« janeiro 2007 | Entrada | março 2007 »

fevereiro 27, 2007

Salif Keita (Mali)

Salif Keita,« Nou Pas Bouger», Feat L Skadrille

Salif Keita, «Folon»

Salif Keita & Cesaria Evora , «Yomore»

Live : Salif Keita : Sfinks : 2006-07-30

Publicado por samartaime às 11:21 AM | Comentários (0)

fevereiro 23, 2007

Hoje, Luiza Neto Jorge ...

Minibiografia

Não me quero com o tempo nem com a moda
Olho como um deus para tudo de alto
Mas zás! do motor corpo o mau ressalto
Me faz a todo o passo errar a coda.

Porque envelheço, adoeço, esqueço
Quanto a vida é gesto e amor é foda;
Diferente me concebo e só do avesso
O formato mulher se me acomoda

E se nave vier do fundo espaço
Cedo raptar-me, assassinar-me, cedo:
Logo me leve, subirei sem medo
À cena do mais árduo e do mais escasso.

Um poema deixo, ao retardador:
Meia palavra a bom entendedor.


Luiza Neto Jorge


Publicado por samartaime às 03:00 PM | Comentários (0)

... e Zeca Afonso


zeca33sw.gif


zeca89.jpg

Publicado por samartaime às 01:33 PM | Comentários (0)

fevereiro 21, 2007

Protecting women's rights is a European value!

 

IN EUROPE AND ACROSS THE GLOBE


On March 25 th, all Heads of State will gather in Berlin, to discuss european values. This is the time that we, women of Europe, should started and speak out for women's rights in Europe and across the globe.

ecard%5B1%5D.png


assina aqui

Publicado por samartaime às 11:04 PM | Comentários (0)

Panfletos netenses

« O António, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egipt),
começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 da
manhã.

Depois de um banho com sabonete (Made in France) e enquanto o café
(importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic),
barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China).

Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapure) e
um relógio de bolso (Made in Swiss).

Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA) na sua torradeira
(Made in Germany) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain),
pegou na máquina de calcular (Made in Korea) para ver quanto é que poderia
gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in
Thailand) para ver as previsões meteorológicas.

Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India), ainda bebeu um sumo
de laranja (produced in Israel), entrou no carro (Made in Sweden) e
continuou à procura de emprego.

Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do
seu telemóvel (Made in Finland) e, após comer uma pizza (Made in Italy), o
António decidiu relaxar por uns instantes.

Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in
Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV
(Made in Indonésia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar
um emprego em PORTUGAL... »

É o que eu digo : rede não dá, tem muito buraco!

E então agora que é de malha bem larga: só retem graúdos!


(Entretanto, olhem lá a Língua Portuguesa!)

Publicado por samartaime às 02:48 PM | Comentários (0)

fevereiro 14, 2007

O «pormenor» de Ingres...

ipormenor.jpg

Publicado por samartaime às 04:46 PM | Comentários (0)

fevereiro 13, 2007

ingres_grand_odalisque.jpg
Ingres, 1814, «La Grand Odalisque», óleo s/tela, Musée du Louvre, Paris

Publicado por samartaime às 12:51 PM | Comentários (0)

fevereiro 09, 2007

Carminho e Sandra

Carminho senta - se nos bancos almofadados do BMW da mãe. Chove lá fora .Encosta o nariz ao vidro para disfarçar duas enormes lágrimas que lhe rolam pela face. A mãe conduz o carro e aperta - lhe ternamente a mão. Há muito trânsito na Lapa ao fim da tarde. A mãe tem um olhar triste e vago mas aperta com força a mão da filha de 18 anos. Estão juntas. A caminho de Espanha.

(Mais a baixo na cidade)

Sandra senta - se no banco côr - de - laranja do autocarro 22 que sai de Alcântara. Chove lá fora. Encosta o nariz ao vidro para disfarçar duas enormes lágrimas que lhe rolam pela face. A mãe está sentada ao lado dela. Encosta o guarda - chuva aos pés gelados e aperta - lhe ternamente a mão. Há muito trânsito em Alcântara ao fim da tarde. A mãe tem um olhar triste e vago mas aperta com força a mão da filha de 18 anos. Estão juntas. A caminho de casa de Uma Senhora.

O BMW e o autocarro 22 cruzam - se a subir a Avenida Infante Santo.

Carminho despe - se a tremer sem nunca conseguir estancar o choro. Veste uma bata verde. Deita - se numa marquesa. É atendida por uma médica que lhe entoa palavras doces ao ouvido, enquanto lhe afaga o cabelo. Carminho sente - se a adormecer depois de respirar mais fundo o cheiro que a máscara exala. Chora enquanto dorme.


Sandra não se despe e treme muito sem conseguir estancar o choro. Nervosa , brinca com as tranças que a mãe lhe fez de manhã na tentativa de lhe recuperar a infância. A Senhora chega. A mãe entrega um envelope à Senhora. A Senhora abre - o e resmunga qualquer coisa. É altura de beber um liquido verde de sabor muito ácido. O copo está sujo, pensa Sandra. Sente - se doente e sabe que vai adormecer. Chora enquanto dorme.

Carminho acorda do seu sono induzido. Tem a mãe e a médica ao seu lado. Não sente dores no corpo mas as lágrimas não param de lhe correr cara abaixo. Sai da clínica de rosto destapado. Sabe -lhe bem o ar fresco da manhã. É tempo de regressar a casa. Quando a placa da União Europeia surge na estrada a dizerPORTUGAL, Carminho chora convulsivamente.

Sandra não acorda. E não acorda . E não acorda. A mãe geme baixinho desesperada ao seu lado. Pede à Senhora para chamar uma ambulância. A Senhora não deixa, ponha - se daqui para fora com a miúda, há uma cabine lá em baixo, livre - se de dizer a alguém que eu existo.
A mãe arrasta a Sandra inanimada escada a baixo. Um vizinho cansado, chama o 112 e a polícia.
Sandra acorda no quarto 122 dias depois. As lágrimas cara abaixo. Não poderás ter mais filhos, Sandra, disse -lhe uma médica, emocionada.
Sai do hospital de cara tapada, coberta por um lenço. Não sente o ar fresco da manhã. No bolso junto ao útero magoado, a intimação para se apresentar a um tribunal do seu país: Portugal.


Eu voto sim . Pela Sandra e pela Carminho. Pelas suas mães e avós. Por mim.
Rita Ferro Rodrigues

Publicado por samartaime às 12:07 PM | Comentários (0)

fevereiro 07, 2007

Novas pérolas edificantes

A noite passada alguns adeptos do não andaram a pintar o chão junto à sede do PS no Rato. Frases abjectas como «não me pise...», manchas de sangue, etc.,.

Embora eu ache que o PS tem graves responsabilidades em toda esta confusão em que «o esclarecimento democrático e responsável» se tornou, é indiscritível, abjecto e horrivel semelhante atitude.

Já calculava que muita coisa horrivel se iria passar porque, evidentemente, um grande peso qualquer do NÃO está por certo ligado ao negócio do aborto clandestino: quem, senão desesperados, utilizariam a espantosa campanha de manipulação terrorista a que estamos a assistir? Quem?
Não é gente de pouca cultura que aguenta «diálogos» destes.

Uma coisa é uma pessoa estar honestamente convencida dos seus medos, crenças e pruridos. Outra coisa é a retórica maldosa para a confusão geral dos menos esclarecidos.

Já repararam que os argumentos de ambas as partes são quase iguais? Já repararam como o NAO joga com as palavras? Já repararam na deturpação das argumentações? Já repararam como o NAO nega a ciência? Como torpedeia as duvidas da ciência? É de facto espetacular!


Mas o mais extraordinário de toda este democrático exercício, para mim, é que se gastem horas, dias a discutir os direitos do feto e NINGUEM fale nos direitos da mulher, da grávida -- sobre a qual não há nenhuma dúvida que é uma pessoa!

Isto espanta-me.

Espanta-me que ainda nenhuma mulher presente nestas farsas tenha berrado .«Bolas! Ela está viva, é uma pessoa, paga impostos, é uma cidadã! OU NÂO È?»

Caramba! Que ódio!

Publicado por samartaime às 01:00 AM | Comentários (0)

fevereiro 05, 2007

«Morning Yearning»

CAM_0156MSG.jpg
Foto de MSG, 2005

Publicado por samartaime às 11:11 PM | Comentários (0)

Obviamente...

 

Referendo 2.jpg


(Obrigada VIDA INVOLUNTARIA !

Publicado por samartaime às 10:19 AM | Comentários (0)

fevereiro 01, 2007

«ó gente do meu país»

Vai que nem peixe espada a conversa «sobre o aborto»: comprida e chata.

Acima de tudo, vai hipócrita.

Imagine-se que até já invocam o ADN do feto para apoiar o «não à descriminalização». Mas não os oiço falar no ADN da mulher. Aliás, se é da mulher, que mal faz que esse ADN «morra» nas consequências de um aborto clandestino? Não tem importância! O que importa é salvar a todo o custo a incógnita ADN «feto» que até pode legal e clinicamente ser anulado semanas mais tarde por ser considerado que, afinal, era um «ADN incompetente» para nascer!

Como é possível ser tão manipulador?

Como é possível que as «mulheres do não» não vejam que estão contra si próprias?

Como é possível tanta posta de pescada cientificamente bacoca?

Como é possível anular-se a pessoa-mulher por um presumível existente?

Não é isso um crime contra a vida? Ou a Mulher não conta como ser vivo?


Mas o cortejo continua nas suas falácias tragico-cómicas (trágicas pela parte da mãe, cómicas pela parte do pai, digo eu parafraseando a Francelina) :

até Marcelo Rebelo de Sousa e o Bispo de Viseu não se coíbem de aparecerem a dizer que, imaginem, se fosse para «despenalizar tudo», votariam sim. Mas como é para despenalizar só o aborto (entenda-se: a mulher), votam não.

Esta é da melhor retórica misógina que já alguma vez escutei! O que eles querem de facto dizer é que penalizam mesmo a mulher, querem – mais que todos – penalizar a mulher.

A Mulher, para eles, vale o que vale a reprodução da espécie, a procriação dos filhos, de preferência o almejado e ímpar filho varão! Tudo o mais é o natural «gozo» da condição masculina!

E digo isto porque, ao engendrarem a despenalização «geral e simplex» do aborto estão, simultaneamente, a despenalizar os HOMENS-MARIDOS-AMANTES-COMPANHEIROS-NAMORADOS -PAIS E OUTROS que pressionam, obrigam, a mulher a abortar ou lhes causam traumatismos que as levam ao «aborto natural e espontâneo», vejam lá vocês!!

A esmagadora maioria dos homens sempre foi socialmente cobarde no assumir da sua sexualidade e paternidade. Essa é uma das razões pelas quais são na generalidade mulheres que acompanham a mulher desesperada que caminha para a viagem opaca e negra do aborto.

Mas isso agora não interessa nada, que essa proposta não existe nem nunca existiu mesmo: é só uma cortina de fumo para desviar as atenções e , principalmente, para confundir as pessoas menos escolarizadas .
E se fosse tempo de propostas, claro que os sapientes retóricos não apresentariam nem coisa nem loisa. O «despenalizar tudo» de agora é mais uma conversa de café: pura basófia.
Qualquer coisa como eu dizer que aquele tipo ali disse que todos nós somos filhos da mãe mas que do pai são só 33,333333 %. Boa! Mas esqueceram-se dos in vitro, das barrigas de aluguer, da produção independente, eu sei lá!

Eu quero aqui dizer que voto SIM não só para que se altere a lei que penaliza a Mulher, mas também porque entendo que a MULHER, TAL COMO O HOMEM, tem direito a uma vida sexual que só a ela diz respeito.
Porque é isto que o «não» nega implicitamente às mulheres.
O «não» sabe que fornica mais do que os filhos que tem.
O «não» sabe que não há planeamento familiar de facto.
O «não» sabe que a pílula falha.
O «não» sabe que o preservativo é falível.
O «não» sabe que não há educação sexual nas escolas.
O «não» sabe quanto custa um aborto feito em clínicas todas artilhadas.
O «não» sabe que só as mulheres pobres e muito jovens não têm dinheiro para isso!
O «não» sabe que é hipócrita.

Ou terei de concluir que todos os filhos dos «pais não» nasceram por mero acidente?
Pobres filhos do acaso!

 


portuga001.gif

eu só posso votar sim !

SAMARTAIME

 

LUDÍBRIOS

As pessoas que integram os numerosos "movimentos" pelo NÃO no referendo da IVG, continuam as suas repelentes e sofísticas campanhas de desinformação científica, jurídica, ética e política, perseguindo um status quo despótico e obscurantista que infecta um país laico, que não é uma teocracia como o Irão e outros países congéneres, e se diz pertencente à Europa civilizada.

Os senhores bispos deviam ser objecto de processos judiciais por difamação, pois sairam dos seus púlpitos e dioceses, para os ecrãs das televisões e outros espaços civis, acusando muitos milhões de mulheres portuguesas - desde as nossas avós às nossas netas - de "terroristas", "nazis" e carrascos similares aos executores de Saddam.

Eu assinaria um documento em que alguém alertasse para esse estigma sinistro atirado por alguns bispos às nossas antepassadas e familiares actuais, nos espaços da laicidade.

Porque é muito cómodo ser "voz de Deus" e voz dos Bancos e Universidades Vaticanas, cá e em tantos países, e Opus e recebedor de triliões de rendimentos de Santuários, sem imposto, e pastor de beatas analfabetas, tudo ao mesmo tempo.

Quando falam em "mulheres", os movimentos do NÃO só vêem as "putéfias" que abriram a perna indevidamente ou desmazeladamente e que não interessa se têm 12 anos ou 50, pois transportam um útero sob sequestro jurídico, para, independendo da sua consciência, vontade e circunstâncias, pôrem neste mundo um desgraçado qualquer, porque sim, como as fêmeas de qualquer espécie animal.

AS MULHERES são as filhas e as mães deles e delas, as esposas, as irmãs, as avós e vão continuar a ser as netas.

VIDA INVOLUNTÁRIA

 


SIM PORQUE NÃO
________ _______

SIM PELA DIGNIDADE.


NÃO SE NASCE MÃE OU PAI.

NASCE-SE FILHO.
QUERE-SE UM FILHO.
NÃO UM ACASO.

_______ ________

UM ESTADO QUE NÃO SE CUIDA COMO PODE CUIDAR DOS DESCUIDADOS?.

_______ ________

SIM. PORQUE NÃO É SIM À INDIGNIDADE..

SIM.
PORQUE A VIDA NÃO É UM REMEDEIO PARAPLÉGICO.

MAS SIM UMA OPÇÃO ÉTICA E CONSCIENTE..


SIM PORQUE O NÃO .
É UM GRITO SURDO E SUJO NUM SACO DE PLÁSTICO...

SIM!.
SIM!.


PIANO

 

Li seu post e os comentários. E,tal qual na música do Chico- que sei que não gostas - peço: "...mande um cravo para mim...", pois que apesar das justas críticas, receios e denúncias, há aí um debate público, que aqui sequer deixou a condição de murmúrio.
Por aqui essa questão só emerge nas pequenas rodas de grupos de mulheres que lutam por isso - e ainda são poucos,muito poucos- e há "meia dúzia de três" parlamentares (dos nossos 547) que colocam o assunto no plenário da Câmara.
Enquanto isso, há uma expansão estúpida e assustadora do turismo sexual infantil, da prostituição geral e irrestrita, da AIDS, que afeta hoje prevalentemente as mulheres casadas.
Invejo-vos, portuguêsas!

Publicado por: BIA (Brasil)

 

Estou de porta fechada mas já me cansei de comentar em blogs pelo voto no SIM. De qualquer forma, não queria deixar de dizer aqui que todas estas postagens esclarecedoras e não mascaradas de falsidade e ignorância são importantíssimas, assim como os comentários respectivos.

Pela minha parte, não tenho certezas absolutas que o Sim vai ganhar (já o confidenciei) mas mantenho a esperança até ao fim. Nove anos se passaram sobre o 1º referendo e em nove anos será que alguma coisa de fundo realmente mudou em Portugal? Penso que não. Sinto que o país, na generalidade e na mentalidade continua o mesmo de sempre. Espero apenas que o processo da Casa Pia e outros, como o recente caso Esmeralda, possam ter "abanado" um pouco as consciências. Não sei se em faço entender...

Pelo SIM, pela vida DIGNA, pela LIBERDADE DE ESCOLHA, POR TODAS AS MULHERES!

VENTANIA

 

... agora veio o bastonário da ordem dos médicos dizer, caso o sim ganhe, que os médicos que se declararem objectores de consciência no SNS e praticarem aborto em clinícas privadas, terão graves consequências ...

está tudo dito, não está?????? ele conhece-os!!!!!

<ora venha de lá um huge SIM !!!!

SEGURADEMIM


Publicado por samartaime às 11:38 PM | Comentários (0)