janeiro 22, 2004

PSD, aborto, eleitorado

O Bloguítica (post [200] e [201]) vem falar na velha tese de que o PSD actua no aborto a reboque do PP. Cita um conjunto de sondagens onde, segundo ele, dois terços das pessoas têm uma opinião diferente do PSD.

Acho espantoso estas afirmações e convicções baseadas num qualquer estudo encomendado que se adapta a alguns desejos íntimos. Senão vejamos:

1. O primeiro referendo sobre o aborto foi conseguido graças ao empenho do PSD, pelo seu líder Marcelo Rebelo de Sousa. Foi o PSD quem sempre defendeu esse referendo (quando uma maioria na Assembleia se preparava para votar favoravelmente a lei).

2. O eleitorado, o que vota, não o de Lisboa que é interpelado na rua pelos meninos da Universidade Católica, sempre apoiou o PSD nessa matéria. Votou no referendo e votou mais tarde no PSD, com Durão a dizer que respeitava o referendo.

3. Esse mesmo eleitorado votou o PP como terceira força política. Se os 8% do PP são assim tão discipientes, então que dizer das opiniões do PCP e do BE? Espero que o bloguítica não esteja a sugerir que apenas as opiniões do PS e do PSD é que contam?

O que o bloguítica não quer reconhecer é que o PSD sempre defendeu um referendo para o aborto, desde a primeira hora,e que depois de o provocar não vai convocar outro só porque alguém não concorda com o resultado.

O mais interessante é saber que o PS também não defende, unanimemente, a despenalização do aborto. Acho curioso, muitíssimo curioso, que nenhum jornalista tenha ido entrevistar António Guterres para recolher a sua opinião. Seria deveras interessante.

E o que não diz, é que tiro no pé deu o PS quando com base em sondagens como esta foi para referendo a primeira vez. O PS e a esquerda partiram confiantes para uma vitória que seria nada menos do que triunfal. Só que enganaram-se e foram enganados por "líderes de opinião" que não conhecem minimamente o País. Tente repescar algumas das sondagens da altura e compare com os resultados.

(PS) Quando falo em desejos intímos, não me refiro concretamente aos seus.
É que se eu for eu a fazer as perguntas das sondagens, obtenho de certeza resultados bem diferentes...

Publicado por cparis em janeiro 22, 2004 05:46 PM
Comentários

A propósito de métodos de sondagens lembro-me de um episódio do "Sim, Senhor Primeiro Ministro" em que o maravilhoso Humphrey explicava ao apatetado secretário do PM como obter respostas opostas para uma mesma questão jogando com os preconceitos do entrevistado. Cada vez que vejo sondagens destas lembro-me dessa pequena lição de politica.

Afixado por: Afonso em janeiro 22, 2004 06:43 PM

Como sabemos, as sondagens feitas com base em inquéritos, aos quais as pessoas respondem sem estarem minimamente informadas e motivadas e, muitas vezes, sem interesse algum, possuem uma base científica muito frágil.
As sondagens sobre um qualquer tema específico (aborto, greves, regionalização, etc.) não têm a mesma validade que as sondagens sobre as eleições, estas sim realizadas com base nos resultados de eleições anteriores e, portanto, com um maior rigor científico.
Logo, as sondagens que quase todos os dias nos aparecem na comunicação social pouca validade possuem.

Afixado por: Peixoto em janeiro 23, 2004 11:18 AM