSTIÇA que temos, vinculada aos piores princípios de esquerda não há esperança.

Não adianta falar nos exemplos nórdicos se não se olhar para o fundamento da mesma. A responsabilização individual é regra nesses países enquanto que em Portugal isso não existe. A culpa é sempre de entidades abstractas (Estado, Democracia, Igreja, etc.) e nunca do indíviduo.

Publicado por cparis em 11:50 AM | Comentários (0) | TrackBack

outubro 23, 2005

Soares sai de mansinho

Lembro-me de Soares a fezer campanha. Terrível de facto. Alia populismo como um certo savoir faire que coloca todos os outros candidatos a milhas de distância. Transpira a politica e marketing político por todos os poros. Viu-se isso na reacção à candidatura de CAvaco. Foi o único que soube não reagir, sendo entrevistado um porta-voz da candidatura. Algo que parecia óbvio, escapou por exemplo a Jerónimo, que foi colocar uma gravata para falar que, sim senhora, ouvi com muita atenção o prof. cavaco, porque é ele o principal motivo da minha campanha.
Soares percebeu a armadilha e não falou. Porque candidato que é candidato tem mais que fazer do que ouvir os outros candidatos. Fez bem.
Ainda me lembro de como numa bela campanha, na Marinha Grande, um incidente de campanha foi exponenciado por Soares de modo a dar-Lhe a vitória. O seu aproveitamento político demonstrou coragem. Soares sabia ao que ia, e ganhou. A garessão de que foi alvo valeu-Lhe muitos votos do dia de voto. Havia ali sagacidade, coragem, ousadia e claro muita esperteza política.
A mesma que o levou a ir ao Cavaquistão no dia que Cavaco falou. Mas depois vi o que nunca esperava ver. Ao ser confrontado por um retornado na entrada de um café, Soares saiu. Ensaiou uma resposta, mas depois saiu de mansinho.... Será velhice? Amolecimento?

Publicado por cparis em 12:29 AM | Comentários (1) | TrackBack

outubro 10, 2005

Vencedores Autárquicos

1. PPD - PSD: Junto ou coligado aumentou o número de Câmaras e de Mandatos
2. CDU: Numa altura em que Miguel de Sousa Tavares alvitrou que o BE poderia afirmar-se como o 3º partido, a CDU mostrou que existe viva e com força.
3. Marques Mendes: por tudo o que tinha a perder, por ter partido de um resulatdo muito bom em 2001, e por ter tido coragem de enfrentar alguns elementos internos, Marques Mendes tinha muito a perder nestas eleições. Mas ganhou.
4. Rui Rio: provou que o povo do Porto pode ser portista no coração e votar com a razão. Muitos não o esperavam, mas Rio está para durar por mais 4 anos. E mais forte do que outrora.

Publicado por cparis em 05:34 PM | Comentários (1) | TrackBack

Vergonhas autárquicas

1. Mário Soares violou a Lei Eleitoral ao apelar ao voto no próprio dia da eleição, disse fonte da Comissão Nacional de Eleições.
Será senilidade?
2. As apreciações de Valentim Loureiro sobre Marques Mendes.
Mais do que diminuir o adversário diminuiu-se a ele próprio.
3. A frase de vitória do Bloco: "Um dos objectivos foi atingido que era o de conseguirmos que Ferreira Torres não ganhasse em Amarante".
Se era esse o principal objectivo podiam ter poupado muito dinheiro em propaganda. Avelino nem esteve lá perto.
4. Felgueiras e Isaltino
O povo distinguiu democracia de justiça. Mas convinha que a Justiça não se deixasse confundir com o Povo.

Publicado por cparis em 05:29 PM | Comentários (0) | TrackBack

outubro 08, 2005

Autárquicas

Agora que a campanha acabou, podemos falar dela. Os resultados são amanhã, mas parece que isso pouco interessa. Foi o meu cansaço, ou foi esta a campanha mais aborrecida dos últimos anos?

Em Lisboa, Carmona vai ganhar. Ninguém quer realmente ter Carrilho como Presidente (excepto a Bárbara), e pareceu ser o único que conhecia os problemas. Curiosa vai ser a votação do BE? Conseguirá ser eleito o homem dos processos?

No Porto, descobrimos que Assis não conhece as pessoas que tem na sua lista. É Rio quem o informa que tem pessoas com Processos disciplinares a apoiá-lo. Os apoios a Assis, são na sua maioria anti-Rio, o que dá a sensação que nem o PS encara com bons olhos a sua eleição a Presidente de Câmara. Parece um pouco como Victor Baptista (aka Vitor Batista) em Coimbra.... Todos os socialistas o apoiam com um sorriso um pouco amarelo, mas estou certo que nem todos colocarão lá a cruz. Mas, reconheço que dos 3 (Lisboa, Porto e Coimbra), Assis é o que tem mais hipóteses. Domingo veremos.

Quanto aos criminosos (Felgueiras e Avelino), a ver vamos o que faz o povo. Eu por mim, vou votar... Mas já tive mais vontade.

Publicado por cparis em 07:18 PM | Comentários (1) | TrackBack