novembro 29, 2004

"Democracia"

Assitir a um congresso do PCP é uma lição de vida.

Obrigados pelo Tribunal constitucional a votação de braço no ar, o PCP resolveu o problema: apneas admitiu uma lista... na verdade a "democracia" comunista assume novas perspectivas. foram poucos os renovadores que foram ao congresso e não é dificil perceber porquê.. Mas mais grave do que isso, foram poucos os comunistas com poder autárquico que foram ao congresso...

O PCP está a seguir o seu caminho.... É aliás o partido mais coerente de todos.... mas a coerência não significa ou não devia significar estagnação de ideias...

É óbvio que o PCP caminha para a sua morte. Que será política ou de ideias. A dificuldade de encontrar jovens na linha dura é tremenda, e é sintomático que haja poucos candidatos a líderes com menos de 60 anos....

O futuro do PCP será sem dúvida diferente do seu presente. Resta saber quão forte será a mudança. Já não há exemplos concretos. Já não há países onde um comunista se sinta no paraíso. Falar de esquerda, é falar do PS e do Bloco e não tanto do PCP.... São cada vez mais um caso isolado, e os comunistas que querem fazer a ponte com outros partidos são ostracizados.

Sinceramente, eu não tenho pena.

Publicado por cparis em 06:34 PM | Comentários (0)

novembro 23, 2004

O(s) erro(s) do PCP

Habituado a discordar com o Barnabé vi-me confrontado com um artigo onde tenho de Lhe dar toda a razão: a proposta de suspensão da lei do aborto do PCP é um erro crasso e típica portuguesa: não se faz nem se deixa fazer.

Suspender uma lei é uma estupidez.... Ou se acha que a lei está certa, ou que está errada. ponto final.

Suspender a lei significa por um lado que vão continuar a ser mortos seres vivos (que para o PCP sabemos que valem menos do que qualquer animal) e por outro lado, como a lei não é revogada o único aborto possível será o clandestino e sem segurança. Ou seja, o pior dos dois mundos.

O segundo erro do PCP é o modo como quer fazer isso. Decidindo contra aquilo que o povo votou. Num partido que se diz do povo, estamos mal.

A lei do aborto, quer se goste dela ou não, é a lei que temos mais democrática uma vez que foi escolhida pela maioria. Aliás é a única que me lembre. Vivemos numa república imposta pelas armas, num regime imposto pelas espingardas e esta lei é a única que resulta directamente da vontade do povo. O PCP mostra que se está a borrifar para o povo.

Aos que vão a correr para a caixa de comentários, recomendo também que a leiam que a comparem com a espanhola e verifiquem se há alguma diferença. Depois digam-me o resultado.

Publicado por cparis em 12:32 PM | Comentários (4)

novembro 18, 2004

O importante e o acessório

Confesso que sinto um pouco de saturação quando observo o panorama político nacional. Age-se para os jornais, tomam-se decisões pelos jornais, discutem-se os jornais.

Portugal está numa fase muito importante onde importava definir estratégias de futuro. A importância deste tempo, prende-se com uma conjuntura internacional favorável aos interesses portugueses que importava aproveitar e ter o país unido em torno de uma estratégia sem olhar a quem manda.

Dizia Américo Amorim que era preciso "deixar a ideia das capelinhas", que continuam a existir porque "todos querem ser presidentes", e que "diminuem" a capacidade negocial dos empresários.

Infelizmente isso é verdade, mas não só na indústria.... E confesso que o meu cansaço surge depois das eleições americanas. Lá tiveram dois meses de luta intensa, escolheram um presidente e agora o americano comum sabe que nos próximos 4 anos vai ter aquele homem como presidente... os que votaram nele porque o elegeram, os outros porque não souberam ser suficientemente convincentes... Nestes 4 anos, a oposição far-se-á no Senado, mas mesmo aí será moderada. Não veremos John Kerry constantemente na TV, nem nada que se pareça.
E nós? Nós passamos uma vida inteira em pré-eleições. Por tudo e por nada somos obrigados a ouvir um deputado de Lisboa, que teve uma mão cheia de votos. Ou ouvimos Francisco Rosas, que não representa NADA politicamente...
Ou enchemos págians de jornais com os candidatos a candidatos à Câmara de Lisboa em eleições daqui a uma eternidade...
Por tudo e por nada, ficamos sem saber quando vão ser as próximas legislativas.

O País nunca é discutido pelas pessoas que realmente podem decidir o que vai ser o País... Andamos a discutir veleidades, e a empurrar pessoas para fora da política....

E quem sai são os competentes, deixando o lugar a Rui Gomes da Silva e afins. Ou a quem tem outra profissão e faz aquilo em part-time....

Este Governo tem um bom punhado de bons ministros. Seria bom ouvir o que eles têm a dizer. Quais são os seus planos... Seria bom definir estratégias para Portugal 2010 e isso teria de ser feito com a Oposição... Que bom que isso seria... Aí valeria a pena discutir política.

Até lá, sinto um enorme cansaço para discutir bagatelas e palhaçadas...


Publicado por cparis em 11:56 AM | Comentários (2)

novembro 12, 2004

Comportamento Sexual

Carlos Castro na entrevista ao Independente refere a determinada altura:

"Em África morrem milhões vítimas de sida e a Igreja proíbe o uso do preservativo. Isto é um assassínio."

Curiosamente é em África que existe o único país que tem vindo a diminuir o número de infectados graças à campanha ABC (que creio vir de: Abstinence, Behaviour and Condom....). E creio ser de todo a única solução: mudança de comportamentos, uso de preservativos e abstinência... para mim são todos igualmente importantes e nenhum funciona sem os outros.

Por isso, a afirmação vale o que vale, mas poderia ser deste género: na Europa morrem milhões de vítimas de sida e os cronistas sociais incentivam comportamentos de risco. Isto sim é um assassínio.

Publicado por cparis em 07:07 PM | Comentários (4)

novembro 11, 2004

Há mar e mar

mas não se entendem sobre quem manda nele.... para quem anda confuso como eu, sem perceber se Portugal perdeu, ou não, autoridade sobre a sua ZEE, recomendo este artigo no portugal diário onde são colocadas as duas versões.

PS. podem também ler este artigo de Teresa de Sousa no Público

Publicado por cparis em 05:37 PM | Comentários (0)

novembro 09, 2004

Fanatismo

A vitória de Bush foi conotada com a vitória do fanatismo religioso... Não posso comentar esta afirmação por desconhecer a realidade americana. O que sei é que a derrota de Kerry provocou pelo menos um suícidio e não me recordo de acto mais fanático do que atentar contra a própria vida.

Publicado por cparis em 03:14 PM | Comentários (3)

novembro 08, 2004

Presidenciais

Cavaco Silva será obviamente o único candidato que resta a Santana Lopes. Escolher outra personagem poderia criar cenários terriveis em caso de derrota. Além de que se Cavaco mesmo assim concorresse e ganhasse (ou pelo menos tivesse mais votos que o candidato de PSL), seria uma derrota para Santana Lopes.

Apoiar Cavaco Silva, será limitar os danos em termos de derrota e potenciar os ganhos em termos de vitória. PSL sabe disso e Cavaco sabe disso.... E ambos sabem que o outro sabe. Até lá será apenas um jogo de saber quem dará o primeiro passo. Como Santana Lopes corre o risco de ouvir um "não" rotundo, é óbvio que terá de ser Cavaco.

Publicado por cparis em 05:04 PM | Comentários (2)

novembro 05, 2004

Ateismo ou anti-religião

Muito se tem falado sobre a influência da religião na política. Legítimo e interessante. Mas o que começo a denotar é um crescente movimento anti-religião disfarçado de ateismo laicicidade.

Ser laico, não significa ser anti-religioso. E fazer ataques cobardes como Francisco Rosas fez ao dizer que Rocco disse que "a homossexualidade é um crime" revela a falta de principios e de estatura intelectual deste comentador.

Rocco disse que "a homossexualidade é um pecado" não um crime. E a diferença é enorme, e Rosas sabe bem. Desde logo, porque para a ICAR todos somos pecadores e pelo menos eu (quanto a Rosas não sei) não sou criminoso.

Aliás Portugal, nesta 3ª República é dos poucos países que proíbe, ou seja censura, partidos confessionais. Podemos ter partidos monárquicos, mas não religiosos.... Aliás podemos ter celebrações maçónicas de altas figuras do Estado presentes, mas não religiosas. Não perceber que esta perseguição à ICAR tem fundamentos espirituais que nada têm a ver com laicismo é um erro.

Na América temos um Presidente que diz que confia em Deus. Em Portugal o Presidente tem que dizer que é laico.

Publicado por cparis em 01:59 PM | Comentários (11)

o Ruído

Miguel Relvas resolveu comentar a vitória de Bush com uma singela frase:


o ruído não perturba nem derrota quem tem uma linha de rumo

Sendo verdade, Miguel Relvas terá é de explicar qual a linha de rumo que o Governo tem nesta altura.

É que o ruído também não governa nem define linhas de rumo.... E há muita gente a falar e poucos a governar (salve-se honrosas excepções - Mexia, Barreto, Bagão)...

Publicado por cparis em 11:30 AM | Comentários (0)

novembro 04, 2004

Asshole

Alguém na CNN colocou no ar uma foto do George Bush, a ilustrar uma notícia. Tudo estaria bem se a referida foto não se chamasse asshole.jpg. :-D

A notícia já saiu do ar, mas fica aqui uma captura do ecrã feita pelo GeoDog.

Publicado por cparis em 11:23 PM | Comentários (0)

pensar portugal

Andava à procura de informação sobre uma determinada senhora quando li o que ela escreveu e não posso concordar mais:

Como é que nos deixamos ainda enredar por entusiasmos efémeros como o Euro 2004 ou como é que o País pára nos sucessivos meses de verão, quando tudo vai de férias? Quando é que seremos mais maduros, mais consistentes e mais profundos? Mais sistemáticos? A aparente contundência com que analisamos a realidade nacional e com que emitimos opiniões, críticas e desenhamos soluções, esboroa-se a cada dia que passa, sem aplicação prática, sem continuidade que a permita, sequer, testar. Porquê? Porque somos, também, demasiadamente académicos, no sentido que temos excessivo prazer em falar das coisas, e pouco, muito pouco prazer em fazer com que as coisas aconteçam. Dá mais trabalho.

A senhora é Guta Moura Guedes, bem mais bonita que a prima, e considerada a nova santanete. Eu, que só lhe conheço este texto, tenho que dizer que transmite ideias claras e correctas.

Publicado por cparis em 03:46 PM | Comentários (0)

novembro 03, 2004

Azia à esquerda

Tudo indica que Bush vai ganhar gerando uma enorme azia numa esquerda europeia que se acha o centro do mundo. Os argumentos anti-Bush, muitos deles completamente desonestos não tiveram praticamente nenhum efeito na América.

De todo o país creio que apenas um estado (New Hampshire) mudou de cor nestas eleições, e por uma diferença inferior a 10.000 votos.

A somar à vitória de Bush, há que contar com a saborosa vitória dos Republicanos no Senado, onde garantiram uma maioria confortável tendo até ao momento mais 3 lugares que nas últimas eleições.

Dito isto vê-se que Kerry foi sem dúvida uma péssima escolha. Não acrescentou nada a Al Gore. É verdade que Kerry (e os seus apoiantes) podem argumentar que não perdeu nada, mas era preciso mais qualquer coisa do que meias verdades e insinuações torpes.

É confrangedor verificar que na grande maioria dos Estados ganhos por Kerry, a votação no Senado é muito mais expressiva que em Kerry, mostrando claramente que este ganhou a reboque do apoio já instalado e que nada acrescentou.

A azia instalada já está a prever o pior para o mundo. Assim dormirão felizes. Ou estarão errados e o mundo estará melhor, ou terão o consolo no infortúnio de terem tido razão...

Na minha opinião, aquilo que verei é Alemanha e França a repensarem a sua relação com os US. Aliás a escolha de Barroso para a CE foi disso um claro sinal... Dos homens da cimeira dos Açores apenas Aznar saiu e Tony Blair não tem mais poder do que na altura. Fora hoje e haveria muito mais gente na fotografia.

Publicado por cparis em 04:08 PM | Comentários (4)

novembro 02, 2004

América

As eleições americanas normalmente passam-me ao lado. Distingo poucas diferenças entre a intervenção de Clinton no Kosovo (à revelia da ONU) ou de Bush no Iraque.
Fico contudo espantado quando vejo o Bloco de Esquerda a apoiar Kerry. Eu sei que Kerry é denominado "esquerda" na América, mas para o espectro político dos americanos, ser comunista é não existir. Kerry é nas suas convicções e ideais, mais à direita do que o socialismo europeu e do que grande parte dos sociais democratas portugueses.
Kerry ganhar será certamente uma vitória dos democratas americanos, nunca uma vitória onde a esquerda (ou a extrema esquerda) europeia se possa rever.
Quanto a mim, é-me brutalmente indiferente. Gostei de Clinton e gostei de Bush. Preferia que Bush ganhasse, porque com Kerry, veremos alemães e franceses com nova alma na Europa e isso incomoda-me, mas estou certo que ganhe quem ganhar, os US manterão o seu rumo no âmbito da política externa.

Publicado por cparis em 04:05 PM | Comentários (0)