junho 09, 2012

Paciência?




Paciência paciência, conheço umas quatro:

- a paciencia revolucionária de VG com os reaças do PREC;

- a paciência do VPV com o sec. XIX;

- a paciência do VGM com o acordo ortográfico de 1945 e seus gloriosos antecedentes;

- a paciência manuelina para aturar os ministros da saúde dos melos e dos espiritos santos;

- e a terrífica paciência do japonês, segundo Fernão Mendes Pinto via Zeca Afonso.

Assim sendo, aqui vai pela terceira vez a parábola, toda explicadinha pelo próprio Zeca:

-



Publicado por samartaime às 10:27 AM | Comentários (0)

maio 28, 2012

corta-relvas para piquenicão
no Terreiro do Paço




para pessoas adultas:

HONDA_IZY_41_P.jpg


para pessoas sensíveis:

HF_2315_SBE_HONDA.jpg



E não se esqueça que as máquinas japonesas são uma ótima alternativa às alemãs!


Publicado por samartaime às 03:12 PM | Comentários (0)

maio 25, 2012

Tudo velho na frente lusitana



publico.png

publico a (2).jpg


portu_expresso.jpg


atualização

Adjunto de Miguel Relvas demite-se

Adelino Cunha, adjunto do minsitro Miguel Relvas demitiu-se ao ser questionado pela revista "Sábado" sobre umas mensagens trocadas com o ex-espião Jorge Silva Carvalho.

11:26 Sexta feira, 25 de maio de 2012
Última atualização há 3 minutos
Ler mais: http://expresso.sapo.pt/adjunto-de-miguel-relvas-demite-se=f728560#ixzz1vsV8D3xF





Publicado por samartaime às 01:42 PM | Comentários (3)

Canção da paciência
que não há duas sem três







Publicado por samartaime às 10:26 AM | Comentários (0)

maio 23, 2012

Achega à desobediência civil




Hoje fui à botica e mal passei a porta, respirei: estava vazia. Fiquei muito feliz e tratei de exibir a minha receita crónica. Caramba, há anos e anos que não tinha a farmácia ao meu dispor.
- Leva tudo?
Tudo?! Eram só as três caixas de comprimidos que ele costuma aviar-me. Foi-se o feitiço, lembrei-me das engenharias financeiras relativas aos genéricos e à baixa de preços dos medicamentos. Um fartote.

Dei o sim e entreguei-me à engenharia: pai nosso, vinde a mim o vosso reino e equiparados, q.b., etc.. E lá fui à reboleta pela linha de montagem e na grande roda dos alcatruzes até que acabei com os bolsos virados do avesso e só algum cotão de circunstância à mostra.
Gaita! 57€ o raio que os parta duas vezes por mês, mil vezes por mês, nove milhões de vezes por mês. Amen, isto é assim seja.

E assim seja em todo o SNS:
das taxas moderadoras à ausência de médicos;
das listas de espera às consultas em dia de são nunca;
do fecho de maternidades à extinção de apoios de proximidade;
da falta de transporte gratuito para tratamentos tão «fúteis» quanto a hemodiálise, a quimio ou a rádio, à morosidade das cirurgias.

O Sr. Ministro hoje da Saúde, quando passou pelos impostos fechou a época mandando rezar uma missa de graças. Achei curioso mas engoli o espanto por uma questão de delicadeza.

Com o volte face dos tempos, hoje preocupo-me com as finanças do Ministro.
Temo que acabado o presente tirocínio na Saúde o Sr. Ministro não tenha dinheiro bastante para mandar rezar as competentes missas pelas almas da Esperança de Vida e da Mortalidade Infantil, bem como pela alma de muitos milhares de portugueses que, pela certa, morrerão de um qualquer surto gripal fora de época, quiçá de crise aguda de caspa.




Publicado por samartaime às 05:01 PM | Comentários (0)

maio 19, 2012

Começou a caça aos ganbuzinos




O ministro Relvas, elegantíssimo e de pena de cauda de faisão no chapéu, pegou na sua melhor fisga de estimação e fez-se aos campos numa brava surtida aos gambuzinos passantes.

Cansado dos «trabalhos ciclópicos da governação» (*) e um pouco almareado pela riqueza de oxigénio do ar livre, eis que Relvas confundiu o jornal Público com as orelhas de planador tipicas dos gambuzinos e vai daí amandou uma valente e enlameada fisgadela na editora de política do jornal.
Mas eis, hélas!, que a pedrada fez ricochete e deixou o ministro de nariz à banda.

Cruzes credo que a democracia vai linda:
uns abafam gravadores, outros oferecem dichotes no ciber.

E depois estranham as votações gregas.


(*) Marcelo Caetano dixit.




Publicado por samartaime às 05:51 PM | Comentários (1)

maio 18, 2012

Para não destoar no elenco




até Vieira da Silva descobriu o lapsus lingú




Publicado por samartaime às 08:01 PM | Comentários (0)

O COISO do MINISTRO ÁLVARO




.... afinal era «só» o desemprego.



Publicado por samartaime às 07:48 PM | Comentários (0)

Jericocefalia endémica




«A GRÉCIA É UM PAÍS INVENTADO: ERA UMA PROVÍNCIA DO IMPÉRIO OTOMANO»

José Luis Arnaut na SICNotícias



Publicado por samartaime às 07:37 PM | Comentários (1)

maio 16, 2012

Se Camões fosse vivo, escrevia assim...



SEM_TT~2.JPG


I

As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se do quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram

II

E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

III

Falem da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que andarem à solta só me espanta.

IV

E vós, ninfas do Coura onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!



Luiz Vaz Sem Tostões


AQUI



Publicado por samartaime às 08:22 AM | Comentários (0)

maio 13, 2012

Não mente, não engana, não ludibria




É bonito de ouvir. Apesar de ludibriar ser um verbo dificil.

Quem não ludibria, não ludibria nalguma coisa: nas contas, por exemplo.

Mas há mais.

Quem não ludibria, não ludibria com alguma coisa: com números, por exemplo.

E ainda há as possíveis conjugações reflexas e perifrásticas

Uma chatice.


Falemos de coisas menos interessantes mas mais alemãs. De Kant, por exemplo.

Tem uma página em que ele afirma, muito imperativa e categoricamente, que o outro é um fim, não um meio.

Aqui é que a porca torce o rabo, não é? Aconteceu a muito bom aluno, não se alarme.


Mas voltando à epigrafe: mesmo falando de-va-ga-ri-nho é necessário estar atento ao verbo enganar.

Quando afirma que não engana, manda a mais elementar ciência que eu questione pelo menos:

e não se engana?

Agora imagine estas vicissitudes transpostas para o verbo ludibriar.


Se economistas, correlativos & afins fizessem uma pálida ideia da lingua portuguesa já teriam entendido
que economês só na corruptela rima com português.



Publicado por samartaime às 03:50 PM | Comentários (0)

maio 12, 2012

Até o 'expresso' se rende às evidências



m-9a7f.jpg



Publicado por samartaime às 11:34 AM | Comentários (0)

maio 09, 2012

Pela manhã começa o dia




Sua excelência o pregador ministro da saúde bem pode falar de percentagens, operadores, grandes operacionais, sacrifícios equitativos, saberes e outros pirolitos de feira.

Aqueles com quem sua alteza sacro- imperial deveria preocupar-se e defender, raramente lhe transparecem nos olhos e ainda mais raramente lhe acodem aos lábios: os doentes.

Saberá o pináculo da saúde do portugal dos pequeninos o que é isso de estar doente, de ser doente para «toda a vida»? Saberá? Claro que sabe, que o gajo é culto, já leu nos livros, o conselheiro espiritual abragentou-o para a piedade flácida, miserere nobis.

Mas para os doentes ele é mais um canastrão que lhes caiu em sorte e em que não pensam nem muito nem pouco porque o pensamento se lhes esvai na ânsia louca da espera que ao menos a dor passe. Só a dor: «meu deus, cabrão», leva-me as dores físicas que as morais suporto eu.

Vá o distinto senhor ministro da saúde do portugal dos pequeninos à merda e fique por lá os fartos tempos necessários para que ao menos se possa gabar, sursun corda, que de merda percebe, entende e sente.



Publicado por samartaime às 09:48 AM | Comentários (1)

Afinal foi o Sócrates ou não foi o Sócrates?




Foi o Sócrates que pediu a «ajuda externa»?

Essa é boa!

E eu a pensar que tínhamos sido nós, os lusitanos todos exceto o Sócrates!

Ainda me lembro dos nomes que chamámos ao Sócrates, o que o detestámos, o que desejámos vê-lo pelas costas.

Ainda me lembro dos especialistas economistas, fiscalistas, juristas, cabalistas e opinistas que explicaram cabalmente como o mentiroso, arrogante e teimoso do Sócrates não queria a ajuda externa.

Ainda me lembro dos muito entendidos que diziam que a «ajuda externa» seria a grande maravilha porque poderíamos, à pala dos estrangeiros, fazer as reformas que nenhum partido teria coragem de fazer.

E ainda houve a cena do PSD não saber nada do PEC IV que o Sócrates mandara para «a Alemanha» e afinal o Passos Coelho ter estado com o Sócrates horas a discutir o assunto.

Também me lembro perfeitamente de que o memorando da troika só foi assinado pelo Sócrates, só não me lembro é do que andou por lá a fazer o tal do Catroga. Possivelmente foi só reservar mesa para o banquete da edp.

Ainda me lembro do Teixeira dos Santos furioso, dos banqueiros a dizerem que não havia dinheiro para ninguém, do berreiro desafinado dos partidos cada um invocando a sua justa nega na Assembleia e do Sócrates a dizer que então havia que pedir «a ajuda» e que se demitia.

Não, não inventem histórias: continuo a não gostar do Sócrates e a achar delicioso que esteja em Paris a «estudar filosofia».

Mas não misturo as águas.

E estes são tão mentirosos e megalómanos quanto o Sócrates.

E bem mais suburbanos na sua parva sabedoria.

Finalmente há uns tipos que rimam com o presidente - que lhes fica a matar!




Publicado por samartaime às 01:07 AM | Comentários (0)

maio 08, 2012

A cada um segundo os seus desejos







Publicado por samartaime às 10:38 AM | Comentários (0)

maio 04, 2012

Votos




É magnífica a Assembleia da República na sua magnânima

unanimidade nos votos de pesar.


Enquanto vivos charinga-lhes a vida denodadamente.

Depois, aliviada pela sua quietude, saúda-os.


«É uma casa portuguesa, com certeza»



Publicado por samartaime às 05:08 PM | Comentários (1)

abril 21, 2012

Graçolas de ocasião




Tem muita graça aquilo dos governantes não saberem do que falaram outros governantes antes deles.

Tem muita graça o ministro Relvas a inventar incoerências para clarificar o incoerente.

Mas o mais gracioso foi o ministro Gaspar apressar-se, vagarosamente, à explicação do lapso do facto de 2015 ser o ano imediatamente consecutivo a 2014. Isto sim, foi um verdadeiro segredo de estado.

Com a abundância de graçolas de ocasião, ficámos a saber que assim como há ministros que não sabem do que falam, ainda há ministros que não sabem o que andam a fazer.

Já se tinha desconfiado disso quando vieram com aquela das novas benesses tributárias:
- de parte do IVA da reparação do carro vir a ser descontado no imposto de circulação (selo) do carro;
- de parte do IVA de obras em casa vir a ser descontado no valor do IMI;
- e outras afins & correlativas.
Só mesmo quem não conhece «a vida» se lembra destas. E não sou eu quem lhes vai explicar.

Como se este desgoverno mediático não bastasse, ainda temos ministros & similares, que confundem Estado Social com Assistência Social.

E os que estranham que as verbas da Segurança Social desapareçam enquanto o desemprego galopa livremente ao vento. Coitados, devem ter pensado que era só pagar o subsídio de desemprego uns tempos e que depois essa verba «transitava» para os novos desempregados. A chatice é que acabado o contribuinte, acaba a contribuição.

E os que acham que o melhor é travar as pré-reformas antes que fujam todos? Pobres cabeças que nem conseguem prever que os que saem antes vão receber menos, agora e para todo o sempre.

Que mais nos haveria de acontecer? O mudo intermitente falou.
E enquanto o governo anda a falar que isto vai como está ou pior até 2015 se não for até 2030 ou sabe-se lá até quando, salta o mudo intermitente e põe-se a falar: Estou certo que no fim deste ano tudo vai melhorar! – Ele, que nunca se engana, bem se vê que nunca lê nem jornais.



Publicado por samartaime às 07:30 PM | Comentários (0)

abril 18, 2012

O doce charme da piolheira


Um bom português é aquele que vive de bons negócios com um bom relacionamento no «estado social».

Um bom gestor é aquele que, reparando na diminuição do consumo do seu produto, obtém do «estado social» o aumento do preço do produto para que os lucros – no mínimo - se mantenham.

Uma grande empresa é aquela que tem uma cláusula no seu contrato que lhe permite ser ressarcida pelo «estado social» sempre que os seus lucros diminuam.

Um grande empresário é aquele que mantem uma ampla zona de conforto para os seus quadros ex-quadros do «estado social» mais abrangente, e assim imprime maior competitividade ao financiamento dos seus projetos e aquisições.

Um grande industrial é aquele que tendo, ou não tendo, qualquer indústria, obtém do «estado social» financiamento para jogar na bolsa e adquirir a parte que lhe convirá dessa mesma indústria ou de qualquer outra.

Um bom governante do «estado social» é aquele que, todos os dias, se revela muito atenta e velozmente disponível para corresponder às mais diversas intenções e solicitações da nata portugaleira.

Um bom perito é aquele que, todos os dias, encontra mais um buraco abrangente no «estado social».

Um bom especialista é aquele que, todos os dias, encontra uma nova maneira abrangente de disponibilizar o dinheiro do «estado social»

Um bom político é aquele que, todos os dias, encontra uma justificação abrangente para sacar dinheiro do «estado social»

Um bom regulador é aquele que. todos os dias. assegura de forma abrangente que o «estado social» fornece à sua área uma zona de conforto.

Um bom politólogo é aquele que, todos os dias. elabora a justificação abrangente do estado social desconfortável a que chegou o «estado social» para que se conserve alguma zona de conforto sustentável.

Um bom comentador é aquele que, todos os dias, conta o que dizem os jornais e televisões, fazendo cara de conforto ou desconforto consoante a cara do patrão.

Um bom católico é aquele que, todos os dias, vai à missa mas não sabe o que dizem os bispos.

Um bom ateu é aquele que, a toda a hora, exclama – caraças, estes bandalhos nem os bispos ouvem!


E um mau português o que é?

Um mau português é o desgraçado estado social de quem nasceu e viveu no calhou, trabalhou no possível, descontou o que entenderam, como entenderam, quando entenderam e agora aprende que o contrato que assinou e a que chamou Estado Social, hoje não tem «escritório de advogados» que o safe da esmola quando dá, da rua até sempre.


Mas a governação é de excelência e faz milagres.
A saber:

1) surtos de inopinadas «epidemias de gripe» reduzem as despesas com as pensões milionárias de 250€ e até das quádruplas;

2) a demografia vigente já dá uma mãozinha preciosa;

3) a aproximação do degelo ou do gelo, já se encarrega do litoral,
da seca e do que mais houver:

4) a má vida jura que aumentará a mortalidade infantil e outras;

5) haverá tolerância de ponto para quem quiser acorrer às igrejas a pedir à Senhora do Livramento que os livre da tuberculose de excelência, da lepra do conforto e da peste bubónica da abrangência;

6) os desempregados vão diminuir avassaladoramente, entre mortos e emigrados;

7) os empregados vão trabalhar 24 horas por dia;

8) o dia vai passar a ter 25 horas para contemplar o banco de horas;

9) o VGM vai ter um destacamento de guardas florestais que lhe cacem o lince dos computadores;

10) mexias e catrogas vão ter de bailar até os chineses sorrirem.


Haverá melhor nação?



Publicado por samartaime às 03:31 PM | Comentários (2)

abril 13, 2012

Portucale




O processo Portucale acabou ontem, finalmente e à la portucale:

os onze arguidos foram inocentados e saíram em paz.

Pena que não fossem doze, já que - diz o povo - « à duzia é mais barato!»

E agora vamos mas é «ser todos felizes o tempo que nos resta».




Publicado por samartaime às 09:57 AM | Comentários (0)

abril 12, 2012

A torpe calúnia



motim%203.jpg



Afinal nada daquilo que se vê na foto, foi. Tudo pura calúnia, distorção dos factos, ódio difamante à preclara e branda polícia de choque!

Um pouco mais acima e ligeiramente à esquerda de quem olha, o malicioso fotografo não registou a amena cavaqueira em que estavam, à porta da Brasileira, os senhores Alberto Caeiro, Ricardo Reis, Alvaro de Campos e Fernando Pessoa. Na mesa ao lado, meio enviezado e desassossegado, o senhor Bernardo escrevia.
Pois não é que nenhum destes senhores deu pela passagem, sequer, da polícia quanto mais de choque?!


o tempora! o mores!, que já a polícia não pode escaqueirar umas cabeças sem que se alevante atoarda e sua excelência o ministro delas tenha de ser incomodado.



Publicado por samartaime às 03:34 PM | Comentários (0)

abril 02, 2012

Pedro Piegas lança
a bitola europeia ibérica




Perdigão perdeu a pena
Não há mal que lhe não venha.


Perdigão que o pensamento
Subiu em alto lugar,
Perde a pena do voar,
Ganha a pena do tormento.
Não tem no ar nem no vento
Asas com que se sustenha:
Não há mal que lhe não venha.


Quis voar a u'a alta torre,
Mas achou-se desasado;
E, vendo-se depenado,
De puro penado morre.
Se a queixumes se socorre,
Lança no fogo mais lenha:
Não há mal que lhe não venha.


Luís de Camões

Publicado por samartaime às 10:27 AM | Comentários (0)

março 30, 2012

Divida Pública,
a grande vaca sagrada




Pensemos na nossa srª dona Dívida contraída em 1902.
Escolho esta porque a história ( Maria Eugénia Mata) nos diz quando começou e quando acabou - portanto podemos fazer uma ideia mais doméstica, tipo janela de oportunidades para uma zona de conforto abrangente.

Esta Divida Pública Portuguesa de 1902 foi um espetáculo.

Nasceu monárquica mas sobreviveu à monarquia;
implantou-se na república;
foi à Grande Guerra de 14-18,;
não deu pela Revolução de Outubro;
não deu pela morte do Sidónio;
nem pestanejou à instalação do Salazar e do seu estado novo;
fechou os ouvidos e não os olhos, impávida, à Guerra Civil de Espanha;
negociou com os aliados as Lajes, vendeu volfrâmio aos alemães; fechou olhos e ouvidos ao transito por cá de judeus e outros amigos e inimigos durante toda a II Grande Guerra;
desdenhou da campanha de Humberto Delgado;
riu-se da crise académica de 62 em diante;
contribuiu para a guerra colonial;
sobreviveu ao 25 de abrl e ao PREC;
acenou ao 25 de novembro mais à «reposição» democrática
e avançou, voraz, até Julho de 2001.
E só então se deu por saciada, tirando algumas favas e trmoços para picar.

Caranba, uma vida de mão cheia!
Não há outra portuguesa que se gabe de tamanha vigência.


Calhando o diabo do Sócrates tinha razão quando disse que
«A Divida não é para pagar, é para gerir»

Mas onde é que uma pessoa vai arranjar paciência para ouvir o Sócrates?
Nem pó, que não há seguro que lhe valha - apesar da nossa paixão por estradas e combóios já vir não só de mais longe como de muitissimo mais longe.

Diz-me, espelho meu, será isto um trauma a seco das navegações?



Publicado por samartaime às 05:23 PM | Comentários (0)

março 27, 2012

A nudez dos reis




«As barragens culturais de Mexia»


[...]
«Mexia é enérgico. Energético. “Energizante”. Parafraseando Cabrera Infante, Mexia é Demasiado! De desmaiar (colapso dos sentidos que vem acometendo um número significativo de portugueses quando confrontados com a conta da luz).
Mas se Faraday era cientista, Mexia é economista. Não que seja demasiado económico. A prová-lo, três grandes projectos artísticos no Douro.
Pedro Cabrita Reis vai usar 2.700 l de amarelo numa superfície de 13.000 m2 (barragem da Bemposta); Pedro Calapez preferiu a cor e o vidro temperado para uma superfície de 142 m2 (barragem de Picote); quanto a Souto Moura, coube-lhe “minimizar as alterações morfológicas das vertentes, a volumetria exposta das obras e o seu impacto visual” na Foz do Tua.

[...]
Citando o crítico de design Mário Moura: “Às vezes há boas razões para nunca ninguém ter feito uma coisa”. »


lido com gosto em Meditação na Pastelaria



Publicado por samartaime às 10:13 AM | Comentários (0)

março 23, 2012

Voltou o Capitão Maltez?



cabecera_interior.png


Clique para ver aGaleria de fotos




Publicado por samartaime às 05:27 PM | Comentários (0)

março 20, 2012

Nobel da Paz?!




Ellen Johnson Sirleaf

Libéria 2.jpg


Presidente da Libéria e Nobel da Paz 2011


Numa entrevista conjunta com o antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair, que se mostrou incomodado mas não fez comentários, a Presidente da Libéria e Nobel da Paz Ellen Johnson Sirleaf defendeu uma lei que criminaliza a homossexualidade.

(foto e texto do Público de 20:MAR:2012)



E agora como é?
O Nobel da Paz tenciona acrescentar a homofobia aos «direitos humanos»?
O Nobel da Paz aceita transformar-se no Grande Prémio do Lixo ?


Ou vai banir a senhora da sua lista de eleitos?



Publicado por samartaime às 12:27 PM | Comentários (0)

março 19, 2012

Dia do pai deles e delas



pOBRERZA.jpg



Publicado por samartaime às 02:41 PM | Comentários (0)

março 13, 2012

Bandex - Um futuro pior



(obrigada Esteva)




Publicado por samartaime às 09:48 AM | Comentários (0)

fevereiro 27, 2012

Grécia



logo.jpg


Austerity-hit citizens queue for potatoes

potatoes na Grécia.jpg


Notícia completa aqui

Theodorakis’ call to arms

Glezos%2520and%2520Theodorakis.jpg
Manolis Glezos and Mikis Theodorakis

Entrevista a Mikos Theodorakis aqui



Publicado por samartaime às 12:04 PM | Comentários (0)

fevereiro 24, 2012

Depois da globalização das natas,



alvarão.jpg


seguem-se os gestores de carreira de desempregado.


Salvem a pátria que a minha alma já morreu de espanto.



Publicado por samartaime às 10:42 PM | Comentários (0)

fevereiro 23, 2012

«Nem o Brasil», veja lá vc meu irmão!




«Nem o Brasil aceita a carnavalização da grafia que está a ser praticada em Portugal»
(Vasco Graça Moura no Diário de Notícias)


Nota enviezada
Por acaso o carnaval brasileiro também é herança portuguesa. E conforme se verifica anualmente, em muito o carnaval brasileiro excedeu a capacidade de alegria, de politica e de negócio da «apagada e vil tristeza» que herdou.

Mas o Brasil também tem quem pense que a «nova grafia» é obra encapotada de «meu tio Cabral». Também essa «apagada e vil trsteza» eles herdaram - donde, a Língua Portuguesa, dessa banda, está igualmente bem entregue.
A grafia é só mais uma serpentina no carnaval desta época - e a que VGM tem dado bastante cor.



pinguim.jpg
(Anónima)



Publicado por samartaime às 10:28 AM | Comentários (0)

fevereiro 19, 2012

Portugal, bom aluno




Demite-se o presidente da higiénica Alemanha por ter a imprensa divulgado que, anos atrás, aceitou usufruir de beneficios personalizados num crédito bancário.

Disciplinas destas, como de similares e afins, não aprendemos - felizmente!
Imaginem o que não seria mudar aí uns 70% da nação!



Publicado por samartaime às 12:43 PM | Comentários (0)

fevereiro 17, 2012

Com estes «impedimentos»



púnlico.jpg
(Público, 17:fev:2012)



é que não há governo nem presidente que os impedimentem




Publicado por samartaime às 04:27 PM | Comentários (0)

Impedimentos presidenciais




Não era a alma penada e megalómana da Padeira de Aljubarrota

Não era a alma transviada do Zé do Telhado.

Sequer o fantasma desassossegado do compadre Remexido.

Eram só os putos da António Arroio com algumas folhas A4 e cartolinas
que diziam: não temos refeitório, temos frio, não temos material, não temos passe,
o meu pai está desempregado.

Felizmente havia uma inopinada rotunda. imagine-se.


E estala a borrasca nos mareantes:

Impedimento à proa!

360 graus a estibordo, toda a força avante!

Assim como vai!

Rumo a Belém.





Valha-me o inefável santo ambrósio mais a imarcescível corte celestial!

Publicado por samartaime às 10:34 AM | Comentários (0)

fevereiro 15, 2012

Querido Sporting!




Em vinte e tantos anos, trinta e tal treinadores.
No alto gabarito, deu-se ao luxo de despedir Bobby Robson.
E agora despacha songamongamente Domingos Paciência.

Passamos ao reinado de Ricardo Sá Pinto, também conhecido por Ricardo «Coração de Leão»
pela sua denodada e sempre leal «doença sportinguista» .
Enquanto jogador do Sporting, andou «aos encontrões» com o selecionador nacional do tempo.
Enquanto diretor desportivo do Sporting, andou «aos encontrões» com o homem dos golos.

Enquanto treinador do Sporting espero que escolha melhor e acerte, definitivamente, no merecedor de murros.




Publicado por samartaime às 04:39 PM | Comentários (0)

fevereiro 09, 2012

Pieguices politicamente corretas no you tube




(TVI)




Publicado por samartaime às 12:12 PM | Comentários (0)

janeiro 31, 2012

... e siga o baile!





Publicado por samartaime às 04:33 PM | Comentários (0)

janeiro 24, 2012

Das lamúrias presidenciais



Não entendo o espanto pelo desabafo do sr. Silva


Na verdade o pobre senhor limitou-se a confessar que é mais um dos portugueses que vivem acima das suas possibilidades - o que a maioria de nós já tinha entendido graças ao rifão popular do diz-me com quem andas que eu topo-te até no de frosques.


De qualquer modo não é caso para que os portugueses desesperem, já que o sr.Silva não fica sem amparo: o Estado sempre lhe vai garantindo transportes, comida, saúde e despesas de ocasião.

Há que ter fé nos descontos. Principalmente nos descontos dos outros.

Que isto de descontar 40 anos como investigador e professor, mais 30 de Banco de Portugal, mais 10 de primeiro-ministro, mais 6 (pelo menos) de Presidente da República , mais os n descontos nos interins de alcavalas e biscates - é pouco para qualquer braço de trabalho.

Além de que a culpa da desgraça portuguesa, toda a gente sabe, é da malta do rendimento social de reinserção no cu de judas desta vida - clarissimamente.




Publicado por samartaime às 09:41 AM | Comentários (0)

dezembro 19, 2011

opiniões públicas, sentenças privadas




Quando Ferreira do Amaral sugeriu que deviamos estudar e negociar a nossa saída do euro

riram-se discretamente e chamaram-lhe pessimista como já tinham chamado irresponsáveis a comunistas e a bloquistas.

Quando se soube que a Autoeuropa estudava o caso, sugeriram que eram mimos tecnológicos de grande empresa.

Quando bispos, padres e laicos se mostraram preocupados com o crescimento desmedido dos necessitados da sua esmola, sorriram bonacheirões dos exageros piedosos daquelas almas caridosas

Quando os ateus como eu resumem a crise sibilamdo cambada de saloios incompetentes e gatunos,
consideram que não é estatisticamente significativo.

Quando, incrédulos, rosnamos VAI TU! ao chefe do governo que incita os professores à emigração - nada já resta para pensar.

Puro enganio.

Ontem, enquanto eu me esquecia do almoço perdida na contemplação já do mar, dentro do Forte o bando governamental trabalhava 2012. Sua majestade graciosa, o Dr Relvas, dignou-se avisar os jornalistas de que 2012 vai ser um ano mais terrivel do que terrivel foi Albuquerque o terribilis.

Hoje, para meu grande gozo, leio que é o seráfico Vitor Bento quem diz que não gosta da saída do euro mas que entende que deve ser estudada.

Hoje também, por mera coincidência, oiço na TV que estão reunidos os magníficos responsáveis pela segurança nacional dado o alto incremento da criminalidade.

Preparem os pavilhões auriculares, que daqui para a frente o toque é só de finados.

Publicado por samartaime às 11:45 AM | Comentários (0)

dezembro 15, 2011

EUROPARLAMENTO





Publicado por samartaime às 01:34 PM | Comentários (0)

dezembro 13, 2011

A formatação do ensino




O professor Nuno Crato, com a noticia da sua reforma até me fez saltar uma lágrimazinha de saudade do meu liceu!

Só estranhei que não anunciasse a inclusão dos «lavores femininos » nas disciplinas sagradas.

Caminhando nós a passo acelerado para o século 19, os lavores femininos por certo dariam um forte contributo para a salvação económica da pátria e para a manutenção dos bons costumes.




Publicado por samartaime às 06:53 PM | Comentários (0)

novembro 12, 2011

A propósito da colossal relevância
do Sacro Império Orçamental
e da imarcescíbilidade de um coelho no gaspear das relvas




Trovas genealógicas


Minha avó era uma pulga
minha mãe era um sardão.
Sou neto dum corno velho
(não há pulga sem senão).


Nascemos intempestivos
dum coito de ideias tolas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas.

Arre lagarto lagarto
lagarta da geração
mais vale morrer de parto
que nascer de inspiração.

Nascemos intempestivos
duma réstia de cebolas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas

De sete primos que tinha
quatro são peixes da horta
dois peixes da ribeirinha
e um peixe de retorta.

Peixe espada peixe cama
avó pescada do alto
titicaca citirama
paisagem de pó de talco.

Nascemos intempestivos
do rolo das pianolas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas

Jesu jesu que não posso
dar passada no passado
sem que tropece no osso
de algum avô desusado.

Ossos que dançam o tango
caveiras valsificadas
orangonassaugotango
esgotado de almas panadas.

Nascemos intempestivos
do tango das castanholas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas

Tíbias peróneos famílias
Rotuladas titulares
chi de burro chá de tília
esqueletos protocolares.

Sentimentos sedimentos
sacramentos sedativos
alimentos excrementos
mas nunca preservativos.

Nascemos intempestivos
duma união de santolas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas.

Jesu jesu que pecado
impedir a criancinha
de passar um mau bocado
quando sair da bainha
Jesu jesu que pecado
pôr o ovo na sentina.

Nascemos rebarbativos
dum coito de ideias tolas
estamos vivos estamos vivos
fomos feitos em ceroulas.

Nascemos intempestades
dum parto de ideias falsas.
Somos homens na verdade
assim o provam as calças.


ARY DOS SANTOS






Publicado por samartaime às 11:42 AM | Comentários (1)

outubro 30, 2011

adenda ao mural alheio



mentiras novas.jpg
(in Cinco Dias)



... e uma máquina de aparar relva!






Publicado por samartaime às 08:38 AM | Comentários (0)

outubro 22, 2011




O meu país não tem uma bandeira tricolor.

Ficamos sempre no sangue e no enrolo da esperança.



O
meu
país
não
tem aiiiie
uma
bandeira
tricoloriiiie



Ficamos
sempre aiiie
no
sanguiiii
i
no
enrolo do fado aiiiiiiiie
i da
esperaiinçaaa
trelim trelim
trelim tim tim.








Publicado por samartaime às 05:22 PM | Comentários (1)

outubro 18, 2011

Dividir para reinar com a malta




Dizem os entendidos que as famílias pagam seis mil milhões e tal

o sr estado tres mil milhões e tal

e as donas empresas 600 milhões e tal.


Donde:

as famílias pagam a módica quantia de nove mil milhões e tal

e as empresas devem às familias (via banca) seiscentos milhões e tal.


Então,

a banca é uma coisa que se inventou para endividar triplamente as famílias.

[A Santa Madre Igreja que me desculpe o desaforo, mas isto é um caso bem mais cabeludo que o da pomba mariola do Espírito Santo!]


A quem não entender aqui a pitonisa grega menor, posso explicar em serviço personalizado:

a seis mil euros/hora sem recido, ou

a quinze mil euros/hora com recibo eletrónico que inclui: licença de passagem por vários concelhos, apoio a leis alternativas, recolha de lixo da estratoesfera, reposição de lucros por abstenção de utentes, dividendos de acionistas maiores, direitos de contrafação e taxa de apoio ao correio tradicional.

Mais se declara, para os devidos efeitos legais, que sou inimputavel por ter uma orelha de cada lado da cabeça e o nariz, desgraçadamente, no meio da cara embora um pouco descaído apesar de arrebitado.
Mas, note-se, não fui eu quem atirou o famoso e terrífico ovo indignado nas escadarias da real Assembleia da res impudica.





Publicado por samartaime às 10:18 AM | Comentários (0)

setembro 28, 2011

Odalisca com... nêsperas



matisse_Odalisque with magnolias.jpg

Matisse, «Odalisque with Magnolias» /1923/24 / Oil on canvas / (65 x 81 cm) / Private collection







Madeleine Peyroux, La javanaise

Publicado por samartaime às 01:21 PM | Comentários (0)