março 19, 2004

Nojo e Desprezo

Nojo e desprezo é só o que consigo sentir ao ouvir Mário Soares apontar como exemplo de se lidar com o terrorrismo a descolonização que fez. De facto, Portugal portou-se brilhantemente: entregou à outra parte tudo o que esta queria, e deixou que milhares de portugueses fossem roubados de tudo o que possuiam: de um trabalho, da sua casa, e nalguns casos da sua vida.

Soares tenta agora passados estes anos reescrever a história. Ele sabe a m**** que fez, e por isso nunca ousou falar nela em nenhuma campanha... Agora, trinta anos depois, tenta limpar o seu nome de um acto canalha e assassino em que esteve envolvido.

Publicado por cparis em março 19, 2004 04:00 PM
Comentários

Concordo consigo.
Ultimamente, cada vez que Mário Soares fala é só para dizer dispatares. Felizmente, que Sampaio está a milhas de distâncias relativamente à conduta (vergonhosa) de Soares.

Afixado por: Peixoto em março 19, 2004 04:11 PM

O homem está completamente xéxé, pode ater ser Alzeihmer, quem sabe? Agora a Comunicação Social fazer eco das imbecilidades que ele começou a debitar de há uns tempos para cá, confesso que me irrita de sobremaneira.

Afixado por: O Velho da Montanha em março 19, 2004 07:18 PM

Apenas uma correcção...Soares não fez m****. Soares fez MERDA e, não contente com o cagalhoto, continua a defecar-nos aos ouvidos..

Afixado por: hp em março 22, 2004 01:46 PM

Em entrevista à SIC-Notícias, Mário soares tem algumas frases que me deixaram perplexo. Por um lado parece um retrocesso à sua tomada de posição, uma aproximação com a "normalidade" da esquerda em relação a este assunto. Mas por outro, principalmente quando faz referências ao líder "abatido" do Hamas parece que sofre de uma amnésia aguda. O que gostaria de ver esclarecido agora por parte de Mário Soares é em que medida esse líder, coitadinho, doente, inválido, com as suas tomadas de posição e influência fomentou um sem numero de atentados? E se assim foi quantos inocentes perderam a vida pela voz omnipresente desse mesmo líder?

Sendo assim, em que ficamos? No meu ponto de vista apenas se trata de um papá a tentar criar uma rampa de lançamento para um filhinho que não tem a mínima capacidade para se lançar a voos como aqueles que são exigidos a um partido com a responsabilidade do PS.

«Não diga negociação... Diga conhecimento, diálogo. Eu quis provocar um choque psicológico, não podemos ficar no pensamento único. E falei em negociação para suscitar esse problema, para pôr as pessoas a pensar»

«Um tetraplégico, o guia espiritual do Hamas, um homem doente, que estava numa cadeira de rodas»

«Eu acho que não se deve ceder, não nos devemos pôr de cócoras perante a Al-Qaeda. Antes pelo contrário. E devemos utilizar a força. E não devemos desarmar. Mas não devemos utilizar só a força, também a inteligência, o diálogo e o conhecimento».

AJFerrão
http://inopinado.blogs.sapo.pt/


Afixado por: ajfERRÃO em março 30, 2004 09:45 PM

por que razão não escreves merda em vez da merda das estrelinhas????????

Afixado por: Cândida em abril 18, 2004 05:18 PM

Cara Cândida,

Seja merda então.

Afixado por: cparis em abril 23, 2004 12:11 PM