« novembro 2008 | Entrada | janeiro 2009 »

dezembro 26, 2008

THOMAS JEFFERSON

(13:ABR: 1743 – 4 : JUL:1826)

!cid_87EA1C49FB8142FF91E45FBC9A9729F5@53aa8864cfe9447.jpg

!cid_83D93FB7352D4E9E8E5DCF47F7403B41@53aa8864cfe9447.jpg

Publicado por samartaime às 02:51 PM | Comentários (2)

dezembro 14, 2008

Rembrandt_bathing-river.jpg

Rembrandt van Rijn (1606-1669)
1654 - «Hendrickje Bathing in a River»
Oil on panel - 61.8 x 47 cm
National Gallery, London.

Publicado por samartaime às 07:03 PM | Comentários (0)

dezembro 03, 2008

Vamos a feijões:



Diz o inefável ministério: Só dez por cento das escolas FECHARAM!!!!!
Digo eu: Claro!... As secretarias e restante pessoal não fizeram greve. Será que nem isso a ilustre tutela sabe?!

Dizem alguns ilustres pais de alunos do 3º ciclo do Básico e do Secundário: Os nossos filhos estão abandonados à porta da escola e pelas ruas !..
Digo eu: Entreguem-nos à guarda de quem os deixa nas discotecas madrugadas fóra.

Dizem ilustres pais e avós das crianças do primeiro e segundo ciclos do Básico: As nossas crianças estão nas escolas sem professores para tomarem conta deles!
Digo eu: Não acham que formar professores sai demasiado caro para estarem a tomar conta de crianças? Pois deviam pensar nisso antes que tenham só auxiliares pedagógicos (na melhor das hipóteses) a ensiná-los. E, já agora, por que motivo não chamam uns engenheiro ou uns médico ou uns advogado para tomarem conta das crianças?

Dizem economistas, gestores e financeiros: Eles (os professores) querem é regalias, trabalhar pouco e promoções automáticas!
Digo eu: Aí estamos de acordo - os nossos economistas e gestores são tão maus (vide país Portugal) que lamento, profundamente, todos os professores que os deixaram prosseguir estudos até ao diploma final.
E, já agora, - têm a certeza de que economistas e gestores foram devidamente avaliados? Que eu saiba, nas empresas avaliam-se os «quadros» pelos lucros fáceis e chapeladas do momento ao dono. E avalia-se da qualidade dos «quadros» pelos prémios, carros e cartões no bolso a curto prazo. E, reparem, nem chamo para aqui a banca mais a nacionalização dos prejuízos e a privativatização dos lucros.

Voltam os pais: Em 2005 o meu filho esteve 20% do ano sem aulas por causa das faltas dos professores!
Digo eu: Claro! Com a sabedoria do ministério é perfeitamente natural que não saibam estimar quantos professores necessitam, quantos terão de ser substituidos e onde, quantos podem adoecer, etc., etc.. Os professores não se colocam a si próprios, são colocados ou destacados pelo ministério. Além disso, têm direito a faltas, por lei. Mas têm de descontar nas férias essas faltas - sabiam?

Voltam os sábios: Os professorecos são uns ignorantes.
Digo eu: É natural, foram vossos colegas de curso.

Tornam os sábios: Mas não têm formação científica igual à nossa.
Digo eu: A esmagadora maioria tem formação científica igual à vossa e até tem formação profissional superior à vossa - visto que vocês entram, na generalidade, directamente na vida activa e eles não. No entanto há
alguns, muito poucos, que não têm formação científica igual à vossa, é verdade. Mas sobre isso deviam ter inquirido Veiga Simão, antigo ministro da educação do PS.

Outra vez os sábios: Mas isso foi há muito tempo!
Digo eu: Nem tanto assim que nisto da educação é sempre o longo prazo que está em causa.

Continuam os sábios: Então por que os gajos não querem ser avaliados?
Digo eu: Chegou de Marte?? Nessa já nem o PSocrático acredita!

ULTIMA HORA

Sua Alteza Imperial o Ministério da Educação acaba de declarar que a greve dos professores falhou!

Falhou porque os objectivos não foram alcançados, a saber:
1)porque só fizeram greve 61% dos professores quando «os sindicatos» esperavam 90% ;
2) porque só 10% das escolas fecharam.

Temos aqui um caso e é de avaliação: nem o ministério se entende com a avaliação que fez!
Bem que os professores os avisaram!

3ª Aula Pública de Rua
3 de Dezembro de 2008
Sumário:

A Plataforma das Organizações dos Professores anunciam que fizeram greve 94% dos professores.

O Presidente da República apela, de novo, à serenidade e ao diálogo.

Sócrates, para não perder a face, continua a perder a cabeça com a Escola Pública.


E depois a quem vai Sócrates dar os benditos dos seus magalhães?


Publicado por samartaime às 07:53 PM | Comentários (0)