março 31, 2004

Soares e Saramago

Impressionante o número de vezes que o Soares (sénior) apareceu na televisão.... Parece que tem algo a dizer ou alguma coisa a ensinar.... Mas não.... Soares esquece-se que o eleitorado de agora não viveu o 24 de Abril, mas o 26 de Abril.... e sabe o que sofreu.

Mais patético do que as frases de Soares sobre terrorrismo, só as perguntas idiotas de Saramago: "E se 80% dos votos fossem votos em branco?" Esse cenário não iria existir nunca e pensar sobre ele interessa tanto à Humanidade como "E se Saramago se transformasse num burro?"

Publicado por cparis em 02:42 PM | Comentários (6)

março 26, 2004

Causa Nossa; Ignorância Vossa?

Este artigo é referente a um artigo de Ladislau Durão de Sá publicado no causa nossa.

Não sei quem é Ladislau Durão de Sá, mas a sua inclusão no selecto painel de comentadores do causa nossa pressupõe que alguém o conhece.

O artigo do Ladislau reporta-se à pergunta "O que ganhou Portugal com o apoio do governo de coligação PSD/PP à intervenção dos EUA no Iraque?"

O autor propõe respostas mais ou menos idiotas para as ir desmontando. Repare-se nas pérolas:
"Poucos, como os portugueses, saberão tão bem abraçar e amar a diferença." Claro que nesta diferença não se pode incluir os americanos. Aliás cooperar com eles é sinal de :"O servilismo tem um preço. "

E por último a tirada ignorante. "quantos contratos foram ganhos pelas empresas portuguesas? " revela que não faz uma mínima ideia dos interesses portugueses na área. Pergunte ao seu amigo José Lamego, ou mesmo a Marçal Grilo que eles respondem.

A intervenção no Iraque teve dois objectivos e um deles é obviamente os dos negócios. Daí o silêncio francês, o país que mais perde com este movimento. Portugal não só garantiu novos negócios, como garantiu a estabilidade dos que por lá possuí.

Terá sido isso justo? Bem, claro que não. Justo é ver portugueses morrerem para outros ficarem com o petróleo. Tem sido esse o padrão socialista desde sempre, daí a surpresa... parece que finalmente Portugal entra num conflito armado com hipótese de no fim ganhar alguma coisa...

Publicado por cparis em 05:53 PM | Comentários (1)

março 23, 2004

Empréstimos de livros

Recebi no meu e-mail a informação de que "graças a uma daquelas mudanças na legislação que ninguém percebe bem, a Comissão Europeia quer que as bibliotecas passem a pagar às editoras para emprestarem os seus livros ao público".

Numa altura em que as livrarias se tornam mais em espaços abertos convidando à leitura no local, este tipo de medidas não se percebe.

De imediato me saltaram à memória os meus momentos de míudo, onde a Biblioteca Municipal era a minha fornecedora de aventura e emoção. Filho de família modesta, que fora saqueada no 25 de Abril, dificilmente teria chegado onde cheguei sem a possibilidade de alimentar os meus sonhos naquela minúscula biblioteca que me enchia de prazer.

A BAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas - apesar de ter pouca atenção para siglas mostrou estar atenta ao assunto e está a fazer uma petição para tentar evitar esta monstruosidade: http://www.petitiononline.com/PetBAD/petition.html

Acho que merece o Vosso tempo.

Publicado por cparis em 05:08 PM | Comentários (1)

março 19, 2004

Regionalização

Nunca fui um adepto fervoroso de uma regionalização cujo objectivo é distribuir benesses por meia dúzia de presidentes de câmara. Mas sou sempre receptivo a ideias que valorizem o que de bom se faz pelo país fora. Dois casos esta semana me deixam perplexos

1. Entidade Reguladora da Saúde vai para o Porto a pedido de Rui Rio.
Mas porquê? Em Lisboa perceberia, e se tivesse de ser fora de Lisboa, Coimbra teria de ser a cidade escolhida. Estaria Coimbra a dormir? É que em termos de Saúde, Porto não tem o mínimo de comparação com a excelência dos serviços que são prestados em Coimbra.

2. Gilberto Madail acha que Jamor não tem condições. Sugere os estádios do FCP, do SCP e do SLB.
Acho estranho que o Jamor tenha perdido as condições num ano. Mas a mudar porquê alimentar os grandes? Seria mais lógico escolher os estádios de Leiria ou de Coimbra. São estádios com condições, com segurança e que estão equidistantes das duas equipas.

Publicado por cparis em 04:11 PM | Comentários (3)

Nojo e Desprezo

Nojo e desprezo é só o que consigo sentir ao ouvir Mário Soares apontar como exemplo de se lidar com o terrorrismo a descolonização que fez. De facto, Portugal portou-se brilhantemente: entregou à outra parte tudo o que esta queria, e deixou que milhares de portugueses fossem roubados de tudo o que possuiam: de um trabalho, da sua casa, e nalguns casos da sua vida.

Soares tenta agora passados estes anos reescrever a história. Ele sabe a m**** que fez, e por isso nunca ousou falar nela em nenhuma campanha... Agora, trinta anos depois, tenta limpar o seu nome de um acto canalha e assassino em que esteve envolvido.

Publicado por cparis em 04:00 PM | Comentários (6)

março 18, 2004

Segurança

Acho piada ouvir alguma esquerda falar em segurança: começam o debate a dizer que o país deve estar preparado para ser o mais seguro da Europa... acabam o debate a dizer que não vão admitir "repressões sobe as liberdades e garantias das pessoas".... no meio nem uma palavra (ou uma ideia) sobre como se consegue este equilíbrio entre segurança total e liberdade total.

Publicado por cparis em 12:31 PM | Comentários (3)

março 17, 2004

A ler

Este artigo de Miguel Sousa Tavares merece ser lido. Não para concordar totalmente, mas pela clareza como aborda temas como aborto, adopção por homossexuais, presidenciais entre outros....

Publicado por cparis em 02:32 PM | Comentários (4)

março 16, 2004

A nossa esquerda

A nossa esquerda está exultante com a vitória em Espanha. Dá-lhes tanto gozo, que até parece que aplaudem o facto de terem sido colocadas bombas nos comboios. Infelizmente foi o pior que podia ter acontecido.

1. A ETA ficou a saber que nunca foi levada a sério, nem pela esquerda nem pela direita. Que o seu erro foi nunca ter ido a Madrid e morto 180 pessoas de uma vez. Há lições que nunca se devem dar, e esta a ETA não irá esquecer.

2. Espanha passou de uma situação de soberania para uma situação de submissão clara a todo e qualquer interesse islâmico. Terá de pensar duas vezes antes de legislar a respeito de assuntos religiosos, ou de imigração. Espanha passou a ser um país onde quem manda é a força da bomba e do medo.

Curioso que a Esquerda tenha acusado Espanha de "seguidismo" aos americanos em relação a Aznar e não perceba que neste momento está a agir "subjugada" pelos interesses da Al Qaeda.

Publicado por cparis em 10:31 AM | Comentários (2)

março 15, 2004

A vitória da cobardia

A vitória do PSOE deve ter um sabor amargo para Zapatero. Porque é a vitória do medo, da cobardia. Além dos votos merecidos pelos seus ideais, o agora ministro espanhol, contou com os votos de todos os que mudaram de opinião derivado do medo que sentiram. Creio que foi um péssimo resultado para a Espanha e para a Europa.

Publicado por cparis em 11:54 AM | Comentários (6)

A refletir

No Expresso a notícia da quebra de vendas de vinho em França que está a levar algumas quintas à falência. Resulta isto de vários motivos (como o elevado preço do vinho francês), sendo o mais forte o apertado controlo policial nas estradas. Em contrapartida tal controlo fez com que o número de mortos na estrada em França diminuisse 22%.

Publicado por cparis em 10:40 AM | Comentários (0)

março 11, 2004

Pesar

Por todas as vítimas do acto terrorista em Espanha.

A esta hora a ETA ainda não reivindicou o atentado e parece-me que nunca o irá fazer. Porque a ETA sabe que atentados deste calibre não têm qualquer justificação.

Publicado por cparis em 05:59 PM | Comentários (5)

março 10, 2004

Magníficos

Magníficos... os primeiros 10 minutos da transmissão do jogo do Porto. Sem comentadores e só com som ambiente. Pode ouvir-se a claque do FCP e a do Manchester, em grande estilo, a rejubilar com a entrada das equipas.
Foi pena não ter sido sempre assim e ter de se ouvirem comentários que a maior parte das vezes apenas serviam para "encher".

Publicado por cparis em 02:59 PM | Comentários (1)

março 08, 2004

McDonalds e Euro 2004

Anda p'raí um conjunto de pessoas sedenta que algo corra mal no Euro'2004 para bater no ceguinho.... É impressionante vê-las na televisão a salivar ansiosas pela chegada de tão maravilhoso evento que pela sua grandiosidade certamente lhes dará razão.

Desta vez foi a McDonalds que impede crianças deficientes de participar numa das suas actividades. Críticas e mais críticas da brigada dos críticos. Só que cometeram vários erros:

1. A crítica deixa de fazer sentido a partir do momento que se diz que as crianças terão "de passar mais de 5 horas no estádio em actividades físicas exigentes que implicam corridas, aprendizagem das coreografias, participação no ensaio, actividades lúdicas, etc. Não há nada pior do que desiludir uma criança, que chegada a hora de participação, sente que não tem condições para concretizar as actividades deste dia, dia que se pretende que seja de sonho e não de desilusão!"

2. A McDonalds é das poucas empresas em Portugal que se pode orgulhar de ter nos seus quadros pessoas com deficiência. Já agora, quantos deputados estão na Assembleia da República que possuem algum nível de deficiência? Ou nos jornais? Ou que são pivots de informação?

3. A McDonalds é uma empresa à escala mundial. Como tal já está largamente habituada a este tipo de hipocrisias. Dai apoiar várias instituições e tendo a sua própria (Ronald McDonald)

Pena que não haja mais empresas que tenham a mesma política para com os deficientes que a McDonalds.

Publicado por cparis em 02:28 PM | Comentários (4)

março 04, 2004

Orto

Foi realmente interessante ver a sessão do Parlamento sobre a votação do aborto.

O PC resolveu chamar Odete Santos e Ilda Figueiredo para provar que tem mulheres no Partido. Giro é ver a Odete dizer: "os partidos de direita acham que o aborto é uma coisa de mulheres e como tal não lhe dão importância". Já vimos que no PCP a coisa é diferente.
No PS o embaraço de Ferro Rodrigues não poderia ser maior. Ao seu discurso inflamado reagiram um punhado de socialistas que não só não faltaram, não se abstiveram mas pura e simplesmente votaram NÃO.

Interessante é ver que na Imprensa generalizada ninguém comenta que esta Esquerda já teve maioria e nada mudou. Pelos comentadores políticos nada de novo.Ninguém dá valor a um referendo (dos poucos que se fizeram), mas depois vão apelar ao voto.

Publicado por cparis em 04:36 PM | Comentários (3)

Janela Fechada

Sempre gostei de ir espreitar no parapeito. Sabia quem era a autora e confesso que sempre me surpreendeu o porquê de gostar do blog.
De facto nunca apreciei muito o trabalho dela na informação, sempre me lembro de discordar em quase tudo com o seu pai, mas o blog era diferente. Era genuíno e sem pretensões de agradar a ninguém e no entanto agradava. E bastante. Desejo que a autora reconsidere, crie um novo blog e não diga a ninguém que é dela. Só a mim, sff.

Publicado por cparis em 04:17 PM | Comentários (0)

março 03, 2004

O Aborto do PS

É simplesmente nauseabundo ver o PS colar-se às posições do PCP e do BE na discussão do Aborto.
O PS e a restante Esquerda tiveram maioria ate há dois anos atrás. Podiam ter mudado a lei. Não o fizeram porque dentro do PS não havia acordo. Não venham agora hipocritamente acusar a direita do que quer que seja. Nem reescrever a história.
O PS na altura, cobardemente, inventou um referendo para não assumir o ónus de mudar a lei. E agora assume uma posição que na altura que era preciso não teve coragem para a assumir.
Já agora, uma última palavra para os democratas da esquerda - assim se vê o valor que dão ao povo quando este se manifesta em referendo. Se concordamos o povo é soberano, se não concordamos não se volta a perguntar mais nada e legislamos como queremos. Para mim é mais do que óbvio que um referendo só pode ser contrariado por outro referendo.

Publicado por cparis em 02:51 PM | Comentários (2)

março 02, 2004

Despedida

Ultimamente, por via das circunstâncias e quanto mais não seja pelo tempo livre, tenho refletido muito no que realmente é importante da vida e as atitudes que tomamos em relação a ela.
Tenho-me sentido mais calmo e vão-me chamando à atenção pequenas coisas, como esta despedida do azul limão

Um beijinho (pelo que foi)
Um adeus (pelo que é)

Publicado por cparis em 06:28 PM | Comentários (0)

Adopção por homossexuais (II)

Estive tentado a não responder ao rol de críticas que o meu post anterior sofreu. Seria o mais fácil. Mas algumas questões, pelo modo como foram colocadas merecem-me muito respeito :
Cara AssumidaMente,
Quanto à formalização da união, ponto menos importante para mim, se já existe esse reconhecimento tenho a certeza que seria fácil encontrar uma solução.
O segundo ponto, para mim, é o mais importante. AssumidaMente julga ser uma falsa questão. Eu também não tenho a certeza de ser questão, mas como passar o dilema? Arriscar com a vida de algumas crianças e ver no que dá?
Se AssumidaMente conseguir explicar como é que uma criança diz que os pais são duas mulheres sem ser discriminada por isso, ou sem mais tarde se sentir revoltada por isso, é provável que se mude de ideias. Até lá o que temos são incertezas e com elas os medos e o conservadorismo.
É óbvio que o facto do casal escolhido ser heterossexual não significa isenção de erro, mas é aquele que dá mais garantias. Querem um sistema de adopção com menos garantias? Estão no Vosso direito, mas não me podem exigir que concorde.

Publicado por cparis em 05:26 PM | Comentários (7)