« David Attenborough Fala de Darwin | Entrada | AMANHÃ NA FCG: OLIVIA JUDSON »

março 03, 2009

Creation (II)

4571087b-i2.0.jpg

Dois trechos retirados da entrevista a “Nature” do actor Paul Bettany, que veremos em breve como Charles Darwin no filme “Creation”:

- As pessoas dizem que ele (Darwin) encarava as suas crianças como projetos*. Mas eu acho que isto era um sinal de enorme amor e respeito. A ciência era sua vida. Então é óbvio que envolveria a sua família nela. Para ele fazer ciência era um acto de amor, estudar era um acto de amor. Eu não acho que a ciência seja uma coisa seca, empoeirada só para cientistas.

- Darwin era socialmente um conservador, mas teve uma idéia revolucionária, o que foi muito difícil para ele. Não podia evitar de ver como a idéia se encaixava como uma luva naquilo que ele via ao seu redor, principalmente na crueldade indiferente da natureza. Quando a sua filha morreu**, ele voltou-se para a ciência e sua mulher Emma para a religião. E o objeto do seu trabalho potencialmente privaria a sua mulher do seu consolo. É uma situação muito comovente e dinâmica para um actor interpretar.

O blog já havia falado da produção do filme, especialmente do casting do papel de Emma Darwin.

* As crianças de Darwin participaram em vários dos seus projectos experimentais, o que não é uma surpresa já que Darwin utilizava sua casa e seu jardim em Down House como laboratório. Os miúdos Darwin aparecem muito no livro “A Expressão das Emoções no Homen e nos Animais”, recentemente editada em Portugal pela Relógio d’Água.

** Charles e Emma tiveram dez filhos, dos quais três morreram ainda jovens. Bettany refere aqui a morte de Anne Elizabeth Darwin. Annie era a favorita do pai, e sua morte aos dez anos de idade em 1851 foi um golpe terrível para Charles e Emma.

- Thiago Carvalho

Publicado por tentilhão às março 3, 2009 09:54 AM

Comentários

Comente




Recordar-me?