« janeiro 2008 | Entrada | março 2008 »

fevereiro 26, 2008

Do desencanto

A day and a day

Dois ou três cancros de que
vais sabendo «há pouco a fazer»),
o amigo maior de um amigo
brutalmente esmagado debaixo
de um camião. Não, não está a ser
propriamente um Inverno de contentamento.

O corpo já quase não responde
a tanta tristeza. E a casa, devagar,
fecha-se para dentro, implode. Parece
um coração, uma metáfora que te deixa
nos ombros um irrepetível cheiro a merda
e a sombra de um gato que vai morrer.

(«É a vida», deve pensar sem cérebro
- mais feliz - o teu companheiro
de jantar. Já lhe chamaste silêncio,
mas ninguém se chama assim,
ferindo o preto e branco da memória.
Assoa-se, pelo contrário, ao guardanapo
sujo de tinto da casa e acena-te com caspa
da sua vaga imortalidade. Na outra mesa, do
corpos sussurram o inevitável calão do amor,
Muita gente, afinal, cabe neste mundo.

Da porta do bar saem depois alguns
engates e avós calcinadas
à terceira caipirinha. Um preto de óculos
que bebeu de mais acaba espancado
no passeio, sob o fervor policial do costume.

Custa ver - a vida, outro bar vazio,
sem quadros, onde beijas a ausência,
tudo o que perdidamente desamas
e não vale a pena e se dissipa sem pressa
no copo de cicuta cuja razão desconheces.)

É possível que Joachim Bernhard Hagen
tenha sido um exímio tocador do instrumento
que às vezes preferes. É um modo de acordar,
no fundo, e de perceber na pele a inutilidade
da manhã, os gestos que não serão ainda
esse amplo terreno de morte
- que depois
circunscreves a um poema
e não voltas a dormir. Odeio-te.

Ode à noite (inteira)

Gosto do momento, exacto ou nem por isso,
em que se torna possível colar cartazes
nas paredes ao lado dos meus ombros (espero
o autocarro, vejo devagar, sorrio). Mas
gosto, sobretudo, dos cães quase sem dono
que roçam as esquinas, pisando restos de garrafas
- ou das pessoas que desconheço
e das bebidas todas que ignoro
(porque me matam menos e se chamam
- como eu - insónia, pesadelo, golpe baixo).

Existem, claro, raparigas louras um tanto
heteredoxas que não te apetece beijar
(a forca do bâton, perfeita - o cigarro aceso
pedindo outro lume). Essas mesmas que hão-de
um dia procriar com zelo, evitando rugas,
tumores e o mundo como representação misógina.
Mais lírica, sem dúvida, é a lavagem das ruas,
com a cerveja a premiar a farda
demasiado verde e os bigodes de serviço.

Outros, alguns, tornam concreto o torpor
de um charro e pedem-te em crioulo básico
um cigarro português que tu vais dar,
sem esforço nem palavras. Entre shots, piercings,
t-shirts de Guevara e gel, podes não acreditar
por algumas horas no axioma frágil do teu corpo.
Esfumas-te, como eles, no espelho de um bar
qualquer, país de enganos e baratas. E
quase gostas disso, quase: a música de punhais,
servil, um certo e procurado desencontro.
Um táxi te ensinará depois o caminho de casa
- ou o seu contrário, pois só ali (anónimo
e desfocado) eras finalmente tu, ou podias ser.

O resto, a vida, fica para outra vez.


Manuel de Freitas

Noite.JPG
(Foto samartaime)


Publicado por samartaime às 04:44 PM | Comentários (0)

fevereiro 22, 2008

Morreu Milena Barbosa


«Não mais a natureza ou o Estado,


ou uma qualquer religião


a decidir sobre a vida e o futuro das mulheres,


mas elas próprias.»


Madalena Barbosa

Faro, 1942 - 2008 , Lisboa




PÚBLICO: {Público.pt, 21-02-2008]

Aos 66 anos
Morreu Madalena Barbosa, fundadora do Movimento de Libertação das Mulheres

Madalena Barbosa, fundadora do Movimento de Libertação das Mulheres, em Abril de 1974, organismo de luta pelo "direito à igualdade de oportunidades, sem discriminação de género", morreu hoje aos 66 anos, anunciou o grupo parlamentar do PS.

Nos anos 80, Madalena Barbosa integrou a Comissão da Condição Feminina, actual Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, onde trabalhou até agora, lembra o grupo parlamentar do PS. Nas eleições intercalares de 2007 foi candidata à Câmara de Lisboa pelo Movimento Cidadãos por Lisboa.

No decorrer da sua carreira, a activista representou Portugal e a União Europeia em várias cimeiras e conferências internacionais, nomeadamente em Nova Iorque.

Madalena Barbosa auto-definia-se como "feminista, socialista e mulher, chamada em outros lugares do mundo gender expert".

Madalena Barbosa morre um dia antes do lançamento de "Que Força é Essa", o seu livro de crónicas e textos de reflexão sobre temas como feminismo, igualdade e estudos de género, participação cívica e política. A obra será lançada amanhã na Fábrica Braço de Prata, no Poço do Bispo, onde também será feita uma última homenagem.

A União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) já lamentou o falecimento da feminista, a quem diz prestar homenagem por se tratar de "uma das primeiras lutadoras pela despenalização do aborto em Portugal". Foi "uma mulher que sempre se firmou como feminista em todas as dimensões da sua vida", sublinhou a UMAR em comunicado, acrescentando que vai "preservar o exemplo de dignidade e de coragem revelado nos dias mais difíceis da sua vida".

Em comunicado, a UMAR apela à "participação das feministas portuguesas" nas cerimónias fúnebres de Madalena Barbosa, sexta-feira às 16h00 na casa mortuária Santa Joana, em Lisboa. O funeral segue para o cemitério do Alto de S. João, onde o corpo será cremado pelas 23h00.


AR: Parlamento cumpre um minuto de silêncio para homenagear Madalena Barbosa

Lisboa, 21 Fev (Lusa) - A Assembleia da República aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar e cumpriu um minuto de silêncio para homenagear a feminista Madalena Barbosa, fundadora do Movimento de Libertação das Mulheres, que morreu quinta-feira.

O voto de pesar, subscrito por todas as bancadas, sublinha o facto de Madalena Barbosa ter dedicado parte da sua vida à defesa dos direitos das mulheres e à igualdade do género, evocando também a sua carreira política, ligada ao PS.

Madalena Barbosa foi uma das fundadoras no Movimento de Libertação das Mulheres (MLM), em Abril de 1974, criado para reclamar "o direito à igualdade de oportunidades, sem discriminação de género".

Nos anos 80, integrou a Comissão da Condição Feminina, actual Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, onde trabalhou até agora.

Nas eleições intercalares de 2007 foi candidata à Câmara de Lisboa pelo Movimento Cidadãos por Lisboa.

© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
2008-02-22 15:10:03



Publicado por samartaime às 08:18 PM | Comentários (0)

fevereiro 18, 2008

As casas

CasasVelhas5 A.JPG
samartaime, «As casas» (005), óleo s/tela, (50X60), 1963. (Col. part.)


As casas

( I )

As casas vieram de noite
De manhã são casas
À noite estendem os braços para o alto
fumegam vão partir

Fecham os olhos
percorrem grandes distâncias
como nuvens ou navios

As casas fluem de noite
sob a maré dos rios

São altamente mais dóceis
que as crianças
Dentro do estuque se fecham
pensativas

Tentam falar bem claro
no silêncio
com sua voz de telhas inclinadas

Luiza Neto Jorge

Publicado por samartaime às 03:38 PM | Comentários (0)

fevereiro 13, 2008

Hilary Hahn

Nascida a 26 novembre 1979 em Lexington (Virginia, EUAN), violinista

Hilary ca1.jpg


Hilary Hahn - Sibelius Violin Concerto (part 1)


b.jpg


Hilary Hahn - Sibelius Violin Concerto (part 2)


a.jpg


Hilary Hahn - Sibelius Violin Concerto (part 3)


h.jpg

Hilary Hahn - Sibelius Violin Concerto (part 4)


i.jpg

Hilary 2.jpg
Photo: © Mathis Bothor / DG

Mais informação:

Wikipedia

Biografia

Site oficial

Youtube

Publicado por samartaime às 07:46 PM | Comentários (1)

fevereiro 11, 2008

Imagem4.jpg
(Anónimo)

Publicado por samartaime às 07:53 PM | Comentários (0)

fevereiro 08, 2008

Jurem lá !...

Imagem8.jpg
(Autor desconhecido)

Publicado por samartaime às 05:23 PM | Comentários (0)

fevereiro 07, 2008

Como foi previsto há 60 anos

Exactamente, como foi previsto há 60 anos

É uma questão de História lembrar que, quando o Supremo Comandante das Forças aliadas, General Dwight D. Eisenhower, encontrou as vítimas dos campos de concentração, ordenou que fosse feito o maior número possível de fotos, e fez com que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados até aqueles campos e até mesmo enterrassem os mortos.

E o motivo, ele assim explanou: «Que se tenha o máximo de documentação - façam filmes - gravem testemunhos - porque, em algum ponto ao longo da história, algum bastardo se erguerá e dirá que isto nunca aconteceu».

«Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam». (Edmund Burke)

Relembrando:

Esta semana, o Reino Unido removeu o Holocausto dos seus currículos escolares porque "ofendia" a população muçulmana, que afirma que o Holocausto nunca aconteceu...

Este é um presságio assustador sobre o medo que está atingindo o mundo e o quão facilmente cada país está se deixando levar.

Estamos a mais de 60 anos do término da Segunda Guerra Mundial.

Este e_mail está sendo enviado como uma corrente, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos e 1900 padres católicos que foram assassinados, massacrados, violentados, queimados , mortos de fome e humilhados , enquanto Alemanha e Rússia olhavam em outras direcções.

Agora, mais do que nunca, com o Irão, entre outros, sustentando que o "Holocausto é um mito", torna-se imperativo fazer com que o mundo jamais esqueça.

A intenção em enviar este e_mail, é que ele seja lido por 40 milhões de pessoas em todo o mundo.

Seja um elo desta corrente e ajude a enviar este e_mail para o mundo todo.

Publicado por samartaime às 01:45 PM | Comentários (0)

fevereiro 04, 2008

OLGA GOUVEIA

a134_Olga Gouveia.jpg «Sou Arquitecta.
A paixão pela fotografia começou há cerca de 4 anos...foi crescendo e nunca mais parou.
Por vezes faço uma pausa...mas o vício bom acaba sempre por voltar.»
Assim se apresenta no 1000 imagens. Aceitemos as poucas palavras que escolheu
e vamos dar uma espreitadela:

0020 Erectus 1.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0020, «Erectus 1»

0021 Graforientais.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0021, «Graforientais»

0022 Egocentrismos.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0022, «Egocentrismos»

0028 Vértigo.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0028, «Vértigo»

0029 Graficotensado.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0029, «Graficotensado»

0219 - excentricidades.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0219, «Excentricidades»

0233 Olho Gráfico.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0233, «Olho Gráfico»

0251 Grafi Grafitados.jpg
(01- Grafismos Urbanos), Foto 0251, «Grafigrafitados»

0432 sagração do outono 1.jpg
(08 - Devaneios no Feminino), Foto 0432, «A Sagração do Outono,1»


Tem informação e portfolio aqui.

... e no 1000 Imagens, aqui.

Publicado por samartaime às 07:24 PM | Comentários (0)