« A FESTA DE ANOS DO MENINO DARWIN | Entrada | A CASA de DARWIN »

fevereiro 12, 2009

HAPPY BIRTHDAY CHARLIE

6a00e54f9f8f8c883400e5517e2b2e8834-800wi[1].jpg

Se fosse vivo, Charles Darwin faria hoje duzentos anos.

Um pouco por todo mundo terão lugar homenagens e cerimónias de celebração deste bicentenário. Em Lisboa, inaugura hoje a exposição A Evolução de Darwin, às 19h, na Fundação Calouste Gulbenkian (Avenida de Berna, 45A, Lisboa). Mas a festa de anos própriamente dita será no Frágil (Rua da Atalaia, 126, bairro alto, Lisboa), a partir das 23h.

O pai da teoria da Evolução por Selecção Natural, foi o quinto filho de Susannah e Robert Darwin e nasceu em Shrewsbury, Reino Unido, a 12 de Fevereiro de 1809. O seu interesse pelo mundo vivo e pelo coleccionismo sistemático revelam-se logo na sua juventude, passada no campo a caçar perdizes e a apanhar besouros e, sempre que possível, longe da escola. Depois de uma tentativa falhada como estudante de medicina na Universidade de Edimburgo, muda-se para a Universidade de Cambridge, como estudante de Teologia. É em Cambridge que conhece John S. Henslow, pastor e professor de Botânica, que se tornará uma figura central na vida de Darwin. É Henslow que envia Darwin na sua primeira expedição científica, uma expedição geológica ao País de Gales com o Professor Adam Sedgwick; e é também ele que sugere Darwin como jovem naturalista para seguir a bordo do navio HMS Beagle. Quando embarca na viagem do Beagle em volta do mundo, Darwin tem 22 anos. Quando regressa, cinco anos depois, é um naturalista feito e um teórico emergente.

Se, quando regressou da viagem, Charles Darwin ambicionava ser um par dos grandes cientistas da época, a que chamava “great guns”, nunca foi sua intenção perturbar a ordem social. São as observações que Darwin faz durante a viagem que, de forma persistente, suscitam as perguntas a que se propôs responder: Como explicar a diversidade biológica e, especificamente, a incrível panóplia de formas que parecem adaptar os organismos de uma espécie tão perfeitamente ao ambiente em que vivem? E como explicar os padrões a que essa diversidade parecia obedecer: a semelhança entre espécies que viviam em localidades próximas, a semelhança entre espécies insulares e espécies continentais, a semelhança entre espécies vivas e espécies fósseis.

A estas perguntas Darwin deu uma resposta incrivelmente simples, Evolução por Selecção Natural. Muitas vezes debaixo de fogo intenso, a teoria de Darwin sobreviveu até hoje sem grandes alterações. Com a elucidação da estrutura molecular do ADN, já no século XX, ficaria estabelecida a sua base molecular.

Hoje, a Evolução é a linha unificadora de todas as disciplinas da Biologia.

A exposição, A Evolução de Darwin celebra o bicentenário de Charles Darwin contando a história da teoria evolutiva - a forma como ela evoluiu até aos nossos dias. Do final dos naturalistas do século XVII, à viagem do Beagle, passando pela “Sala das Moscas” de Morgan e por uma molécula de ADN gigante, a exposição é uma aventura com descobertas para todas as idades.


- Filipa Vala

Publicado por tentilhão às fevereiro 12, 2009 08:00 AM

Comentários

Comente




Recordar-me?