outubro 01, 2003

Viva Espanha - Aborto

O Viva Espanha tece umas linhas interessantes sobre este tema e que importa ir respondendo.

1. O Daniel Oliveira diz (nos comentários) que "a legalização do aborto não é uma questão da esquerda. É uma questão de civilização". Também diz, entre outras coisas, que importa derrotar "o conservadorismo mais serôdio". No outro lado fala na exploração da ignorância do povo.

São tipicamente insultos fáceis reflexo de uma pretensa superioridade intelectual. Do género: quem não concorda comigo só pode ser bárbaro, ignorante e que vive no passado. Posso estar errado. Mas já agora, pedia que o Viva Espanha tentasse classificar este tipo de expressões.

2. Sei que, por lei, o referendo não foi vinculativo. Para mim quem se recusa a expressar o voto é porque acha que a sua opinião é indiferente para o desfecho final. Se esta opinião é redutora, venha outra. Já agora uma que explique como é que numa nova votação se consegue maior adesão. Porque não hão-de existir dias perfeitos, nem campanhas perfeitas, nem perguntas perfeitas.

3. Quanto a repetir o referendo, só gostaria que tanto o Viva Espanha como o Daniel Oliveira me explicassem quais são os critérios para isso ser feito. A minha pergunta é tão simples quanto isto: Se o SIM ou o NÃO ganhar, faz-se um novo daqui a 5 anos? Quando é que o resultado de um referendo é definitivo? (sabendo de antemão que poucos ou nenhuns referendos atingirão os 50%).

4. Defendo a VIDA de todos. Dos fetos, como dos deficientes em estado avançado, como dos criminosos ou dos doentes em último grau. Não creio que o Miguel esteja a insinuar que só devem viver aqueles que têm garantido um determinado nível de qualidade de vida.

5. Se percebo o que entende por celebração do amor, não concordo quando fala neste acto como o estado privilegiado da vida. E a relação entre isso e a defesa da VIDA é bastante forçada. Indo por esse caminho, e não quero, poderia então colocar-se questões como: porque será que os que por opção não querem gerar vida naturalmente, são os principais defensores do aborto. Acho arriscado ligar as duas coisas e muito dado a más interpretações. Preferia centrar-me na questão 3. Também podemos falar na 4, mas a realidade é que já muito foi dito.

Publicado por cparis em outubro 1, 2003 09:00 PM
Comentários