maio 25, 2004

Congressos

Sempre achei interessante acompanhar os congressos do PSD. Este ano não. Não havia nada a discutir, nenhuma corrente a tentar ganhar protagonismo, nada. Essa foi a primeira vitória de Durão: marcar um congresso para uma data sem polémica.

Depois a saída do ministro. Foi uma péssima escolha de Durão, e era a única coisa possível de ser feita. Para limpar-Lhe a honra e dar espaço ao próximo, demitiu os secretários de Estado, sendo que ao mais importante garantiu-Lhe um lugar no Partido.

Paulo Pereira Coelho, sai de presidente da CCR-C para o lugar de Miguel Relvas. Escolha aplaudida por muitos, uns porque reconhecem competência, e outros poque vêm vagar um lugar apetitoso. A CCR-C está livre e candidatos não faltam. O jornal aponta Álvaro Amaro que está a fazer um belíssimo trabalho em Gouveia, ou Nuno Freitas (sendo esta hipótese mais remota). Se fosse eu, juntaria o nome de José Manuel Alves, conhecido pelos autarcas da Região e com capacidade de liderança.

Mas este é o próximo desafio de Durão: garantir que o PSD não se vai canibalizando na procura de lugares de topo. Garantir que sempre um ministro caia, não haja nas fileiras do PSD gente contente da vida, porque vê hipótese de progredir na carreira. Foi isso que ajudou a matar Guterres.

Publicado por cparis em maio 25, 2004 11:31 AM
Comentários