« março 2008 | Entrada | maio 2008 »

abril 30, 2008

YO-YO MA : obrigado Brasil !



Yo-Yo Ma- capa.jpg

Yo-Yo Ma (Cello)
Rosa Passos (Guitarra e Voz)
Paquito D'Rivera (Clarinete)
Odair Assad (Guitarra)
Sergio Assad (Guitarra)
Kathryn Stott (Piano)
Nilson Matta (Contrabaixo)
Cyro Baptista (Percussão)


Libertango

Afro

Só danço o samba

Chega de saudade

Wapango

Aguarela Brasileira

Mais informação sobre Yo-Yo MA aqui

Publicado por samartaime às 02:20 AM | Comentários (0)

abril 29, 2008

A BOO foi a Praga....



Praga346copy.jpg


E se eu abrisse a janela?

Praga336copy.jpg

Ó miúda!... Olhó despenque!

Praga339copy.jpg


Fotos da BOO, evidentemente!


Qualquer dia, há mais!

Publicado por samartaime às 04:07 PM | Comentários (0)

abril 25, 2008

25 de Abril



Dave.jpg No dia 25 de Abril de 1974, esta era a fotografia do meu bilhete de identidade renovado em Fevereiro do mesmo ano.

Nascida de duas famílias republicanas, uma delas com «vastas tradições» de fugas, prisões, mortes e exílios, eu era uma jovem rebelde e activa que amava a liberdade sobre todas as coisas e acreditava que a escola, a saúde e a justiça eram pilares decisivos para a igualdade de oportunidades num mundo melhor. Para mim, o trabalho estava implicito na condição humana e «desemprego» era, apenas, uma questão residual de incapacidade profunda ou acidental.
Hoje sorrio e penso, com ternura, que o romantismo faz parte da juventude e, felizmente, de alguns sobreviventes de outros grupos etários.

Chegado o 25 de Abril e querendo contribuir activamente para a liberdade e o futuro, não tendo «armas» para a saúde nem para a justiça, optei pela Alfabetização. E os dias e as noites nunca foram suficientes para a formação de monitores. E os monitores nunca foram suficientes. E faltavam espaços, faltavam materiais, faltavam meios. Em contrapartida, sobravam os analfabetos. Viviamos prensados entre o querer, o poder e o conseguir.
Exterminada a Alfabetização, passei às editoriais, à imprensa. Até que um dia fui atacada pela «incapacidade acidental» !

Saída IPO.jpg Trinta e dois anos depois do 25 de Abril de 1974, eu estava como aí se vê e a situação do País foi piorando - ou clarificando, como queiram.

A verdade é que a escola pública continua com os problemas que tinha mais os derivados do agudizar da situação social.

O Serviço de Saúde é cada vez mais privado do que público. E talvez venha a ser, apenas, mais um chequezinho aos privados para que atendam , por misericórdia, os pobrezinhos necessitados de uma caridadezinha não vão morrer pelas ruas, embaraçando os transeuntes e assustando os turistas.

A Justiça consiste em não haver dinheiro para se recorrer a ela; em esperar anos e anos por arquivamentos, sentenças e indeminizações de 150 euros; em polícias sem meios nem para eles se defenderem dos marginais; em prender a raia miúda do costume mais os presumiveis; em deixar colarinhos e financiadores em paz .

Não fora tudo isto bastante, ainda pairam no ar o trio maravilhas Santana, Menezes e Ribau, Jardim bota insulto em cima de insulto, Cavaco cala-se, e Lurdes Rodrigues despeja ódio sobre os únicos que lhe podem valer - os professores.
Entretanto, Sócrates está optimista: pudera, quem paga somos nós!


PELINGRAFIAS 030.jpg Trinta e quatro anos depois, é evidente que eu só podia estar assim! Mas ainda me ficou a liberdade de escrever isto e não ter que o meter na gaveta. Portanto, apesar dos inúmeros pesares,

VIVA O 25 DE ABRIL!

25 de Abril, sempre!

[Obrigada à minha fotógrafa de todas as horas e um bom 25 de Abril (sempre!) mais um abraço para ela]

Publicado por samartaime às 10:34 AM | Comentários (0)

abril 24, 2008

Adriana Calcanhoto



Adriana_Maré.jpg

Aqui confesso que embora tenha o cd vai para duas semanas, me tem faltado a coragem para o mostrar neste triste blogue.
Não pela música - ou melhor, não tanto pela música.
Mas pela capa: estou sempre temendo que ela, a Adriana, se transforme em vampiro e me morda o pescoço!
Não seria uma morte propriamente desagradável, convenhamos.
Mas, mesmo assim, prefiro-a menos vampiresca e mais mordente ! (rsrsrsrs)
O raça da m'lher do que se havia de alembradar!

Confessado o pecado, passemos à música:

01 - Maré

03 - «Três»

09 - Um dia desses

11 - Sargaço Mar

Publicado por samartaime às 07:46 PM | Comentários (0)

abril 23, 2008

Hoje é dia de baile!



Vicente Amigo - tres notas para decir te quiero



Vicente Amigo - Vivencias Imaginadas- Lola Flores- (ZAPATEADO)



Vicente Amigo - Alegrias Con Baile (Joaquin Cortes)

Publicado por samartaime às 12:16 AM | Comentários (0)

abril 18, 2008

O fado da versatilidade



Fados_Carlos Saura.jpg


Lila Downs - Foi na travessa do Palha

Lura - Flor di Nha Esperança

Mariza & Miguel Poveda - Meu Fado Meu


Brigada Vitor Jara - Fado Batido


Caetano Veloso - Estranha Forma de Vida


Catarina Moura - Fado da Severa


«Fados» de Carlos Saura (I)


Extrafilme, para amantes: Desgarrada


Publicado por samartaime às 11:53 PM | Comentários (0)

abril 17, 2008

summertime (III)



Janis Joplin - Summertime (Live Gröna Lund 1969)

angelique kidjo - summertime

Billy Stewart - Summertime

Keith Jarrett - Summertime

Summertime - Ella Fitzgerald & Louis Armstrong

Scarlett Johansson - Summertime

Billie Holiday - Summertime

Devendra Banhart - Summertime

Maxim Vengerov (violino) - summertime

Leontyne Price sings "Summertime"


CHAKA KHAN ---- SUMMERTIME


Chick Corea meets Hiromi - Summertime (Live)

Boy George - Summertime

Larry Adler & Itzhak Perlman - Summertime

MILES at Montreux: Summertime
(Miles Davis Quincy Jones Gil Evans Summertime Porgy and Bess Montreux Jazz )

"Summertime" Porgy & Bess (Trevor Nunn)
Clara: acted by Paula Ingram (sung by Harolyn Blackwell)
The London Philharmonic
Simon Rattle
1993

Summertime - Dianne Reeves


Publicado por samartaime às 02:13 PM | Comentários (0)

Sei de um rio, sei de um rio



01 rio.JPG
«Sei de um rio», Camané - Pedro Homem de Melo - Alain Oulman


02 rio.JPG
«Ser Aquele», Camané - Fernando Pessoa - Popular (Fado Menor)


03 rio.JPG
«Este silêncio», Camané - Manuela de Freitas - José Mário Branco

Publicado por samartaime às 01:40 PM | Comentários (0)

abril 15, 2008

Poesia Sem Qualidade... de vida



Apontamento

A minha alma partiu-se como um vaso vazio.
Caiu pela escada excessivamente abaixo.
Caiu das mãos da criada descuidada.
Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso.

Asneira? Impossível? Sei lá!
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.
Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir.

Fiz barulho na queda como um vaso que se partia.
Os deuses que há debruçam-se do parapeito da escada.
E fitam os cacos que a criada deles fez de mim.

Não se zanguem com ela.
São tolerantes com ela.
O que era eu um vaso vazio?

Olham os cacos absurdamente conscientes,
Mas conscientes de si mesmos, não conscientes deles.

Olham e sorriem.
Sorriem tolerantes à criada involuntária.

Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas.
Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros.
A minha obra? A minha alma principal? A minha vida?
Um caco.
E os deuses olham-no especialmente, pois não sabem por que ficou ali.

Fernando Pessoa , via Álvaro de Campos,1929


Minibiografia

Não me quero com o tempo nem com a moda
Olho como um deus para tudo de alto
Mas zás! do motor corpo o mau ressalto
Me faz a todo o passo errar a coda.

Porque envelheço, adoeço, esqueço
Quanto a vida é gesto e amor é foda;
Diferente me concebo e só do avesso
O formato mulher se me acomoda

E se nave vier do fundo espaço
Cedo raptar-me, assassinar-me, cedo:
Logo me leve, subirei sem medo
À cena do mais árduo e do mais escasso.

Um poema deixo, ao retardador:
Meia palavra a bom entendedor.

Luiza Neto Jorge, via A Lume, 1989


Contra os optimistas

Chamam destino ao rifão do acaso
e chamam à fraude boa fortuna.
Crêem no Batman e na Virgem Maria.
Duvidam do frio, não da polícia
e nunca dão crédito àquilo que vêem.

Reservam a tempo um lugar na geral,
põem o pé entre duas ciladas
e ficam a rir-se nas fotografias.
Sujam a roupa tal como nós, mas
mandam-na sempre a lavandarias
que sabem tratar dos casos difíceis.

Nunca dão ponto sem antes o nó,
mas fazem um laço por cima do nó.
Compram revistas de aval científico
em cujos artigos se prova o seguinte:
é quase impossível determinar
se é falsa uma lágrima ou se é verdadeira.

Depois, jantam em grupo, falam dinheiro,
guiam a vida por grandes veredas e ouvem
sininhos, muitos sininhos de música sacra.

José Miguel Silva, via Ulisses Já Não Mora Aqui, 2002

Publicado por samartaime às 10:08 AM | Comentários (0)

abril 06, 2008

Até qualquer dia!...



Mali02.jpg
Mali (Foto do site oficial do Mali)

Bako Dagnon_capa.jpg (Mali)

Clicar para ouvir algumas faixas:

Faixa 03: LASSIDAN

Faixa02:TOUBAKA

Bako Dagnon live «TITATI»

Mali03.jpg
Mali (Foto do site oficial do Mali)




Maria Bethânia e Omara Portuondo no Sem Censura,«Você»


Maria Bethânia e Adriana Calcanhotto, «Cantada»


Maria Bethânia & Hanna Schygulla, «Emoções»

Maria Bethania e Zélia Ducan: «Shangrilá»

Maria Bethânia e Gal Costa - Sonho Meu

Publicado por samartaime às 07:42 PM | Comentários (0)

abril 04, 2008

...



180px-Martin-Luther-King-1964-leaning-on-a-lectern 3.jpg

Martin Luther King
Prémio Nobel da Paz, 1964.
Assassinado a 4 de Abril de 1968 em Memphis, Tennessee

Nina Simone - «Dr.Martin Luther King», Saga of the Good Life and Hard Times


Publicado por samartaime às 01:22 PM | Comentários (0)