« outubro 2008 | Entrada | dezembro 2008 »

novembro 05, 2008

Hoje a Tarde: EVOLUÇÃO E DESENVOLVIMENTO

bannerdarwin.jpg

Hoje a tarde, as 18 horas, venha assistir no auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian (Praça da Espanha, Lisboa) a Dra Patrícia Beldade, que nos propõe o tema EVOLUÇÃO E DESENVOLVIMENTO: VARIAÇÕES A DOIS TEMPOS E MUITAS CORES.

Para quem não puder estar lá em pessoa, a FCG oferece transmissão em directo aqui.

A tarde de Biologia na Gulbenkian começa com o lançamento do livro “Evolução: História e Argumentos", uma introdução à biologia evolutiva, incluindo um capítulo sobre o tema desta noite por J. Élio Sucena e Pedro Patraquin. É o segundo livro apresentado ao público no âmbito do projecto Darwin da Gulbenkian, depois da obra "A Origem das Espécies". de Janet Browne.

Veja aqui um resumo da primeira conferência, do Professor Carlos Marques Silva importância da Geologia para Darwin.

Publicado por tentilhão às 01:26 AM | Comentários (0)

novembro 03, 2008

NO CAMINHO DA EVOLUÇÃO II (cont)

emergingmonarch.jpg

Em antecipação à próxima etapa do ciclo “No Caminho da Evolução (quarta feira, dia 5 de Novembro, as 18 horas na Fundação Calouste Gulbenkian), a Dra Patrícia Beldade oferece um resumo da sua conferência entitulada EVOLUÇÃO E DESENVOLVIMENTO: VARIAÇÕES A DOIS TEMPOS E MUITAS CORES:

"Como Darwin, biólogos e não biólogos interessados e observadores da natureza que os rodeia não podem senão deixar-se fascinar pela espectacular diversidade de cores e formas dos organismos vivos. Esta diversidade resulta do balanço entre dois processos biológicos fundamentais: o desenvolvimento, que se repete em cada geração, e a evolução, que acontece ao longo de gerações.

Em cada geração, o desenvolvimento traduz a informação codificada no ADN, a molécula de que são feitos os genes, e transforma o ovo fertilizado num organismo multicelular mais ou menos complexo. Um elefante é um elefante e um Homem é um Homem e toda a informação necessária para que de um ovo se produza um ou outro animal está na sequência de quatro letras que compõem os genes herdados dos pais de cada um. Diferenças no ADN resultam em alterações na sequência de eventos do desenvolvimento embrionário e, finalmente, em diferenças nas características dos indivíduos adultos. Estas diferenças podem ser mais ou menos subtis. Um elefante e uma mosca são difíceis de confundir mas até entre duas moscas da mesma população, ou da mesma família, as diferenças abundam (mesmo se a sua detecção requer um observador mais atento). Na verdade, a variação é uma propriedade (quase) universal dos organismos vivos, sendo prevalente até para características de importância médica, como a susceptibilidade de desenvolver certas doenças.

A variação entre indivíduos duma mesma espécie, indivíduos que competem pelo acesso a recursos limitados como alimentos e esconderijos, é a matéria-prima da evolução. Darwin identificou o processo pelo qual se faz uma triagem das variantes que existem numa população e chamou-lhe selecção natural. Os genes dos indivíduos melhor apetrechados para sobreviver e se reproduzirem vão estar sobre-representados na geração seguinte e, consequentemente, também o estarão as características que são codificadas por esses genes. Ao longo das gerações, a selecção natural leva assim à acumulação de alterações em populações e, por fim, à origem de novas espécies.

Apesar das interacções óbvias entre o desenvolvimento e a evolução, dois processos de mudança que acontecem a compassos distintos, as disciplinas que os estudam permaneceram separadas durante grande parte do século XX. A biologia evolutiva e a biologia do desenvolvimento cresceram e especializaram-se independentemente, adquirindo uma linguagem e metodologias próprias. Há pouco mais de duas décadas, no entanto, a espectacular descoberta de que organismos tão distintos como um ser humano, um ratinho e uma mosca partilham muitos dos genes que codificam o desenvolvimento embrionário veio juntar as duas disciplinas. A biologia evolutiva do desenvolvimento, ou evo-devo, estuda a forma como o desenvolvimento embrionário evolui e, ao mesmo tempo, a forma como este pode condicionar o processo evolutivo. Nesta palestra, iremos ver como esta nova disciplina nasceu e como está a crescer e a ajudar-nos a compreender a diversidade biológica."

Publicado por tentilhão às 07:30 AM | Comentários (0)

novembro 01, 2008

No Caminho da Evolução II

No próximo dia 5 de novembro a série de conferências “No Caminho da Evolução" continua com a Dra Patricia Beldade, investigadora da Universidade de Leiden e do Instituto Gulbenkian de Ciência.

Aqui temos um clip sobre a Patricia, produzida pela Associação Viver a Ciência no seu projecto "Geração Cientista".

Publicado por tentilhão às 03:57 AM | Comentários (0)